Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
01/11/2009 00:05:03 :: Clevgospel


   FACÇÃO CLANDESTINA NAS ESCOLAS

PROFESSOR...SE PLANTE!...
QUAL É A SUA CARA?...
TA MOSCANDO COM O GIZ?
UM RISCO EM FALSO...EU METO BALA!...
SOU O CHERIFE...EU SOU O CARA!
NA MINHA PROVA EU QUERO 10
TÁ LIGADO!?...É IDÉIA!...
TE DOU BICUDA COM OS DOIS PÉS!
EU NÃO COMO NADA...
A MINHA É ESSA MESMO...
QUAL É A BRABA?...
SOMOS NÓS NO COMANDO DA AULA...
SOMOS NÓS QUE MANDAMOS NA SALA!...
E AÍ GALERA!?...VAMOS PEGAR OS CALOUROS...
E CAPEAR AS BAMBATAS...TODO O DINHEIRO
RASPAR SUAS CABEÇAS...DEIXAR TODOS LOUCOS
ELES TEM QUE NOS RESPEITAR...
NÓS SOMOS VETERANOS...E ELES SÃO CALOUROS!
VAMOS TODOS EM GANG...
VAMOS TODOS EM FALANGE...
QUEM ESCALDAR...TOMA UMA BROCA!...
E SE REVIDAR...VAI SER ARÊRÊ NA ESCOLA...
DOIS TIROS E UMA CARREIRA...
DAQUI À POUCO A POLÍCIA CHEGA
E EU NÃO TOU AQUI PRA BRINCADEIRA...
É A FACULDADE FORMANDO DOTORES...
E O CRIME POR DETRAZ DOS BASTIDORES...
LAMPIÃO E MARIA BONITA
E O DESAFIO DOS PROFESSORES...
TEM QUE TER MUITA CORAGEM...
PRA NÃO SER CAUDA E SER CABEÇA
E O DOM DA AUTORIDADE
PRA SACAR O SEU PRIMEIRO
AS ESCOLAS BANG BANG...TEXAS ARIZONA
E PRIMEIRO TIRO CERTEIRO
APERTANDO O SEU GATILHO
COM TUDO AQUILO QUE DEUS TE DEUS O DIREITO
UMA BOA PSICOLOGIA...UMA BOA SABEDORIA
E A CORAGEM PARA AMAR...
SEM TER MEDO E DISPARAR...
TODA BALA NOS PEITOS...
SENDO PLOFT...SENDO PLUFT...
À FALAR JESUS TE AMA!
ESSA PALAVRA TEM PODER...
ELA É UMA FORTE ARMA...
QUANDO É DITA COM MUITA FÉ
E DE TODO CORAÇÃO...
É CANHÃO...É EXPLOSÃO...
E O FIM DA FACÇÃO!




 
31/10/2009 23:49:08 :: Clevgospel


ROMANCE INÉDITO: JUCA VIDA BANDIDA

JUCA VIDA BANDIDA:
(ELE É UM ALERTA GERAL DE DEUS PARA TODA A HUMANIDADE!!!...ABORDANDO ASSUNTOS COMO:
DROGAS,MÁFIA,CORRUPÇÃO,INJUSTIÇA SOCIAL,PROSTITUIÇÃO,BRUXARIAS,ETC...DANDO A SOLUÇÃO
PARA TODOS OS PROBLEMAS)...O SEU CENÁRIO ACONTECE TODO NA BAHIA...NO BAIRRO DE SÃO
CAETANO...E PRICIPALMENTE NOS LUGARES TURÍSTICOS...COMO NO HUMAITÁ,MERCADO MODELO,
PELOURINHO,LADEIRA DA MONTANHA,MACIEL,FAROL DA BARRA,PITUBA,ITAPOÂ,LAGÔA DO ABAETÉ,
AREMBEPE...ETC...(COM PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DO POLICIAL BARBOSINHA,DO TRAFICANTE GURUBEL,
DA QUADRILHA BEBÊ À BORDO,DE BOB MARLEY,RAUL SEIXAS...DO PASTOR SILAS MALAFAIA,E DA
CANTORA CASSIANE) JUCA VIDA BANDIDA É PURA ADRENALINA!!!...CONFIRA!!!

JUCA VIDA BANDIDA É A ESTÓRIA DE UM ADOLESCENTE QUE ESTUDA NA ESCOLA DE ENGENHARIA ELETRO-MECÂNICA EM NAZARÉ,PRÓXIMO A ACADEMIA BAHIANA DE LETRAS... SALVADOR-BA... ELE É UM JOVEM BEM EDUCADO...DE BÔA FAMÍLIA...E POR UM GRANDE PROBLEMA QUE O AFLIGE...ELE SE ENVOLVE COM DROGAS...E DEPOIS POR AMOR A LILICA...A SUA NAMORADA...QUE NUM ASSALTO À CARRO FORTE...SOFRE UM TERRÍVEL ACIDENTE...E VAI PARAR NA “U.T.I”;;;ENTÃO ELE APAIXONADO TENTA DE TUDO PRA CONSEGUIR UM DINHEIRO PARA PAGAR UM BOM TRATAMENTO MÉDICO...NUM SOCORRO À SUA AMADA. ELE TENTA LEVANTAR UMA GRANDE GINCANA EM CAMPANHA EM BENEFÍCIO À LILICA...PROJETANDO UMA BATALHA DE VÁRIOS PATROCÍNIOS...ELE JUNTAMENTE COM SUA TURMA...INCLUÍNDO MENORES INFRATORES DA QUADRILHA “BEBÊ À BORDO”... ELES LUTAM NUMA LINDA SOLIDARIEDADE...COMPARTILHANDO COM MUITO AMOR...FAZENDO DAS TRIPAS CORAÇÔES...PELA VIDA DELA...E EM MEIO À MUITA DIFICULDADE...ENTÃO JUCA SE REVOLTA...E PARTE PARA UM ASSALTO À BANCO...SENDO PEGO EM FLAGRANTE...VAI PARAR NA PRISÃO...E SOFRE BASTANTE...E SENDO PERSEGUIDO POR MUITAS BRUXARIAS...POR DUAS BRUXAS MAUVADAS...SENDO MÃE E FILHA...VERA E DONA MADALENA...QUE POR INVEJA DE DONA HELENA....SUA MÃE...MÁS NÃO PODENDO NADA CONTRA ELA...POR ELA SER UMA CRISTÃ FIEL E TEMENTE À DEUS...E DEUS TER UM ZELO MUITO GRANDE POR ELA...PROTEGENDO DE UMA FORMA PODEROSA...ENTÃO AS BRUXAS NÃO PODENDO NADA CONTRA DONA HELENA... ATACAM O FILHO...MÁS DEUS É FIEL...E PERMITE QUE JUCA PASSE PELA SOMBRA DA MORTE...PARA NO FUTURO...ELE GLORIFICAR-LO EM ESPÍRITO E EM VERDADE...TAMBÉM AJUDANDO À MILHÕES E MILHÕES DE VIDAS À SER FELIZ...A ESTÓRIA É MUITO LINDA COM UM FINAL FELIZ DE UM AMOR TÃO LINDO...TÃO BONITO...TÃO MARAVILHOSO!!!...NO AMOR ÁGAPE DE CRISTO!...DEUS É FIEL!!!
CONFIRA...E VEJA O FINAL QUE DEUS TEM PARA JUCA!!!...DEUS É FIEL!!! “
QUE DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO PODEROSAMENTE!!!...FICA NA PAZ!!!
FICA COM DEUS!!!...TAMBÉM COM ESSE LINDO ROMANCE!!!...



CAPÍTULO I



1º       De setembro de 1990

Quarta-feira.



A mãe e a irmã de Juca, num certo, bate papo:

- Minha filha? Eu fui pro culto:.. eu fui pro culto hoje e foi uma maravilha!... Deus se manifestou lá poderosamente com o seu poder e batizou à muitos com o seu Espírito Santo... derramou do seu milagre e curou à muitos... foi um grande rebuliço com os mistérios das danças do Espírito, com bailados e corta-laços, profecias... muita gente foi revelada... e eu também fui revelada minha filha!...Mas logo eu fiquei surpresa e abatida com o que vi, e até agora estou muito triste. Foi uma revelação muito feia com o seu irmão Juca... Tina!...

- Oh, mãe!... me conta a revelação... como é que foi?...O que foi que Deus te revelou?...



(Apreensiva)

- Olha Tina, Deus me revelou o seu irmão Juca numa visão, e nessa visão, eu via ele subindo num morro com uma turma de vagabundos maltrapilhos e tinha uma outra turma entocada atrás de uma pequena casa, tipo um barraco, lá nesse morro, e eles estavam fumando maconha e alguns cheirando um troço lá, sei lá!?...acho       que chegou uma viatura da policia com os seus policiais equipados com escopetas e com metralhadoras, rendendo a todos e foi uma confusão que só Deus me socorre!... foi uma grande confusão dos pecados. Logo depois todos foram liberados e Juca voltava com sua turma descendo do morro e ele tava todo assustado, aí minha filha!..., você não sabe como eu chorei!... eu chorei muito Tina!...filha eu estou muito preocupada com ele, na nossa família ninguém nunca deu pra essas coisas, Tina, mas logo Juca?..., olha minha filha eu estou muito aflita e também com muito ódio dele, eu sou uma boa mãe, tudo que eu sempre quis e quero é ver a felicidade dele, a sua felicidade, a de vocês todos!..., você não sabe como eu lutei!? Ah! Eu lutei tanto pra dar o melhor pra vocês, eu e seu pai! Nós fizemos das tripas corações graças as mãos de Deus, nós lutamos pra dar o melhor conforto, bons estudos e bom status, com muito amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
, carinho e dedicação, e       Juca vem me dar esse desgosto Tina!?... - Calma mãe! Juca é um bom menino mãe!, ele é inteligente e educado, e o que Deus te revelou foi ele subindo no morro com vagabundos, mas nós não temos certeza de que ele estar envolvido com drogas!...Deus não te confirmou sobre isso portanto se acalme, e quando ele chegar,       agente conversa com ele; pra saber o que realmente estar havendo, se ele estar ou não envolvido com drogas. Ele é o meu irmão e também é o seu filho, e vai ver que a visão possa ser outra coisa, mas se for o que a senhora estar pensando?, precisamos ajudá-lo? Mãe! As drogas estão por aí alastradas em todas as classes sociais, desde os bairros periféricos até a mais alta sociedade, bem no meio da burguesia!... as drogas não se escolhem caras...elas têm contaminado a muitos com a terrível lepra do século, nessa atual sociedade, atingindo meninos de ruas, marginais, estudantes, professores, artistas, advogados etc., embora muitos estão por aí enrustidos, passando despercebido, e ás vezes agente se defronta com muitas pessoas simpáticas, que gostamos muito e quando menos se espera essa pessoa é um maconheiro ou uma maconheira, ou toxicômanos viciados em outras drogas, como o crack e a cocaína, LSD, heroína e por aí lá vai Maria Fumaça...surpreendendo-nos de súbito nos deixando       à questionar.       Lá na universidade eu conheço muitos assim, e Juca também pode ter sido contaminado com as más influências sociais.

As más conversações corrompem os bons costumes e o homem às vezes é influenciado pelo meio em que vive, pois todo o meio é influente. E se Juca se corrompeu? Isso não é o fim de tudo, precisamos ajudá-lo, eu       conheço muitas pessoas que já se recuperaram em centro de recuperações evangélicos...e lá mesmo na igreja       tem Nivaldo e tem Júlio que eram viciados á muitos anos , mas Jesus Cristo libertou-os lá no Centro de Recuperação Desafio Jovem de Feira de Santana, e eu já ouvi falar de vários centros de recuperações... tem o Peniel       de Dias D´ávila...tem outro lá em Arembepe, tem na Boca do Rio, tem em Valença, e em outros diversos lugares...mas só serve nos centros de recuperações evangélicos que o nosso Deus se faz presente e opera os seus milagres e as suas maravilhas, e se Juca estiver realmente envolvido com drogas, nós conversaremos com ele, e se ele quiser se recuperar, mas de livre e espontânea vontade, é claro e evidente, porquê não é nem por força e nem por violência tem que ser de coração e de livre arbítrio...e se ele quiser aí agente arruma uma vaga pra ele, e a vitória será nossa porque o inimigo, ele é derrotado, e esses vícios malditos, provem dele.

- É Tina!, você tem razão...mas seu pai!?.., você sabe que ele é muito radical com esse assunto de drogas, e ele sempre dizia e de vez em quando ainda diz que se um filho desse ou der pra ruim...que ele matava ou que ele mata...vamos abafar esse caso por um tempo de seu pai, pra não complicar as coisas até que tudo venha estar numa situação mais tranqüila e amenizada á depender da força de vontade de Juca, caso contrario!?.., eu não sei o que fazer filha..., eu estou sofrendo muito Tina!...

(Elas se abraçam solidárias).

- Calma mãe! Vamos orar e crer de coração e pensar positivo, que tudo vai dar certo, o nosso Deus, é um Deus de vitória, que quando promete!?, ele cumpre! E ele já nos prometeu que tudo aquilo que pedimos á ele crendo... (de coração?) ele nos dará!...desde quando seja para honra e gloria do teu Santo nome.

- É! Tina, vamos esperar no senhor!

Dona Helena após esse bate-papo com a sua filha fica um pouco consolada.       já são sete horas da noite, a hora em que seu Érico costuma chegar do trabalho, e       Juca da rua pra tomar banho, jantar e ir pra escola. Dona Helena faz o café e esquenta a janta enquanto Tina se apronta pra faculdade.

Tina tem vinte e cinco anos e é uma moça bastante dedicada aos estudos, e estar cursando o segundo ano de medicina, ela também é uma jovem cristã e muito temente a Deus.

Juca é um jovem que tem vinte anos e estar cursando Engenharia Eletro-Mecânica e não se firmou no Evangelho, assim como Érico que também não se entronizou. Dona Helena e Tina, logo após seus afazeres, sentam no sofá pra assistir um programa na “T.V”, quando de repente chega seu Érico cansado da luta acionando a Campânia:

TRIN DON! TRIN DON!

- Oi meu bem!

- Oi amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
!, você ta bem querida?

- Tou Érico!

- Oi pai!

- Oi minha filha!...Juca já chegou gente?

- Já deve estar vindo aí bem!

- Eu comprei uma calça e uma camisa bacana pra ele, e uma maquina fotográfica das boas pra você minha filha!

- Oba! Que legal! É bonita!, jóia! Gostei! obrigada meu pai, você é uma benção!...eu estou muito alegre com esse presente...eu estava mesmo precisando de uma maquina pra tirar as minhas fotografias em lugares turísticos e ecológicos, e também lá na escola com os colegas principalmente nas festividades do resultado final logo após nossa vitória pra lembranças e boas recordações.

(Toca a campanha).

TRIN DON – TRIN DON

- Juca é você? Pai comprou uma camisa bonita de marca e uma calça chocante pra você!

- Que legal! Valeu pai.

- Não foi nada meu filho, você merece.

- Obrigado pai, dei valor se der em mim, eu já vou pra escola com essa calça hoje mesmo, e a camisa eu visto amanhã; olha pai eu já paguei a conta da água, do telefone e da luz que você me pediu e também concertei a instalação do farol do carro, e já troquei o óleo que o senhor também pediu.

- Certo Juca, você é jóia filho! Se adiante agora se não você vai chegar atrasado na escola, eu tou torcendo pra ver você já formado, eu quero ver você um engenheiro eletro-mecânico de primeira, e eu me sinto orgulhoso, esse é um sonho de todo o pai que gosta do filho, o       sonho de vê-lo feliz, de vê-lo realizado, e a minha Tina daqui um dia já é uma doutora, uma médica clínica, e eu fico muito feliz disso quem me dera! Um dia desses eu vi vocês bebês, eu carreguei-os no colo e dei de mamar aos dois.

- Pai!? O que é isso pai? O senhor nos deu de mamar? Que conversa estranha é essa?

(Gozação)

- Juca meu filho, pare com essa gozação, o que eu dei de mamar era mingau de mamadeira!

(Juca sorrir)

- Eu ainda me lembro quando vocês estavam aprendendo a andar, eu e a sua mãe ficávamos caducando com vocês agente dizia – dandar Juquinha! Denguinho de papai e denguinho de mamãe! Dandar Tininha! Denguinho de papai e denguinho de mamãe! Vocês ficavam tão empolgados levantavam e caiam até que aprenderam a andar cresceram e hoje estão aí, sendo os orgulhos da mamãe       orgulhos do papai, isso é motivo de felicidade, e por isso eu sou um pai feliz e a sua mãe também é muito feliz.

-Seu Érico abre o coração se expressando com euforia a sua grande alegria, prestigiando os filhos que tem...mas logo uma indiferença tira o brilho e o colorido desse ambiente festivo, é que dona Helena se lembra da visão que teve com Juca, lá no morro do águia, e até meio e sem jeito pra concordar com o que Érico fala. Juca também se embalança perturbando-se, Tina fica sem sal, assim meia sem jeito, e Érico percebe algo de estranho entre os semblantes de todos, mas dúvida e pensa que é só uma impressão e conclui falando assim:

- Gente, como o tempo passa rápido, passou tão rápido como um vôo de foguete como um estrondo de um trovão, e como, um raio lá do céu... num instante vocês cresceram.

Dona Helena olha para       Juca muito séria, demonstrando a sua preocupação e insatisfação, e ele sente o impacto e fica meio ressentido num ressentimento de quem deve alguma coisa, mas ele se desfaça meio sem jeito, e desconfiado de que estar acontecendo algo errado, mas

- O que será que estar acontecendo!?...

-E a sua cabeça martela introspectativamente, numa natural preocupação, mas ele não fala nada por enquanto, preferindo ficar calado e se reserva nesse silencio bastante curioso e apreensivo e logo em seguida, ele toma um banho, se arruma, janta e vai pra escola, e no outro dia de manhã quinta-feira, dois de setembro, a sua mãe e Tina chamam ele no eixo, aproveitando que seu Érico já estar no trabalho.




CAPITULO II



- Juca meu filho!? Eu estou precisando ter uma conversa muito séria com você.

- Sobre o que é mãe?

- Filho!..., eu e Tina estamos muitíssimas preocupadas com você e estamos muito insatisfeitas! Eu tive uma revelação lá na igreja mesmo assim com você!...

- Dona Helena conta a revelação e Juca fica espantado porque tudo como dona Helena contou, foi do mesmo jeito que lhe aconteceu e ele viu que não tinha pra onde correr e contou-lhe toda a verdade, bastante atemorizado:

- Mãe!? É verdade mãe, eu estou envolvido com drogas sim.

-Juca contou isso chorando angustiado e envergonhado por saber os pais que tem e que não merecem essa horrível e decepcionante noticia.

Também choram dona Helena e Tina angustiadas, surpresas e abatidas com o impacto da noticia confirmada, e em seguida dona Madalena se desabafa em prantos falando e exortando a Juca:

- Meu filho!..., eu sempre procurei o melhor pra você! Eu tanto sofri por você e seu pai também meu filho! E agora recebo essa noticia bomba? Essa noticia de desgosto! Você quer matar a sua mãe meu filho?

- Eu sei mãe um pouco do quanto a senhora já sofreu por mim mãe, e só esse pouco que eu sei, foi muito sofrimento e seu estou sofrendo muito com toda essa situação porquê eu gosto muito de vocês, o meu coração estar rasgado! Eu estou me sentindo um lixo! Lá em baixo, no fundo do pouço e estou muito envergonhado com tudo isso, mas foram muitos problemas       que me afligiram e que me levaram á essa alternativa, e eu até relutei comigo mesmo pra não entrar nessa vida marginal das drogas, e quando eu parava pra meditar, e via o grande amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
de vocês para comigo, eu ficava ressentido e em crise de consciência, sentido que vocês não mereciam isso de mim mas infelizmente o meu sofrimento pesava fortemente sufocando uma opressão como quem estar mergulhando a morte, sem ter ninguém pra socorrer...que sofrimento terrível me deixando muito abatido, e deprimido...muito...e eu só pensava em suicídio, tudo isso por causa desses conflitos estranhos dentro de mim e por causa também de uma grande timidez, talvez proveniente desses mesmos conflitos, timidez essa que me atrapalhava e ainda me atrapalha muito de eu namorar com alguém mãe!

Tina!?...eu já me apaixonei por tantas garotas, mas quase nunca tive a coragem de chegar à elas pra paquerar e assumir um namoro firme, e se bem que eu até tentei algumas vezes, depois de muito ensaios algumas palavras de galanteios, mas na hora “H” em que eu chegava no lance?, aí me batia um branco na mente e me dava aquela tremedeira que só Deus sabe! Faltando-me as palavras pra falar... e muitas meninas até já me demonstraram gostar de mim, e me acenaram com os seus flertes nos olhares, sorridentes pra mim, numa cobiça de quem estar mesmo afim e eu correspondi com o meu sorriso, e o meu coração pulou bem forte, a emoção explodiu no peito, soltou a adrenalina, mas me faltou a palavra pra me relacionar num bom assunto. Eu até quis fazer teatro pra tentar me libertar dessa timidez, mas a timidez foi demais que não deu nem pra eu tentar fazer teatro!, então pensei em me matar e aí pensei comigo mesmo: já que estou nesse terror a ponto de eu querer me matar! então antes que eu tire a minha própria vida, aliás eu até cheguei a comprar um revolver! E como eu ia dizendo; antes que eu tire a minha própria vida ainda vou apelar pela sorte, ou arriscando tudo? Ou nada! Aí eu disse: eu agora vou me alombrar com as drogas, já que eu estou mesmo no fundo do poço atolado nessa lama sem ter como sair, eu vou me alombrar, pra ver se nessa lombra, eu possa quem sabe, me transformar numa outra pessoa       e ficar cheio de álibe, ou seja, cheio de diálogo, com desembaraço e com desinibição pra eu conversar pra valer e ficar cheio de mulheres, nem que seja prostitutas. Isto porque eu estava revoltado comigo, e com muito ódio de ter sofrido muitas discriminações grupais das turmas ao qual eu me infiltrava, tentando ser um pouco social. Mas a maldita timidez não deixava e eu ainda relutei comigo mesmo, entre a cruz e o punhal, entre o meu sofrimento e certamente o de vocês de vim a saber que tem um filho e ou irmão drogado mas eu estava nas últimas, então como das últimas alternativas, entre a morte ou as drogas resolvi apelar pelas drogas como a única tentativa paliativa numa válvula de escape, ou mecanismo de defesa, pra amenizar meus       problemas, ou quem sabe, até me livrar deles.

Juca expressa as suas dores em seguida chora sem parar dizendo:

- Mãe! Me ajude mãe! Tudo o que eu quero é ser feliz! Tina! Ma ajude irmã.

Mãe e filho se abraçam chorando e se desabafando das dores.

Enquanto dona Helena chora abraçada com Juca, Tina também chora sentindo desejos de abraçá-lo. É o amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
, a solidariedade, e a compreensão que envolve-os mutuamente, num amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
ágape de Cristo, num amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
fraternal e num amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
maternal. Em seguida, Tina bastante comovida dar um conselho a Juca.

- Juca! Eu conheço pessoas que se envolveram com drogas e depois foram libertas em centro de recuperações evangélicos. E se você quiser, eu arrumo uma vaga pra você meu irmão, você ta precisando!... você quer?

- Tina eu vou pensar nesse assunto, eu tenho tantas coisas pra fazer e também tenho os estudos e não quero me atrasar.

- Mas Juca! Pra quem tava pensando em se matar, essas desculpas são esfarrapadas...com essas também de estudos? São puras hipocrisias, isso são desculpas esfarrapadas!

- Estar bem minha irmã! Me perdôe! Você tem razão, é que eu acho difícil pra mim estar longe de vocês por muito tempo e também distante dos meus amigos que eu gosto.

(Dona Helena) – Mas meu filho? Nós vamos lá sempre te visitar.

(Tina) – Olha Juca, lá você pode receber visitas da família sempre. Lá tem o tempo certo pra isso, e você pode nos telefonar, agente vai ficar com muitas saudades de você, mas a sua felicidade é muito importante, e quando você tiver feliz...nós todos também ficaremos felizes e eu tenho certeza que você vai ser liberto, e conseqüentemente feliz.. - Juca meu filho!?... Tina tem razão, você precisa dar uma chance pra si próprio, e quando você voltar, nós todos estaremos de braços abertos pra você, e também ajudaremos em que pudermos. Eu quero ver você feliz! Com estrutura emocional e com mais maturidade pra enfrentar a vida como ela é, e arrumar uma bela esposa que possa te completar que nem feijão e arroz, e que venha ser a sua costela esquerda pra te ajudar e pra te amar, num amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
puro e verdadeiro. E quanto a seu pai!?...por enquanto ficaremos em segredo, e quando você for, isto é se você quiser ir, é claro, aí contaremos pra ele, e pode ficar tranqüilo que vai dar tudo certo.

- Mãe, hoje é sexta feira, e daqui pra segunda eu te dou a resposta.

- Ta certo meu filho, eu vou esperar e se você quiser vamos a igreja domingo?

- Não mãe!... eu não tou com vontade não, e tenho vergonha, e ainda mais do jeito que tou oprimido, eu fico me sentindo todo estranho! E a depressão fica mais forte, não sei porque, mas quando estou no meio de muita gente, com a depressão a me perturbar, eu fico com um sentimento estranho, e cheio de desconfiança , achando que todo mundo ta me observando, mas acho que isso é decorrente dos problemas que sofro, misturado com a timidez.

(Tina) – Você vai ficar bom Juca!

(Dona Helena)       - Pense direito meu filho! Eu agora vou preparar o almoço, daqui a pouco é meio dia. Vocês querem talharim ou macarrão?

(Juca) – Eu quero macarrão.

- Eu também mãe.

- Enquanto dona Helena prepara o almoço, Tina, toma banho e Juca assiste TV, mas ele não consegue se concentrar direito no programa, preocupado com a idéia de ir pro centro de recuperação.

A sua mãe logo chama da cozinha.

- Juca!?..., Tina!?... o almoço estar pronto! Venham!...,

Após a refeição, Juca descansa e em seguida ele pega a bola e a rede de vôlei e vai para a rua tentar reanimar com uma higiene mental, pra ver se desabafa dos problemas e dos conflitos que lhe oprimem.




CAPITULO III



Juca faz uma caminhada de meia hora, até uma quadra de esporte na fazenda grande, que fica próximo ao bairro que mora, e quando a turma ver ele chegando faz a maior festa, por ver a bola e a rede na sua mão.

(Tuca) – Oi Juca!

- Diga aí rapaziada!, vamos bater um vôlei?

(Cesa) – Legal!

(Juca) – Zé e Carlinhos, armem a rede, tome ...que eu e o restante vamos marcar o chão.

(Zé) – Ta certo meu irmão, você não pede não, você manda!

(Juca) – Que é isso !? (lisonjeado).

Juca e sua turma já estão na quadra disputando entre si,       num agito de jovem desportista correndo pra lá e pra cá,

dando saques...mergulhando, batendo e rebatendo em bates e rebates, com armadas diagonais, tem até jornadas na estrelas e saques intergalácticos – via lácteas...cometa Halley... saque lunático...       entre animo e emoções, sangue quente nas veias com muito       suor       nos corpos...sob o bronze do sol.

Após a partida, Dico e Cesa chama Juca pra fumar uma coisa, ou seja, um cigarro de maconha:

(Dico) – Juca! Vamos botar unzinho? É cabeça de nego brodther, sinta só o drama dos camarões, olha essas berlotas são umas berlotinhas daquelas...dar pra ficar doidão, agente dar umas bolas na boa e depois vamos paquerar as meninas, daquela escola da Ribeira, lá tem cada brotinho massa, de alegrar o coração, cada broto o ouro! Nós botamos colírio nos olhos pra tirar de tempo, e depois tomamos um refri e em seguida mascamos uns chicletes ou então chupamos uns Hallis de cereja, de menta ou de limão, pra tirar o bafo da maconha, vamos lá Juca?..., a área deve ta a maior limpeza!...

(Cesa) – É Juca!.., Dico ta em cima com a boa, vamos lá! Possa crê maninho!, vamos nessa!?..

- Olha Cesa!?..., olha Dico!? Eu estou muito confuso, e tou querendo dar um tempo pra refletir melhor, estou cheio de problemas, e além do mais já sujou forte lá em casa...a minha mãe e minha irmã já estão sabendo de tudo, elas já sabem que eu estou envolvido com drogas e estão sofrendo muito com isso, mas ainda bem que meu pai não sabe, e se ele souber eu estou arrasado. Estou até pensando em ir pra um centro de recuperação, pra me libertar das drogas e mudar de vida.

(Dico) – Qual é a sua Juca? Que papo careta é esse? Pôxa!?..., eu estava pensando que você fosse mais

cabeça, qual é? Ta marcando bandeira meu irmão? Você com essa estória lá na galera do mau, já tinha tomado uns bolos, e ainda virado a maior comédia. Se plante Juca! Qual é?...

- Dico, eu sou livre pra fazer o que quero, se eu quiser fumar, eu fumo...se eu não quiser, eu não fumo, a decisão é minha, eu tenho o meu livre arbítrio contra lei!? É claro!

- Ta certo também!...É Dico!? Juca tem razão, o homem é livre pra escolher o seu próprio destino, até mesmo de ir pro inferno e ninguém pode impedir... nem a lei!...porque os escuros de muitos caminhos cega ela disso, e porque também a lei dos homens não é nenhum Deus.

- Você tem razão Cesa!, me perdôe Juca! Eu fui um pouco exaltado e extrapolei os limites, é que eu me deixei levar pelo costume da malandragem da pesada, mas a nossa cultura é outra, é!, as vezes eu me deixo levar pelas influências negativas dos malucos...por orgulho “dente por dente”, e “olho por olho”. Tipo estar manso e maneiro, mas realmente sendo selvagem. São os efeitos da maconha que já vem mudando nosso comportamento gradativamente à cada dia, mas já por quatro anos consecutivos       no uso, em meio a uma influência paralela entre os estudantes e entre os marginais, eu atrair os reflexos, absorvendo seus fluidos negativos quase e sem querer, imperceptivelmente, e as vezes me embalança um ar de impiedade em mim, numa maliciosa maldade, bem nas manhas, ou na maré mansa, como se tudo fosse natural!, a minha cabeça agora diverge entre a nossa estrutura familiar e de uma cultura escolar, com as regras impostas na sociedade marginal...de um certo modo, isso pra mim ta legal, porque eu sei como entrar nas bocadas em qualquer boca pesada...qualquer boca quente por aí, e me sair numa boa, sendo considerado por quase todos como um malandro que se planta, e também sei como me relacionar com os meu colegas da escola e de outras áreas, apesar das minhas falhas algumas vezes, mas eu só não consigo ficar de cara, que eu fico todo terapêutico, num vazio tremendo, como um verdadeiro João ninguém, eu tenho sempre que fumar pra fazer a cabeça e ficar legal. Sem       maconha eu sou careta e quase que nem consigo sorrir pra ninguém, as vezes fico até enfezado, até um pouco bruto, agressivo mesmo, sem estorinha de CAÔ, nem conversa pra boi dormir, o negocio é sério, mas sério mesmo!, isso é porque eu sou muito viciado. Vocês já viram um gorila faminto olhando para um cacho de bananas sem poder pegá-lo?, ele fica irritado assim sou eu quando fico uns dias de cara, e por isso, eu também, digo de passagem, eu sou muito mais que um viciado...eu sou totalmente dependente da erva, e aí já viu como é que é...Juca... se você quiser tudo bem! Se não!?...Nossa amizade continua sendo a mesma, eu e Cesa vamos dar umas bolas, se você quiser umbora, se não! É nenhuma! Amanhã agente se bate na quadra.

- Ta certo Dico mais Cesa...eu não tou querendo não... amanhã agente se ver: eu quero refletir melhor sobre a minha vida.

Juca se despede de Dico e       Cesa, e vai pra casa. Enquanto isso Tina e sua turma da escola se concentram no laboratório da Faculdade de medicina pra fazer uma pesquisa sobre células. Célia...professora de Tina, organiza todos ao redor do microscópio e faz       comentário do estudo:

- Gente prestem bem atenção, que eu vou explicar tudinho nos mínimos detalhes. Observem o microscópio de um...em...um...ou seja, um após o outro, e assim sucessivamente, sem saírem da fila. E vejam as células de um pedacinho de cebola. Vejam como elas Se movimentam? Analisem bem e me digam só o que foi que vocês viram.

Pronto...agora eu pergunto para vocês, o que foi que vocês viram?

Fábio!?... O que foi que você viu?

- Célia, eu vi um bocado de bolinhas miudinhas de diversas formas e vários tipos diferentes com os seus movimentos diversificados circulando pra todo lado sem parar num tal de corre-corre pra lá e pra cá sem ter fim. Um negócio incrível!...(risadas)

- E você Tina?, o que foi que viu?

- A mesma coisa que Fábio, Célia.

- E você Sônia?

- Ah!, eu vi uma coisa muito louca, há, há, há esquisita e engraçada! Há, há, há, parecendo umas formiguinhas malucas num corre-corre sem parar da televisão, quando ela estar fora do ar, e com interferência e descontrole na vertical, na horizontal, diagonal, e tudo que é forma de posições etc. há, há, há, engraçado e eu vi tudo azulado, puxa! Legal!       (risadas)

Todo mundo sorriu com o senso de humor da Sônia, ela é muito engraçada, enlouquente e extrovertida, e Célia ainda em risos, pergunta pra Márcia o que foi que ela viu:

- E você Márcia?... o que foi que viu?

Olha Célia, há, há! espere aí, deixe-me parar de rir que eu falo.

Aí eles não agüentaram e começaram a rir sem parar, mas logo, todos se controlaram e Márcia ainda sorrindo fala:

- Célia! Eu vi um bocado das bolinhas que o Fábio viu e também um bocado das formiguinhas que a Sônia viu, essa mistura azulada!...

(Risadas)

- Olhem gente, essa experiência magnífica, são as células de um pedaço de cebola se movimentando desta forma aí que vocês viram. E essa substancia azulada, é corante chamado azul de metileno.

E o conceito de célula é: célula é a unidade morfológica e fisiológica do ser vivo. As células se dividem em três partes: membrana, citoplasma e       núcleo.

Logo após os estudos, Célia, tina, Sônia, Márcia e Fábio, saem das suas pesquisas alegres e satisfeitos, e trocando idéias sobre o futuro. De repente, Tina se lembra de Juca e logo se entristece. Célia percebe a sua tristeza estampada na face, e pergunta o que é que foi:

- Tina!?, o que foi?, o que é que você tem?

- É meu irmão Célia!, depois agente conversa sobre isso.

- Ta certo...amanhã eu vou pra praia!, quem quer ir comigo?..., ta parecendo que o sol vai ser de rasgar pelo que foi na tarde de hoje, e eu aproveitei pra pegar um bronze pra ficar bem moreninha.

- Você vai pra que praia Célia?

- Pra Piatã, praia doa artistas, Jaguaribe, ou Stella – Mares Sônia.

- Eu vou pegar a sua carona.

(Tina) – Eu também vou!

(Márcia) – Eu também!

(Célia) – Que Jóia!, Maravilha que todo mundo vai!, até Fábio.

- É Célia!, eu vou sim, e vou levar a minha gatinha comigo, ela é o amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
da minha vida, vocês vão gostar dela.

- Ta certo, então fica assim, amanhã agente se bate as oito horas da manhã na porta da escola, e de lá vamos pra praia, vamos todos no meu carro. Tchau gente! Até amanhã.

-São neste momento precisamente cinco e trinta da tarde.

Chegando Tina em sua casa, ela encontra Juca grilado, encucado numa revista, sentado no sofá enquanto isso dona Helena estar no quarto orando, e seu Érico estar no trabalho.

- Juca!?...

- Oi Tina! Como foi a pesquisa?...

- Foi sobre células, e foi bastante divertida. Nós demos muitas risadas com Sônia e com Márcia, elas são bastantes engraçadas, um dia quem sabe te apresento à elas, você vai gostar! Agora vou tomar um banho, que eu estou suada e cansada foi um agito de lá pra cá, que coisa!?, só você vendo! O ônibus estava super lotado, com um tal de empurra-empurra pra as pessoas conseguirem passar pra frente, que só a misericórdia de Deus!....às vezes até, um pisa no pé do outro. Mas ainda eu vou me ver livre desse sofrimento, eu vou lutar pra que logo em breve eu possa comprar um carrinho...eu quero um FIAT ou um Vectra bem bonito, zerado do ano, Deus será comigo, Deus proverá!

- Eu tinha vontade de ter uma moto Tenerê, aquela bujuda da Yamaha, ou uma CBX aro (7.50) da Honda, uma Suzuki, ou Kawazaki, ou Amazonas ou então um Bugre zangado daqueles largão, com os pneus gigantescos e talargas de avião pra eu sair tirando minha ondinha de gatinho por aí, com o meu brotinho do lado, más? Um?..., os conflitos? Os conflitos que me perseguem!?, me abatem, me sufocam! Me deprimem e lá vai os meus sonhos e as minhas vontades!...

- Juca meu irmão!? Você vai ficar bom e tudo vai dar certo pra você, tenha certeza disso. O choro pode durar

uma noite! Mas a alegria vem pelo amanhã! Creia nisso Juca! Agora eu vou aqui tomar o meu banho!

Juca volta à leitura preocupado, com as sua cabeça dividida em dois trópicos. Entre as matérias da revistas e a idéias de ir pro centro de recuperação. E ao olhar um certo texto?, ele ver algo sobre comportamentos, complexidade dos sentimentos, e família...num assunto de psicologia, com alguns testemunhos de pessoas que fizeram psicoterapias e ficaram fortes pra vencerem alguns casos um pouco semelhante ao seu. Ele fica um pouco motivado e esperançoso, como quem achou o ouro que estava enterrado nas pepitas do garimpo da Serra Pelada, ou outros garimpos.

E aí?... TRIN! DON! Toca a Campânia, alguém estar na porta:

- Oi Juca!

- É você Vera!?, tou até surpreso com isso!, você não é de vim aqui!?

- É verdade!, sabe o que é Juca!?, é que eu estou precisando de um livro de português que contenha técnicas de redações pra eu fazer um trabalho, você tem aí?

- Aqui em casa tem vários. Entre e sente-se, fique á vontade, que eu vou lá na estante pegar uns pra você. Sinta-se em sua própria casa!

-Enquanto Juca estar na estante do seu quarto e Vera na sala esperando, Tina sai do banheiro e quando ver Vera fica também surpresa com a sua visita inesperada, achando muito estranho este fato de morar perto da sua casa e tantos anos, mas sempre indiferente e nunca teve essa aproximação. Tina cumprimenta-a:

- Oi Vera!?, tudo bem !? que novidade é essa? Você por aqui?

- Tudo bem Tina!..., é realmente uma novidade! Sabe o que é, é que eu estou precisando de um livro. Eu já pedi pra Juca emprestado e ele foi pegar e você como é que ta? Tudo bem com você Tina? Você ta bonita em?

- Que é isso Vera!? (lisonjeada). Bem e como ta a sua mãe?

- Ela também vai bem!       A minha mãe te admira muito sabia? Ela acha você uma pessoa muito educada!...

- Obrigada! Eu fico contente em saber...Vera!...olha vera!...me der uma licencinha aí rapidinho...eu não demoro não...eu volto logo...não me leve a mau não! É que eu vou me arrumar!...eu tou um pouco atrazada...Fique a vontade! Deixe-me ligar a TV pra você!...com Licença Vera.

- Pois não Tina!

Quando Tina sai pra se arrumar, Vera toma a ousadia de ir ao quarto onde Juca estar, e pergunta pra ele.

- Juca? Você achou o livro? Você quer que eu te ajude a procurar?

- Já achei alguns, mas tem outros entocados por aqui, eu tou querendo pegar um monte pra selecionar alguns mais informativos pra te emprestar você pode me ajudar? Estão por aqui!

- Licença Juca, você tem um bocado de livros! E essas revistas de quadrinhos e também essas evangélicas são suas? E você gosta mais de qual?

- Aí tem livros e revistas que me pertencem, e também tem de minha mãe e de tina. E eu gosto mais de ler esses de romances de Drumont, de Jorge Amado, essas poesias de Castro Alves, essas crônicas de Fernando Sabino, e esses romances aí da série Vaga-lume, Spharion mesmo é um bom livro e O menino de asas também... Jorge amado...eu já li O mar morto e também

Jubiabá, também já li um pouco de Gregório de Matos, Capinam e outros como Cecília Meireles, Freud. Desses que eu li, eu gosto também da revista Veja, globo Ciência, e algumas outras...mas a Bíblia, apesar de eu não ser cristão, é o livro que eu mais gosto de ler. Nela contém sessenta e seis livros diferentes e muitos inspirados... e quando eu leio, eu fico muito inspirado, e me edifico bastante...sinto vida...sinto liberdade...

A Bíblia tem muitas palavras vivas, que nem se compara ao outros livros!

- Você ler bastante né Juca!? Eu não sou muito chegada à leitura não! Sei lá?... eu acho que estudar demais pode pirar a cabeça!

- Que nada!... isso é você que ta dizendo! Os grandes homens, os grandes sábios e filósofos como Aristóteles, e cientistas como Louis Armstrong, Eisten... Robert Hook, Thomas Edson, etc e matemáticos como Oswaldo de Souza por exemplo, foram pessoas que estudaram bastante e no entanto não piraram, eles ficaram foi mais inteligentes... você já reparou os artistas de novelas e de cinema? Eles estudam bastante os seus script´s, e no entanto estão aí, inteligentes e criativos! E sem essa de piração!

Enquanto Juca fala, Vera se disfarça e pega um pó de “pemba” do bolso...pemba é um pozinho branco       de

ossos de defuntos que se usa na macumba       em bruxarias, em feitiçarias. Ela põe a pemba dentro de alguns romances e revistas prediletas de Juca pra enfeitiçá-lo, enlouquecendo-o, e ele não percebe nada, concentrado nos livros. Após essa armadilha malvada, ela diz pra ele:

- Juca!, aí já estar bom depois...depois eu pego o restante.

Vera pega os livros, agradece e vai embora. Chegando em sua casa, ela diz pra sua mãe dona Madalena, macumbeira das brabas:

- Mãe eu fiz o que a senhora mandou, eu pus a pemba nos livros e nas revistas que ele mais gosta de ler.

- Isso!... minha filha, agora aquela crente vai ver com quantos paus se faz uma canoa. A pemba já foi posta, e hoje mesmo a meia noite, agente vai botar um despacho na encruzilhada para o exu-caveira, xangô e para Oxossi. Eu já preparei o ebó. Tem um galo preto, farofa de azeite, sete velas brancas, uma garrafa de cachaça, sete charutos, caruru, vatapá, mungunzá e pipocas. E as outras oferendas pra oxum e pra iemanjá!?... nós compraremos amanhã na feira de São Joaquim...Vera, prepare as folhas de alfazema, que nós vamos tomar um banho de folha ainda hoje pra descarregar os troços ruins pra que não venha ter nenhum empecilho na macumba. Eu vou invocar os caboclos, os de orixás e todos os guias!, já tem muitas cervejas aí pro Marujo. Eu hoje vou rodar a baiana!... e até Preto Velho vai baixar hoje no terreiro...Eu só quero ver a destruição e a falência daquela família. Vera vamos mostrar que somos melhores de que aqueles metidos a besta!

- A senhora ta certa mãe! Nós podemos ter uma casa melhor do que a deles. Brevemente eles vão ficar que nem doido pra vender tudo, pra pagar tratamento pra Juca, aquele miserável. E vão perder tudo, eles vão cair na pobreza, e vão ficar nas sarjetas mendigando migalhas, raspas e restos numa vida de penúria! E o dinheiro de toda a venda não vai adiantar nada porque nenhum médico vai poder curar o desgraçado do Juca. Quem é       que pode com os nossos caboclos? Afinal quem é que pode? A senhora se lembra mãe!? A senhora se lembra que agente fez aquela bruxaria pra ele adoecer com os conflitos espirituais e com isso ter que se envolver com drogas, pra ser difamado, e ser descriminado pela sociedade na intenção de afetar aquela crente com toda a sua família!? E hoje ele estar aí, oi!, tão arrasado que não consegue namorar com ninguém , a não ser quando se droga!

- É verdade filha! Ogum de sete espadas e a pomba gira, tranca rua, omolum, baixaram ontem no terreiro e me falaram tudo. Eu vou cuspir no chão. Eu quero só ver se antes do meu cuspe secar se aquele desgraçado não vai estar na sarjeta sofrendo cheio de dores! E o meu ódio todo dele? É mais por causa da sua mãe, porque na verdade eu tenho muito ódio dela e eu quero mais é que ela morra!, mas antes disso, eu ainda quero ver ela sofrendo muito com o seu filho Juca, é assim que eu piso em pessoas do tipo dela, eu massacro mesmo! Ah! Como eu massacro!, ah! Eu sou muito vingativa, brinquem comigo? Hum! Assunta só minha filha! Vera aquela mulher vai sofrer tanto com o seu filho Juca, que você não queira nem saber e       quando ela não agüentar de tanto sofrimento, aí ela se mata, ela mesmo vai se matar, eu vou invocar um espírito de suicídio lá no terreiro pra ela, e não vai ter pra onde ela correr. Quem é que pode com uma boa ialorixa?, e quem é que pode com os nossos caboclos, ela não diz que é crente? Cadê o seu Deus que não livrou Juca das minhas macumbas?

- Mãe, vamos preparar logo tudo e depois do despacho para enfeitiçar ainda mais Juca? A gente acende as velas lá na igreja do Bonfim. A pemba já estar lá nos livros e nas revistas que ele mais gosta de ler, e depois do ebó?, não vai ter pra onde ele correr.

- Vera e dona Madalena, após essa conversa, se preparam para o ritual lá no terreiro, numa fusão de umbanda, quimbanda e candomblé. São esses       três sincretismo religiosos, lá no terreiro que elas congregam.

Após a sessão maldita, elas largam os seus despachos na encruzilhada da rua que Juca e elas moram...pois, elas são da mesma rua.

Passando sexta-feira...essas macumbeiras já tendo realizado os seus intentos malignos...Ficaram descansando.

Enquanto isso, abre um forte sol numa manhã de sábado, com os seus raios a irradiar a terra num resplendor de primavera.

Tina mas suas colegas, Fábio com a sua namorada já se preparam para irem a praia.

Tina telefona pra confirmar com Célia:

- Alô!? Célia? Tudo bem! Você dormiu bem? E a praia?

- Ô Tina!, é você!? Menina eu tou maravilhosamente bem e eu dormir bem! Eu tive um sono de pedra que chegar acordei sorrindo, e eu já tomei café e já me arrumei, eu

estou pronta, telefone pra turma, que eu vou por gasolina no carro, aqui no posto, perto da ladeira dos Galés, e vou ficar esperando vocês na porta da escola. Daqui pra federação, eu faço em dez minutos no máximo. Você de São Caetano?..., eu não sei!...Sônia mora no Canela é rapidinho!, Márcia mora lá na Liberdade, e de ônibus deve ser uns vinte a trinta minutos, a depender do trânsito. E Fábio mais a sua namorada mora na Graça, deve ser uns dez minutos. Eu vou ficar esperando vocês na porta da escola, não demorem! Olha! Eu vou trancar o carro e vou ficar de fora um pouco distante, você sabe que aqui nessa Bahia, aliás em todo o País, pra não dizer no mundo inteiro estão cheio de marginais e assaltantes estão aí por todo lado. Você ouviu e viu o caso de Leonardo Fareja, e outros casos nas noticias. Sei lá?...

pode ser que algum louco possa querer me seqüestrar; os seqüestros estão por aí também...ou algum assaltante possa querer furtar o meu carro, possa ser até que ele ainda me mate com um tiro na testa, ou com um tiro no ouvido, ou no coração, sei lá?, nunca se sabe!, você também viu aquele caso daquela mulher do Escort vermelho       lá na BR 101, ali depois de Feira de Santana, em que quatro elementos       a assaltaram e depois mataram a queima roupas!?

- Que mundo nós estamos não, é Célia!?

- É!, e eu não tou querendo ser mais uma vítima à morrer deixando tudo aí, sem saber pra onde eu vou, por causa de um simples carro, à cobiça de um frustrado, revoltado, inconseqüente, delinqüente, malvado. Eu amo a minha vida, e ainda quero viver muitos anos. Por isso eu vou ficar fora do carro, num lugar movimentado. Vocês já conhecem o meu carro, aquele Kadet azul piscina metálico. Vocês confirmam se é realmente o       meu carro por aquele adesivo ecológico e protestante do Ibama à favor da natureza. Esse adesivo tem dois micos leões dourados empendurados numa galha de arvores. Venha logo! Não demorem! Tchau!...

- Tchau Célia!

- Tina minha filha!... você acordou cedo hoje!

- É que eu vou à praia pai. Minha mãe já acordou?...

- Já?, você viu a noticia ontem, minha filha? Esse Brasil ta demais!...

- eu não vi não meu pai, mas ainda agora eu estava conversando com Célia sobre violência! E ta mesmo demais meu pai!

- E como ta Tina!, é avião que desabou!, é guerra não sei aonde, é fome em tal lugar, um assassinato aqui! Um crime acolá! A pobreza cresce cada vez mais! É pai estuprando       filha, filho estuprando       mãe! São homens pedófilos abusando sexualmente das crianças, estuprando-as, induzindo-as estupidamente, cruelmente, e barbaramente, numa terrível violência...induzindo-as ao homossexualismo, forçando os pobres coitados indefesos, sem terem como eles revidarem pra se livrarem das guerras malditas desses monstros maníacos, transviados em seus sentimentos morais desprovido de vergonha, não passando de sem vergonhas imorais, pervertidos em suas aberrações cheia de vandalidades...isso é um cúmulo! É um cúmulo da subversão humana, como em Sodoma e em gomorra.

E a estória do maníaco do Parque? Francisco o moto-boy? Que fez aquelas desgraças, estuprando mulheres, depois matando barbaramente, e comendo monstruosamente mastigando alguns dos órgãos ninguém sabe mais quem é o gato!... quem é rato!?.., quem é Tom e quem é Jerry?, quem é Gargamel, ou quem é Cruel!? Isso sem falar nas donas de prostíbulos que exploram as crianças desde cedo induzindo-as       a se prostituírem com tudo o que é tipo de homem que pagam qualquer dinheiro...qualquer mixaria! Sei lá quanto! Pra poder fazerem sexos obscenos, como porcos nos chiqueiros, sem amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
, sem afeto, e sem compaixão, mas só por um prazer animal...aliás diabólico!!!...nem animal é...diabólico!!!...de simples momento, e depois dão os seus desprezos as crianças... que apenas ficam com um dinheiro, que malmente vai dar pra pagar um tratamento pra suprir as necessidades das suas saúdes, nas suas doenças venéreas, isto é, se tiver cura!?... A AIDS mesmo não tem cura! A AIDS mata.

- Isso é fim de mundo pai!

- É mesmo minha filha! E nos hospitais       estão cheio de pessoas doentes, com poucos recursos pra se tratarem, e tem muitos médicos bons por aí! Mas também na medicina estão cheio de médicos materialistas, sem ter amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
com os seus pacientes e se o paciente tiver dinheiro, eles tratam bem!, se não! Eles dão o desprezo. É minha filha! É a tal da estória do capitalismo selvagem, e de homens primatas, como dizia os Titãs. Esse país...

Esse mundo estar um verdadeiro hospício, um sanatório ambulante!, sem as maças pra socorro, e haja psiquiátras! E como dizia Silvio Brito: - espelho! Espelho meu!?, existe alguém mais louco do que eu?.

- Ai... Se eles olhassem direito pro Brasil!? Que loucura minha filha! Parece o fim do mundo!?. Os homens estão vendendo os seus órgãos pra traficarem cracks, cocaínas e outras drogas. Eles vão aos médicos clandestinos fazem cirurgia pra abrirem os seus próprios órgãos, e põe drogas nos seus estômagos, ou intestinos, ou sei lá aonde! Pra conseguir traficar , e depois torna a abrir os seus órgãos novamente, pra retirar a droga.

- Isso é um absurdo pai!

- O que é que estar acontecendo com essa gente? A ganância estar de mais, o amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
ao dinheiro ta falando mais forte, do que mesmo o amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
pelo próximo no coração de muitos homens. Aonde é que nós vamos parar?

- Eu tenho certeza que vou parar no céu!

- Sei lá!? Eu acho que o diabo existe mesmo minha filha!..

- Pai!? O diabo existe mesmo meu pai e essas coisas ruins acontecendo não só aqui no Brasil, mas em toda a face do planeta? São anjos demoníacos pra tragar muita gente pro inferno. O mau estar aí com suas maldades, anunciado a existência do diabo, só não ver quem não quer, ou quem se faz de cego, ou quem estar com a mente cauterizada, porque a Bíblia diz que o diabo, o nosso adversário, cegou o entendimento dos incrédulos, para eu eles não enxerguem e lhes resplandeçam a luz do Evangelho da Glória de Cristo que é a imagem de Deus. E só Jesus Cristo é o único e verdadeiro caminho. Aceite a Jesus Cristo meu pai!

- Minha filha! Você tem toda razão, mas vou dar mais um tempinho!

- Mas o tempo não para pai, e amanhã pode ser tarde demais. Você viu Cazuza? Ele mesmo dizia: “O tempo não para” e esse tempo realmente não parou, e o devorou na sua estrada, e ele morreu todo arrasado, corroído pela AIDS. E se morreu sem Cristo!?...misicórdia!!!... Mas se ele aceitou no último instante de sua morte? Possa ser que ele esteja lá no paraíso, eu digo possa ser. É que as vezes espíritos das trevas se apoderam do corpo da pessoa, de maneira que não dar tempo pra ela receber libertação nos últimos instantes, mesmo ela aceitando a Jesus Cristo, porque necessitaria de que algum Cristão fizesse uma oração de libertação por ela, e tem casos que até só com oração e com jejum para que a pessoa seja liberta. A Bíblia diz que tem castas de demônios que só se expulsam por meio de oração e jejum. E sendo assim não daria tempo pra uma pessoa, nesse caso aí, ser liberta, pra ser salva, aceitando a Jesus no último instante da sua morte. E Cazuza? Só Deus sabe! Se foi pro céu!?...Deus sabe!!!... só Deus sabe!!!... pense nisso pai! As coisas ocultas pertence a Deus.

- Eu vou pensar nisso Tina.

- Ta certo pai. Agora eu vou aqui dar uns telefonemas. Eu já estou de saída, tou até um pouco atrasada e não posso demorar nem mais um só pouquinho que seja, se não Célia vai ficar uma arara, ela vai ficar jururu comigo, e Deus me livre disso!

- Tina telefona pra suas colegas e pra Fábio confirmando o compromisso e em seguida pega um táxi pra ganhar tempo. Enquanto isso, Célia já estar na porta da escola a sua espera, e também do resto da turma. E ela num instante acaba de chegar:

- Oi Célia, demorei?..

- Não Tina eu cheguei agora e estacionai o carro ali. Você ligou pra todos?

- Sim, e já estão vindo aí!

- Oi, Célia! Oi Tina! Essa é Lúcia! Minha namorada.

- Oi Lúcia!, tudo bem? Meu nome é Tina! Prazer em conhece-la!

- Oi Lúcia!, o meu é Célia, prazer!

- Prazer, o prazer é todo meu. Fábio me falou bem de vocês, e me convidou pra essa praia, e eu estava mesmo precisando de tomar um solzinho, sol faz bem pra saúde, é bom pros ossos, e também pro sangue, pros nervos, e pra pele, com exceções de casos especiais e de casos delicados como no caso de câncer de pele por exemplo, ou é até mesmo prejudicial em excesso.

(Tina) – É verdade Lúcia, eu já vi uma menina toda desidratada e com insolação por causa de excesso de sol no corpo sem tomar os devidos cuidados, os cuidados necessários. Ela tava lá no Pronto Socorro do “’HGE” quando eu há vi.

(Célia) – Eu também quase fiquei assim gente, mas tomei um soro caseiro e fiquei boa rapidinha.

(Fábio) – Soro caseiro é aquele que se prepara com açúcar e sal num copo de água não é?

(Célia) – É! Mas eu preparei foi um litro de vez, e fiquei tomando aos poucos, e, me re-hidratei, bem rápida. Foi vapt-vulpt. Olha só quem vem aí? Sônia e a Márcia!

(Sônia) – Oi! Pessoal!... demoramos!?

(Célia) – Não! Vocês estão em tempo.

(Márcia) – Pelo que eu to vendo, eu acho que você é a namorada de Fábio! O Romeu       e a Julieta!.., mas vivos!, e vivendo pra viver. A vida é muito Linda, e o amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
? Ele é de mais! Você! É a gatinha de Fábio!?

Como é o seu nome?

- Lúcia!...Gostei de você Márcia, você e simpática, aliás gostei de todos vocês! Vocês são simpáticos.

(Célia) – Vamos pro carro gente. Vocês preferem que praia? Vamos pra Stella - Máris?

(Fábio) – Vamos!

- Todos concordam unicamente.

(Tina) – Célia, eu trouxe uns discos CD`s Evangélicos comigo. No seu rádio pega CD?

- Pega! Disponha Tina! O rádio é todo seu, você manda e não pede.

- Eu trouxe comigo o disco de Aline Barros, Shirley Carvalhes, Catedral, Ofina G3, Renascer Rebanhão, Ellus de amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
...Cassiane...o reggae de christafari...Militantes... Vocês já ouviram?

(Fábio) – Eu já ouvi Catedral.

(Célia) – Eu já ouvi Shirley Carvalhes e Aline Barros... a minha tia é cristã e na casa dela tem!

(Márcia) – Eu não sei, se já ouvir!. Possa ser que eu já tenha ouvido na FM 96, ou na rádio Aleluia, na cidade, ou na manchete, mas não me lembro.

(Sônia) – Eu nunca ouvi. Eu curto mais Bossa Nova, como Caetano Veloso, Chico Buarque de Holanda, João

Gilberto, Toquinho, João Bosco, Francis Hime, Guilherme Arantes, Gilberto Gil, Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Xangai, Elomar, Vital Farias, Belchior, Fagner, Zé Ramalho e outros.

(Fábio) – Puxa! É uma discoteca ambulante...Pensei que não ia acabar mais! Mas quem é que não gosta de música? Cada qual no seu estilo, mas todo mundo curtindo a sua música!?, quem é que não gosta de música?

Enquanto Célia dirige o veiculo, já passando pelas mediações do Hotel Hoton Palace em Ondina, num trânsito livre, a rádio toca o som de Aline Barros e todos gostam, eles ficam ouvindo e se deleitando com a voz suave e bonita da cantora. E a forte mensagem viva de vida que ela transmite...na trajetória pro mar, da Orla Marítima... eles se vislumbram com o imenso verde e azul, bem lá no infinito do horizonte, com as águas a se interligarem com as nuvens plácidas do azul celestial.

Eles viajam profundo no resplendor fulgurante do sol. Com o seu reflexo a refletir nas águas do mar, que na sua inconsciente e involuntária gratidão, espelham pro alto, um retorno da imagem do astro-rei impondo sem querer, vaidades de vaidades, para que o sol fique vendo a sua beleza lá do alo até morrer, quando o mesmo se põe, com o seu lindo reluzir de luminosa luz vermelha, dando adeus       a natureza, até a aurora do outro dia.

Tina ver barcos e outras navegações a flutuarem sobre o mar, e pensa consigo mesmo: - neste mar misterioso! Tem mistérios muito além que o mistério do dragão que estar nas profundezas, esperando pelo dia profético, em que ele vai sair de lá na grande profecia de Deus ao qual ele fala no apocalipse.

Em seguida Tina comenta se expressando para as suas companheiras e também para Fábio:

- Gente! Olha como Deus é poderoso! E como é linda a natureza! A gente olha pro mar, esse vasto, esse mar imenso e ver a maior paz, a maior tranqüilidade, isto até me transmite uma certa calma. Esse mar é cheio de mistérios, mas por detrás dessa paz, há um mundo tão selvagem de guerra no fundo desse mar! E que guerra! Este mar é cheio de peixes e outros animais ferozes, com as suas cadeias de predações!?, que é um devorando o outro! São tantos animais selvagens nessa selva marinha!... como tubarões, cações, peixes agulhas, baleias assassinas, águas-vivas, caramurus, nanquins,baiacus, pina-unas e tantas outras criações com       as suas hóstias selvagens!...

(Lúcia) – É verdade Tina! Deus é bastante criativo e poderoso,e dentre todas as criações e tantas belezas, quando eu olho para nós e pra todas as outras pessoas!? Eu fico bastante fascinada de ver que todos nós somos todos diferentes, com exceção dos gêmeos. Mas isto é, sendo que os gêmeos não deixam de terem as suas diferenças em alguma área, ainda que sejam discretas, e ou ocultas aos nossos olhos, mas não deixam de terem as suas diferenças são milhões, tri- trilhares de milhões de tri-tri-tri-lhardes de pessoas diferentes. São pessoas bonitas, são pessoas feias, brancos, louros, morenos, mulatos, pretos e diversas misturas em varias outras raças. Vocês podem ver que todo o povo é diferente um dos outros. Vocês já viram como os japoneses são tão diferentes dos brasileiros, e dos chineses? Eles têm os olhos meios fechadinhos e esticados entre as pontas, enfim, todo mundo é diferente com exceção dos gêmeos que aliás, talvez tenham as suas discretas diferenças em algum lugar do rosto e também do corpo.

(Fábio) – E os americanos? Vocês já viram que eles também são diferentes dos brasileiros, como também os espanhóis e os franceses? E por falar em gente, vocês já viram aquelas pessoas chamadas siameses?, aquelas que nascem agarradas uma com a outra, às vezes agarradas braços com braços ou peitos com braços, ou peitos com peitos, ou um tronco na horizontal da costela da outra pessoa, ou agarradas em suas próprias cabeças de diversas maneiras que se possa imaginar? Que terrível!.;..o que será esse mistério?

(Célia) – E os hermafroditos? Uma mulher ou um homem com dois sexos ou seja, uma mulher com um pênis acima da vagina, ou um homem com uma vagina abaixo do pênis. Porque será esse absurdo? Puxa! Eu não consigo entender! Eu acho que isso é uma berração, por um castigo de Deus! Vocês não acham?

(Márcia) – E os mongolóides? Aquelas pessoas arretardadas com a mentalidade infantil e que são chamadas cientificamente de autistas? Quase todos eles se parecem, e seus olhares são esquivados e meio distantes, com os seus rostos meio inchados, ou aparentemente inchados e arredondados. Qual será o mistério deles nascerem assim, além dos mistérios dos caracteres hereditários.

(Sônia) – São tantos acontecimentos sobrenaturais que acontecem na genética do ser humano, que ás vezes eu fico até espantada, tem muitas coisas que eu fico aterrorizada e me entristeço muito, e também fico tão perplexa e indignada, que vocês nem imaginam!, eu fico em luta querendo entender esses mistérios, com uma













curiosidade de uma cientista da área de biologia humana, quem sabe até de uma antropóloga! O que será o porque de tudo isso?

(Tina) – Olhem eu explico! Sabe o que é...

(Fábio) – Mas antes ouçam o que eu vou falar! Olha, diante de tantos fatos para-normais, mas não são normais! Vocês já pensaram se de repente aparecesse um lobisomem daqueles bem feio, com a cara de um lobo!... com os seus olhos bem arregalados, e com os seus dentões bem horrorosos, bem horrível mesmo, de assustar de assombrar e de apavorar uma multidão, daqueles que deixa mesmo todo mundo, em gritos, em pânicos e em sufoco um lobisomem daquele com as unhas!?... aquelas unhonas bem afiadonas vocês já pensaram se ele pulasse aqui agora, bem em cima do capus do carro, e atacasse bruscamente!? Violentamente a Célia? Muito mais feio do que aquele do filme um













lobisomem       em Londres!? E agarrasse, assim: TGHACT! AÚUUUL.

(Célia) - Uai! Que susto Fábio!?, você quer me matar?

(Tina) – Cuidado!?..., olha o carro!?

Célia toma um forte susto e quase bate o seu carro contra um Monza, próximo ao clube do SESC, defronte a praia de Piatã, e esse segundo susto foi pior do que o primeiro, e ela não agüenta de tanto nervosismo e de súbito para o carro... e todos também, unanimemente, ficam bastante assustados, tentando se acalmarem entre si. Enquanto isso, o motorista do Monza fica xingando Célia de tudo o que é tipo de palavrão, e no final de tantas palavras torpes e obscenas, ele encerra o seu prostituto repertorio numa bruta agressividade, dizendo assim: - Você não tem o que fazer não sua cachorra vadia? Se você batesse no meu carro eu te dava um tiro.

















Aliás um só não!... eu ia fazer você engolir todas as balas do meu revolver, uma por uma... até dizer chega. Qual é que é? A sua carteira foi comprada no balaio, sua barbeira? E é por causa disso também que o trânsito estar cheio de acidentes, vê se sai do trânsito com essa lata veia aí sua idiota! Louca! Vagabunda!, compre um carro de mão, talvez quem sabe? Com um carro de mão você não faça mais barbeiragem, pondo a vida dos outros em risco por aí. Sua débil mental inconseqüente, sua míope! Você é cega ou graucomática? Ou é louca mesmo sem nenhuma catarata? Vai catar lata sua vira lata!

-Em seguida ele arrasta o seu Monza, e sai cantando os pneus em alta velocidade sumindo em disparada. Tudo isso por causa de uma brincadeira de mau gosto de Fábio, que não esperava por um episódio assim. Não se















e não pode brincar dessa forma com quem pilota num trânsito. O trânsito é coisa séria, e assustar um

motorista no volante é brincar com a morte. Fábio fica bastante arrependido, e todo sem jeito, com muita vergonha de todos, e pede muitas desculpas quase chorando, ele pede pra Célia e pra todos:

- Me perdoem gente!, Perdoe-me Célia! Eu estou bastante sentido com isso. Eu estou com a minha cara de um jeito, que se eu pudesse, eu enfiava ela no chão, de tanta vergonha que tou e eu não       tenho nem palavras pra me humilhar diante de vocês pela grande estupidez da maldade que eu fiz! Seria possível um perdão gente? Vocês me perdoam por favor?...

(Célia) – Fábio, você não fez por mau! Você só queria animar o ambiente com uma forma simpática e carismática no seu alto astral de curtir. Você é muito legal















e eu gosto de você! todos       nós gostamos de você, você é gentil, não fique assim não! Se alegre, só foi um susto

e estamos intactos e invictos. Turma vamos aproveitar já que estamos aqui, e tomar logo um banho de mar, pra refrescar e acalmar os nervos, e em seguida agente segue pra Stella - Mares! O que é que voçês acham?

Todos gostam da idéia! E concordam unanimemente, e vão tomar banho de mar, defronte ao clube do SESC. Enquanto isso, Juca já estar pescando lá no Humaitá, ali depois da Boa Viagem e do Forte do Monte Serrat, aonde tem um quartel do Exército: O parque Regional de Manutenção (6ª R.M.). Ele estar pescando com Dico e com Cesa:

- Juca! Jogue o anzol mais pro fundo, se não você só vai pegar Pititinga e xangô, e esses peixes são bem

















miudinhos e quase que não enche a barriga é preciso comer vários deles pra no mínimo enganar o estômago.

- Cesa, qual foi o maior peixe que você já pegou aqui?

- Eu já peguei Pampo, Bagre, Miroró, até Vermelho eu já peguei aqui.

- E você Dico?

- A mesma coisa que Cesa. Nós sempre pescamos juntos aqui, já faz um bom tempo, uns, dois anos mais ou menos. Aqui também tem Ninquim, Caramuru e Baiacu.

- E esses peixes dar pra encher a barriga, Dico?

- Fala pra ele Cesa!

- Ninquim é um peixe venenoso Juca... e se a pessoa comer morre, não tem habeas-corpus, ele é muito perigoso e tem até ferrão. Ele fica ás vezes entre as pedras sobre a areia, em baixo dágua, e quando alguém pisa nele, pega uma febre terrível, e rapidinho, alguns















momentos após, é um revertério invocado!, bate logo um calafrio, e uma dor de cabeça lascada. E o Baiacu e o Caramuru também são venenosos, mas a versão deles

não sei direito qual é       mesmo não! Eu sei que o Baiacu ele se incha todo. Uma vez eu peguei um e botei aqui em cima da alvenaria, e o sol tava demais bicho, que parecia o deserto do Saara. O sol tava de um jeito pra camelo nenhum botar defeito e o Baiacu foi se inchando! Se inchando! Se inchando parecendo até que ia se estourar, chamando a atenção de muita gente e ele tinha dois chifres horríveis, parecendo um morcego!

Parecia mais um demônio, e o Ninquim também parece, vocês saca aqueles demônios bem cavernosos? Com uma cara bem carrancuda daqueles filmes monstruosos?

(Juca) – Eu já vi!... em Scooby Du, sempre passa cada um terrível. Nas tartarugas Ninger também tem o













vingador e em He-mam, tem o Esqueleto, eles são de assustar! E geléia dos caças fantasmas! (Risadas).

(Cesa) – Ponha monstros nisso aí! Vocês assistiram Geison? E Alien? E a mosca, o predador?, vocês já viram a cara de ghioday?

(Dico) – Quê nada, ponha monstros nisso tudo aí. Vocês viram aquela endemoniada possuída pelo diabo, que até levitava da cama. Vocês viram como ficaram a cara dela?

O maior terror! De assombrar qualquer um, principalmente quando ela dava aqueles gruindo estranhos. Foi no final do exorcista, e aqueles monstros...a volta dos Mortos Vivos?

(Juca) – Mas perai? Agente ta aqui falando de um Baiacu e de um Ninquim! Afinal de conta que peixes são esses?, é o diabo é? (risadas).

(Dico) – É verdade!, agente viajou nessa, que onda braba? Agente fez uma tempestade num copo d´água, ou











um terremoto num grão de areia! O Baiacu e o Ninquim quem diria que por causa deles agente foi chegar a

esses monstros todos! Que doidera!?... E olha que eu ainda tou de cara em!

(Cesa) – É, agente ta de cara, mas foi a lombra da maconha de ontem que nos deu essa viagem toda.

(Dico) – Possa crê!..., mas vamos voltar ao assunto! Tanto o Ninquim como o Baiacu e o Caramuru são peixes venenosos, mas eu já ouvi falar que tem pessoas que comem esses peixes...o segredo é saber tratá-los tirando todo o veneno deles. Se não souber tratar? É caixão e vela!

(Juca) – Opa! Acho que peguei um peixe!...o meu nylon ta puxando e pitombando, e a vara ta mais pesada, parece que o peixe estar fisgando o anzol, oi! Que beleza, legal!.

(Dico) – Puxe logo Juca! Se não pode escapulir...ta parecendo que é um peixe grande!















(Cesa) – É um vermelho enorme!...olha Dico! Ual, Juca ta com sorte, esse dar pro rango, merece uma boa

comemoração. Vamos acender um baseado pra fumar agora...agora é que agente vai ficar legal!

(Dico) – Vamos botar logo um morrão... Cesa, enrole uma estaca daquelas!..

(Cesa) – Cadê a seda Dico?

(Dico) – Por aí você acha uma carteira de cigarro vazia ver se acha uma de Carlton que a seda é mais fina.

(Cesa) – Juca, vá ali comprar um careta pra gente acender a maconha. Aproveite e traga um pilão... olha se ligue nos movimentos, que aqui as vezes pinta os canas disfarçados e aqui tem muito caguete também, conspiradores e corujões, mas nós somos cabeças qualquer coisa agente tira de tempo dos otários e deixa eles abatidos.













Juca) – Dico mais Cesa!?...e o quartel do Exército ali? Bem de cara pra cá!...vai sujar legal pessoal!

(Cesa) – Que nada! Esse Quartel aí é maior limpeza. Nós já fumamos aqui no Humaitá há um bom tempo, e eles nunca tiraram nenhuma braba com a gente. É só não bagunçar e não escancarar na cara do juiz...e ficar numa boa, viajando na maior paz, agente só não pode vacilar, porque o carro do Ibama!... A popó? De vez em quando dar um rolè na área afim de dar uns baculejos e capear os bichos.

Nós fumamos depois...vocês sabem que nós somos cabeças! Nós somos das antigas, e os canas tem mais é que passar abatidos com agente, e se eles perguntarem alguma coisa querendo tirar alguma idéia!!!...a minha é Federal!!... No maior queixo duro!!!...

(Juca) – Só!?... queixão mesmo.















(Dico) – Queixo de concreto! (Risadas), mas vocês estão conversando demais, vá logo lá fazer o avião do careta...

ACESSE O LIVRO: JUCA VIDA BANDIDA NO GOOGLE...E DESFRUTE DAS MARAVILHAS!
 
31/10/2009 22:16:11 :: Clevgospel


ROMANCE INÉDITO: A LINDA ESTÓRIA DE BOB E TCHARLES

Cérebro vai à guerra, levando alma, e coração, juntamente com espírito, ao combate em Tela-Vive, num conflito em Palestina, à defesa da nação.
Disparam bombardeios, com estrondos demolidores, arrazantes em catástofres, que atordoam todos os tímpanos, abalando os ouvidos, com brutos fortes sons em zumbidos, à estourar em alaridos. Pulsa o sangue bem veloz, num selvagem pulso, sacudindo as artérias numa forma bem feroz, nas suas internas cavernas, e vai correndo a mil por hora dando milhões de voltas, em movimentos de translação, rotação, e diversos outros, em torno de todo os seus próprios corpos sobre as suas próprias células, que circulam em minúsculas e semi-invisíveis crateras, nas suas partículas bem microscópicas e tão mínimas, onde também invadem as bactérias.
E vão as células com os seus núcleos, citoplasmas e membranas, se esquentando e se ardendo em muitas chamas!
Cérebro grita alto para alma pedindo, implorando, e suplicando calma, mas alma geme, chorando, sentindo um grande pranto, se expressando ao coração!
Se agita o coração com a ponte de safena, nas suas aurículas ventriculares, pelos orifícios da aorta, à bater com tão forte emoção, já sentindo a solidão, sacudindo as adrenalinas, excitada pelo medo, entre o endocárdio, pericárdio e miocárdio. Flui a saudade da vida, que já
estar por um fio num tremendo desafio, quase perdida; mas espírito se interliga, procurando uma saída, em suas próprias esquinas.
Cérebro ver o seu destino, da sua morte em desatino, sem saber o que será, do outro lado da vida, ou provavelmente ou certamente da morte, à mercê da própria sorte.
Alma já presente a sua morte, e sub-conscientemente ou inconscientemente o seu presságio eternal, em direção, em direção ao mau.
Com profunda nostalgia, chorando em forte melancolia, se depri-mindo em brusca depressões, com a sua angustia, soluçando em convulsões.
E fica aflito o coração, como quem pula pela boca, à bater com mais pressão, aumentando todo o seu fluxo, impulsionando as suas artérias, dilatando toda a sua cavidade intra-venal.
Elevando a pressão arterial, nas suas bifurcações, alastradas em muitas divisões, desequilibrando as emoções.
Espírito ainda se equilibra, entre os próprios trópicos anatômicos-siderais e e fenomenais, embalançando-se um pouco mais. É o grande sofrimento de cérebro, o sofrimento de alma, e o sofrimento
de coração, juntamente com o sofrimento de espírito. Que não suportam tantas dores, e juntos começam a chorar, unidos em solidariedades coniventes – congênitos – fraternais, expressando a perca de toda paz, mas saiamos do aspecto psicológico, especificamente emocional e sentimental, ou profundissimamente sentimental e anatômico – fenomenal – constitucional da lei que rege sobre a anatomia constitucional e racional, de cérebro, alma e coração, juntamente com espírito, e entremos agora em ação:
Mas porém eu multiplico antes... cérebro, alma e coração, junta-mente com espírito, em dois corpos de soldados, combatendo em união: “Bob e Tcharles”: Dois soldados, dois amigos, dois irmãos como força de expressão. Numa grande união:


um pouco meio underground...um pouco meio sociedade alternativa...um pouco meio rock...
um pouco meio reggae...um pouco meio jazz...um pouco meio blues...sendo um pouco meio hippie...
sendo um pouco meio woodstock...sendo raro e exótico e de mistério profundo (gospel):

A LINDA ESTÓRIA DE BOB E TCHARLES
ELE É A ESTÓRIA DE DOIS SOLDADOS NA
GUERRA...COM SAUDADES DE SUAS ESPOSAS
E DE SEUS FILHOS...SOFRENDO MUITAS TORTU
RAS...MAS O AMOR NOS SEUS CORAÇÕES
FALANDO FORTE...COM A ESPERANÇA DE UMA
NOVA VIDA...E COM UM LINDO SONHO DE PODER
VOAR EM LIBERDADE COMO AS GAIVOTAS )


“Bob e Tcharles”: Dois soldados, dois amigos, dois irmãos como força de expressão. Numa grande união:


Enquanto Tela-Vive pega fogo, com fumaças em clarões, num conflito em Palestina, à defesa da nação. Dois soldados se ajudam, como se fossem dois irmãos: Bob e Tcharles, com os seus cérebros, suas almas, e seus corações juntamente com os seus espíritos, enfrentando mil perigos. Ao redor: seus capacetes, seus blusões. E por dentro as emoções.
Bob e Tcharles, correm juntos com as suas granadas, suas mochilas e seus fuzis, ziguezagueando, pulando os obstáculos, com os seus cansados sustentáculos. Logo vem uma forte rajada, metralhadas em muitas balas, acionadas em gatilhos, disparando muitos tiros, articuladas pelos combatentes inimigos. Bob se assusta, se apavora e dar um grito, exclamando seu aviso para Tcharles, que passa perto do perigo, e quase se atinge pelos tiros. E assim grita Bob para Tcharles, numa voz alta e bem forte, clamando e implorando com muito medo da morte:
–Tcharles! ..., cuidado meu amigo...olha o inimigo!..., lá vem tiros!... pula fora meu irmão, o negócio tá preto, tá fedendo a carbureto.
– Mas não ver Bob, à sua retaguarda um tremendo esquadrão de aviões. Os caças aéreos guerrilheiros de bombeiros e explosões, com soldados tripulantes, saltando todos de paraquedas, em guerrilheiras disposições, pra matar ou pra morrer, a defenderem a sua pátria, a sua nação.
Enquanto isso, escapa Tcharles do perigo, avistando outro risco, gritando para Bob, dando seu aviso: - Bob! ..., olha o inimigo!..., dispare tiros meu irmão! Meu companheiro, meu amigo, olha o inimigo!..
Jorra Bob, em rajadas, por de traz de muitas matas, errando o alvo, perdendo muitas balas. Mas os inimigos, os soldados paraquedistas, se levantam e revidam, enquanto os caças..., os helicópteros caça-aéreos, dão suas coordenadas, com fortes fogos em rajadas, bombardeando em cruzadas, investindo contra Bob, e investindo contra Tcharles, que se vêem agora encurralados, atordoados, massacrados, e desnorteados, como os gordos touros, aos terríveis matadouros, imprensados em muitos choks, indo de encontro forçado e obrigatório para a morte, diretamente para a morte!
Chora!... chora!..., chora!..., chora!... chora Bob, e chora Tcharles, lamentando suas sortes, ou pior, suas maus sortes. Vendo agora a cara, das suas próprias mortes.
Detonaram os seus paiós, bombardearam todo os seus fortes.
Corre Bob, e corre Tcharles, em desesperos e desatinos, gritando e chorando, totalmente indefesos, enfrentando mil perigos à espreita dos inimigos. O que era escuro, agora fica preto, fedendo a carbureto, em meio a tanto fogo, muitas fumaças e bombardeios, só restando agora para Bob e para Tcharles, o terrível inferno negro. Mas os soldados tripulantes guerrilheiros e adversários, preferiram Bob e Tcharles vivos, pra massacrarem suas carnes e perturbarem seus sentidos, pra cambiar uma conspiração, e furtar o segredo da nação.
Indo agora de encontro para o campo de concentração, onde as torturas infernais, apavoram todas as mentes, assaltando toda a paz. Pois as dores são demais, e a morte é a certeza lá no campo, para todos os soldados capturados, pelo terríveis Hitler’s, pelos terríveis chacais, como matadores canibais, como animais irracionais. São horríveis maldades diabólicas, por de traz de satanás, e seus anjos infernais, seus anjos sagazes.Entre mafiosos, odiosos, homens corruptos, brutos e estúpidos, com as suas fúrias, como se fossem muitos cães, nas suas próprias maldições, ditando as ordens de carrascos, de tiranos, num império de poderosos chefões, que já mataram à milhões.
Agora se lembra Bob da sua amada esposa, e de seus lindos filhinhos, começando a chorar. A saudade bate forte, pois o seu amor, ainda é forte, muito mais do que a morte.
Tcharles não entende, o que é que se passa com Bob, e indaga para ele:
– O que é que há contigo, oh! Meu amigo?...
– Bob, só chora!...
Sem nenhuma força pra se expressar, pois é a grande dor que dói no peito. Dói tão forte, como a angustia da morte!
Amor e saudade, é o grande amor que fala, agora à falar mais forte, num sentimento tão profundo, de sacudir até o mundo, pela sua querida esposa, e seus belos filhinhos, os seus fofinhos, os seus xodós, que lá ficaram sois, com os seus apertos, e seus nós, do outro lado do planeta, onde brilham o mesmo sol, e brilham as mesmas estrelas, entre o dia e a noite, com a lua, ao redor de muitos astros e cometas.
Bob fala à Tcharles. Ele muito se emociona, se compadece, e também começa a sofrer, compassivamente com a dor, de Bob, seu amigo intimo, seu grande e velho amigo.Nessa angustia, agora nasce um forte irmão. Bob e Tcharles ficam mais unidos. Num amor assim tão lindo, o amor ágape de Cristo. O mais bonito amor, o amor mais bonito.
Tcharles fica tão comovido, e emocionalmente envolvido, bastante envolvido, que até esquece por um instante do perigo, e exclama se expressando com profunda emoção, se abrindo com Bob escancarando o seu grande segredo, abrindo todo o seu coração, e dizendo mesmo assim:
– Olha oh. Bob! Eu também tenho uma grande paixão, que corrói o meu coração, me sacudindo uma solidão, ela se chama Daiana, a minha amada. My love!, a minha paixão!... ao qual eu muito amo,e ela também me ama muito. E ficou lá na América Latina, nos Estados Unidos da América, lá na Califórnia, me esperando e chorando muito, como se fosse uma viúva em luto: mas a vida tem os seus imprevistos, com outros lados escondidos. E agora vem a morte, por quanto já estamos perdidos. Bob e Tcharles se lembram agora dos perigos, e lá vem os inimigos. Lá vem os Palestinos. E o negócio vai ferver, e a dor vai ser tão forte pra valer.
Chegando os Palestinos, desarmaram Bob e Tcharles, esticando os seus cabelos, dando chutes e bicudas, cuspindo em seus rostos, e linxando as suas cabeças, xingando e humilhando, conduzindo ao helicóptero, equipado com os seus radares, com ogivas e mísseis nucleares, computadores, e um telescópio espião, para um breve vôo ao campo ao campo de concentração, onde rolam as torturas, e também as maiores conspirações. Pra cambiar e furtar o segredo da nação, de todos combatentes de oposição.
Bob e Tcharles chega ao exílio, e logo vê muitos outros soldados capturados, torturados, massacrados, oprimidos e sofridos. Com os seus corpos cheios de hematomas, sangues e feridas, e os seus olhos cabisbaixos, de amarguras, traumas, e conflitos emocionais. Pois, o sofrimento é demais. Numa aldeia, cheia de alas de presídios, em meio as matas, com um sol à brilhar, lá de cima sobre os rostos torturados que já perderam os seus próprios brilhos, a paz, e até os seus poucos sorrisos. Até todos os pássaros que lá cantam, assobiando com os seus maravilhosos cânticos, alegrando a natureza com todos os seus mistérios, e toda a sua infinita beleza, aos seus ouvidos, passam todos os assobios, tão despercebidos, como eles estivessem surdos e insensíveis aos cânticos tão lindos. Que nem ao menos ouve se quer algum Silvio, ou algum viu de um passarinho.Porquê as suas dores, são tão horríveis e terríveis, como a leve sombra do inferno, à projetar aqui na terra discretamente com sua bárbara educação, de cão ou de leão à bravejar nos seus corpos, nas suas almas, nos seus espíritos e nos seus corações. Os pássaros para eles, é como se nem mesmo existissem!
É chegada à noite. Bob e Tcharles estão muito cansados, cheio de dores e atormentados, bastante atordoados, de muitos socos e porradas, cacetadas e pancadas e com as suas feridas machucadas, depois de muitas estradas feridas essas provocadas também pelos estilhaços dos explosivos e das balas. Eles são conduzidos à uma ala, como uma verdadeira jaula, de macacos chimpanzés, toda suja e imundas, cheia de moscas e baratas e alguns ratos, pra quebrar o tédio, e a monotonia, ilustrando sua nova morada. Sua atual e negra estadia, triste, maquiavélica e opaca, em performance satânica e macabra onde berram os bodes, e onde berram as cabras, onde mugem as vacas, torturando os coitados dia, noite e madrugada, como a famosa sala, do terrível pau-de-arara, com torturas e com porradas, e com muitos choks elétricos, à mil descargas de fortes horríveis cargas eletro-magnéticas, onde o filho chora, grita e implora, e a mamãe não vê, nem ouve pra socorrer.
Os soldados palestinos, chutam Bob e Tcharles, empurrando ao chão, e em seguida tranca a ala, encarcerando-os como cães, nas suas tristes solidões.
Bob e Tcharles ficam sóis, gemendo as suas dores. E logo vem a madrugada. E a agonia é tão grande, e o desconforto nem se fala!... perturbando-os a insônia lá no chão tão frio, sem nenhuma cama, nem ao menos de campanha, ou um pedaço de papelão ou no mínimo alguns jornais pra consolar uma pontinha de sombra de paz. pois o frio lá ta demais: Não dar para amenizar nem um pouquinho o sufoco deles, que ficam como loucos e como cachorros mordendo ossos.
O negócio fica russo, como a ânsia de um urso, um urso faminto, e um urso bruto. Bob não resiste e desmaia de muita dor. Tcharles sente o drama e se vê meio perplexo, e impotente para ajuda-lo, e na busca de um consolo, ele canta uma canção, que aprendeu lá na América, lamentando as suas dores, ele canta um forte blue’s, que ele aprendeu lá na América, na influência de Sara Vaugham, B.B. King, Luiz Amstrong, Ray Tcharles, Stivie Wonder, Duke Ellinghinton, Blues Etílicos, Celson Blue’s Boy, Rolling Stones, Eric Clapton, Jimi Hendrix, Deep Purple, ZZ-Top, Janis Joplin. Eles aprenderam com as suas turmas das antigas de Blue’s, Jazz, Contrin, Pop e de Rock.
Tcharles canta com muita dor, sofrendo o seu horror. Mas a música, é algo muito forte que visita até na dor, visita até na morte. Ele olha para Bob desmaiado ao seu lado, e chora!, sem forças pra ajuda-lo, adormecendo com a dor, depois de tanto gemer. O cansaço falou forte, lhe furtando de repente.
Amanhece o dia, como um simples piscar de olhos, Bob acorda primeiro, e não consegue levantar, pois seus ossos, e seus músculos doem demais, e todo o seu corpo estar quebrado, impregnado e machucado. Ele geme forte: - ôi!, ôi!, ôi!, - seu gemido acorda Tcharles, que se comove como um pai, socorrendo o coitado, dando massagens em seus pulsos, em seus peitos e em seus braços. Ele diz para Bob:- Olha, oh Bob... esta noite eu tive um sonho, e sonhei um céu azul, voando uma linda gaivota, e as suas asas eram tão leves, e flutuavam sobre o vento, e lá embaixo estava um mar, um mar bonito e imenso, como um grande oceano, bem tranqüilo, sereno, e todo calmo embalando como a brisa matinal , ou um leve vento sereno. Essa linda gaivota, descia, mergulhava e pegava um peixe, e saia alegre em liberdade, voando sobre o mar, por ter saciado a sua fome.
E eu hoje acordei com uma forte esperança, e na certeza de uma fé, que nós também podemos voar como aquela bonita gaivota, sobre o infinito e bonito vasto mar, ainda que o mar esteja revolto, pois o vento é que sopra a pequena gaivota, levemente a voar. Nós também podemos voar!... e podemos ser como duas lindas gaivotas a voar levemente... levemente a voar!, flutuando pelo ar, sobre este negro mar, de angustia e de aflição, e de muitas tribulações, e sobre todos os Palestinos, e sobre toda a sua nação. Pois o vento é que determina a direção, e é só bater as asas, e deixar o vento levar, fluindo pelo ar.
Olha!, meu amigo Bob, a esperança não morre, uma certa vez eu ouvir uma cantora evangélica cantando um lindo hino que falava assim:
O Espírito de Deus estar aqui / Operando em nossos corações / trazendo alegria e poder / ministrando sua graça e amor / os feridos de alma são curados / os cativos e oprimidos livres são...
Bob, ouvindo isso, chorou! E algo em seu ser mudou, e uma luz, te iluminou.
Ele reanimou, e reavivou. Estas palavras rasgaram forte os seus peitos, com uma força positiva, era uma grande verdade que fluiu vida, com o poder que tem a palavra, no louvor de Deus.
Bob, logo levantou, olhou entre as grades da janela, e se pôs a olhar pro céu, sedento como um viajante perdido e ressecado no deserto do Saara, e que de repente avista um belo oásis, com as suas águas cristalinas, anunciando uma forte vida para quem estar já quase morto, sedento como um louco, num deserto tão seco e tão oco. Pois Bob, olha agora para o céu, com bastante sede, e essa sede!?... É de Deus! E bem lá no intimo do seu ser, no mais profundo do seu coração, ele interroga consigo mesmo indagando a sua questão:
- Aonde estar Deus? Pra poder me libertar!, - Ele olha à natureza, e confirma, que na verdade, existe um Deus tão poderoso. Mas ele ainda interroga consigo mesmo, com uma sede muito grande de poder encontrar com Deus, e pergunta, em meio ao auge do seu sofrer: - aonde estar Deus?... pra poder me socorrer! – Uma ânsia te incomoda, te abala e te perturba, mas uma fé agora ferve, te sacudindo e te compungindo, raiando e brilhando uma forte esperança.
Ele clama à Deus, dizendo mesmo assim: - Deus!..., aonde quer que o Senhor esteja, nos socorre, oh! Senhor!..., nos socorre por favor!...E começa a chorar!...
Tcharles não agüenta, e também chora sem parar. E agora chora!..., chora Bob e chora Tcharles, sentindo as suas misérias, lamentando as suas culpas, e as suas falhas justiças, que não passam de simples trapos de imudícias, lastimando as suas dores, com as suas caras de horrores e com as suas caras de terrores. Clamando para Deus, um socorro lá do céu. Eles choram sem parar, desabafando um forte peso, de uma grande cruz, aliviando as suas dores. Mas Deus agora nada fala, pois não sabia Tcharles, que o sonho que ele teve, com a linda gaivota à voar, já era Deus a te falar, revelando a futura e grande liberdade, deles nesse misterioso, com a linda gaivota, pois era uma grande profecia e Deus Ele é Fiel, quando promete, ele cumpre, ele não é o homem para que minta, e nem o filho do homem para que se arrependa. E ele é mistério e o sonho era profético. Mas Bob e Tcharles não entenderam, e ficaram despercebidos, porém, iluminados, com a fé e com a esperança, de poder serem livres algum dia. De repente eles escutam um terrível e forte bombardeio, como um ribombo de um trovão,, à fluir com os seus pipocos, que sacodem todo o piso, o teto as paredes, e até as grades da ala. Eles ficam aterrorizados e caem no chão apavorados. A fumaceira é tão grande, que até invade a ala, flutuando aos seus arredores. O impacto foi tão grande, que eles ficaram atordoados, e com fortes zumbidos nos ouvidos, sacudindo os seus tímpanos. Os seus corações batiam tão fortes, impelido pelo susto, e o grande pavor de morrer. É como fala a voz da morte. Logo passa a polêmica dessa catástrofe, e eles voltam aos seus semi-equilibrios. Mas bastante atônitos e muito curiosos, pra saber o que foi que aconteceu. Foi um caça aéreo não identificado, que detonou toda uma ala, bem próximo a de ambos, com as ogivas monstruosas e desastrosas, estourando muitos corpos, que explodiram em si mesmos, com a força atômica da malígna e satânica bomba. Eles morreram com as suas víceras para fora, entre os seus estômagos estourados e brocados, que jorraram muito sangue. Foram muitas cabeças mutiladas, muitos olhos pocados, muitos dentes quebrados, muitas línguas rasgadas, entre uns cinqüentas judeus, pois eles eram judeus, já com suas sinas macabras, por ocasião deste fúnebre fato, pois foi a morte de intrusa nas suas estradas, carimbando e registrando os seus ingressos para a infernal e eternal morada, as suas novas moradas, num lugar aonde a noite sempre é eterna, e o dia nunca amanhece. E os tormentos são demais. Sem retorno e eterno...nunca tem fim!
A Bíblia também diz: ”quando morre segue-se o juízo!”
Bob e Tcharles agora tremem na base, se espantam e se apavoram,e se atormentam, como se fosse eles próprios naquelas mortes. As dores agora são tão mais fortes, depois de tantas mortes! E como quem sente ou pressente, ou até mesmo ouve em viva e forte voz, em voz audível e em voz uníssona, um coral de muitas vozes, por de traz de satanás. E na verdade é a voz do cão, dizendo bem assim:
- Olhem!..., eu sou a morte! E também vou te pegar, eu já estou nas suas estradas, de surpresa, e de cilada, de armadilha e de emboscada.
- Bob e Tcharles ficam tensos, e não tem nenhum tranqüilizante, pra sanarem os seus tormentos, e trazer só um pouquinho de paz, porquanto os pavores estão demais. E eles ficam em silêncio, introspectivos, pensativos e bastante preocupados, como mudos sem se falarem, mas, só por um pouquinho de tempo, olhando para as paredes sem conseguir vê-las. E enquanto Tcharles fica indignado, Bob agora só ver os dois lados que em breve estarão por vir: o céu ou o inferno!?... Ele olha para a cadeia elétrica, instalada na parede, com as suas fontes de correntes eletro-magnéticas. E com as suas fortes cargas energéticas, de fazer um grande rebuliço no corpo de um homem.
Ele começa a tremer e gemer. Ele olha para Bob, e vice-versa, como quem diz mesmo assim:
- E agora!?, o que será!?...
Ninguém fala nada, porquanto ficam sem palavras, para expressarem os sentimentos das suas almas em tormentos.
Logo chega os palestinos, soberbos, enfezados e agressivos, abrindo as suas ala, com cinco homens encapuzados, com as suas granadas, metralhadoras e outras armas, como o terrível gás paralisante, e o horrível gás lacrimogêneo, etc. Eles chegam conduzindo sete prisioneiros americanos, eles deixam esses homens juntamente com Bob e Tcharles, para as suas facções clandestinas, à cambiar o segredo da nação americana, com as suas conspirações, por de traz das suas ocultas câmeras computadorizadas, bem discretas, dissimuladas e disfarçadas, super-organizada muito além de “Miami-vice”, da S.W.A.T, INTERPOL, F.B.I, “007”... nem se compara a sofisticada tecnologia, super avançada, dos efeitos especiais de jornada nas estrelas, com os seus raios ultra-lâzeres, ou os efeitos dos filmes de super-man, ultra-seven, ou ultra-man, robô gigante, ou laio-man, Jaspion, changeman. Bem oculta e camuflada, onde as suas vitimas e vitimados, não conseguem ver nada de nada, além de ratos, moscas e baratas.
Mas Bob e Tcharles não são bobos, eles são soldados preparados, e bastante desconfiados. Eles sabem que por de traz de muitos silêncios, existem os crimes camuflados, e além disso, eles também sabem que boca fechada não entra mosca e eles sabem o velho dilema, pois que eles eram das antigas: o dilema é: “boca de siri”
Transmitindo só nos seus gestos e nos seus olhares maliciosos de bandidos, tipo Arnaldo “Swartezznegar”, Silvestre Stallone e Charles Bronson. Eles anunciam os perigos, como num só piscar de olhos, e já se diz tudo ou quase tudo, e já surgindo um grande aviso, da conspiração dos Palestinos.
Enquanto isso do outro lado, na cidade de Tela-Vive, a guerra assola os ares, explodindo em muitas terras. É um conflito muito grande, entre enormes e fortes bombardeios, com muitos ataques aéreos, e muitos ataques terrestres, e o fogo é cruzado em milhões de balas defragadas com tiros de canhões, fuzis, escopetas, metralhadoras, AR 15 s, pistolas 7.65’s, ogivas e granadas, mísseis, carros tanques, morteiros, campos minados helicópteros guerrilheiros e caças-aéreos, com os fortes bombardeios.
A natureza vira uma arte, com as suas tonalidades diversificadas em muitas cores, como o grande arco-íris e fica tudo colorido, com os seus fogos e os seus clarões, em meio a bombardeios e explosivos, e suas fumaças e suas nuvens, em suas próprias divisões, em movimentos de corre-corre, super ajatos e bem velozes, superando as turbinas dos foguetes. E um mar de sangue pinta a terra, numa profunda intensidade, como Leonardo da Vinci pintou a Monalisa, e também como Picasso Guarniere, Miguel Anjelo e Vangogh, pintaram as suas obras primas, mas a pintura é com tinta humana, com os seus pigmentos vermelhos tintos, ou o mais forte vermelhão, são muitos sangues se alastrando pelo chão, numa pintura demoníaca, macabra, diabólica, e do cão, com a morte pigmentando várias formas ao qual o artista nem imagina com os seus pincéis e as suas velhas aquarelas, sobre as suas pinturas famosas caprichadas e bem criadas em suas telas, a dor de uma arte assim tão louca e desumana, e tão macabra, malígna, satânica, diabólica, e maquiavélica, que já ilustrou muitos homens para as trevas a qual a mais forte inspiração do maior artista do planeta, não tem nenhuma expressão, pra expressar os mais tristes movimentos, e as mais fúnebres cores, de quem parte a chorar, para o horrível e terrível inferno negro sem luar, onde os bichos atormentam, e as mentes se apavoram, e o fogo nunca para de queimar. É só prantos, choros, ranger de dentes, conflitos, fortes angústias e convulsões. E as vozes nunca param de clamar e de gritar! E haja gritos sem parar! Por que as dores são de berrar, lá é um lugar onde a noite sempre é escura, e o dia nunca amanhece.
E lá do outro lado da América rasga forte um peito de tristezas e de saudades, de paixão e de amor, com tormentos e pavores.
chora! Bete, muito aflita e ansiosa pelo seu amado Bob. Ela ouve as noticias lá no rádio, e na “TV”, e nas manchetes de jornais. o seu coração aperta, bate forte e dar um nó, de muita aflição, e ela fica sem saber se ele vai voltar, ou se ele ainda estar vivo. Mas a esperança é muito forte, de quem ama de verdade, pois ela ama muito à Bob, e se ele morrer, ela também pode morrer de paixão e solidão.
Ela clama por Jesus, juntamente com os seus filhos, Peter, Paty e Milla, que sempre perguntam com bastante saudade, pelo seu querido papai. As criança ainda se lembram de cada momento em que Bob brincava de picula, virar cambalhotas no chão, e até mesmo de cosquinhas. Eram muitas gargalhadas entre Bob , Bete e os seus filhinhos. Pois Bob era muito brincalhão, e um pai muito amoroso. e o amor deixa marcas registradas, carimbadas, rotuladas, autenticadas, seladas e avaliadas, no mais profundo do íntimo do coração. Peter, Paty e Milla, sempre perguntavam bem assim para sua mãe: - Mamãe!, cadê papai? Mamãe!, papai ta na guerra? Ele ainda vai voltar? Que dia ele volta? Mamãe, os inimigos vão matar ele mamãe?...
- Bete chora bastante comovida, e fala com a sua voz fraca e sofrida, trepida, e com soluços ofegantes, quase que sem conseguir respirar, meio assim com dúvidas e com esperanças, dizendo mesmo assim: - Papai vai voltar crianças, papai vai voltar crianças!...
- Bete exclama assim, e começa a chorar, sem mais força pra falar. E as crianças se entristecem, e os seus corações se amortecem. Milla, a caçula, com apenas a idade de quatro anos, também chora por Bob, sempre dizendo e dizendo:
- Mamãe! Eu quero papai!
- Bete corre para a bíblia, com profunda sede de um socorro de Deus e antes de ler a sagrada palavra, ela faz uma oração, pedindo a sua paz e a de seus filhos, e também pedindo a salvação, e pedindo pela vida de seu amado Bob. A sua rotina sempre ou quase sempre, agora é essa.
Do outro lado lá na casa da paixão de Tcharles, Daiana vasculha os jornais procurando se interar nas notícias, bastante aflita e muita ansiosa. Ela lê sobre cidade de Tela – vive, e em seguida liga pro quartel americano, à colher mais dados sobre os soldados americanos e fundamentalmente sobre Tcharles. A sua vida é um corre – corre, como uma brava guerreira, ajudando e confortando as famílias dos soldados americanos, que se encontram em tela – Vive lá na palestina, lutando pela morte ou pela vida. Daiana é uma psicóloga, pedagoga e assistente social, e tem um grande amor pelos humanos, e é bastante solidária, mas a saudade à deprime, com ânsias e angústias, enfraquecendo o seu espírito, desanimando e abatendo a sua alma. Mas ela luta contra as ondas veementes, das fortes correntezas do mar bravo e revolto, das suas lutas interiores, cercadas de marasmos, com seus ventos de aflições.
Ela questiona uma matéria sobre Freud, Sigsmund Freud. Dizem que Freud explica, mais Daiana se complica, ela se complica quase toda porque ,Freud às vezes complica, e muitas vezes baratina e nada explica com suas psicanálises, super – conceituadas, que o conceitua como o pai da psicanálise. A psicanálise porém também tem as suas falhas, como as babas do quiabo, que escorregam em suas próprias babas. Daiana pensa em Tcharles e pega um álbum fotográfico, com as suas fotos. E vê uma das fotos ao qual tem Tcharles abraçado com ela, nos velhos tempos de namoros, e começa a viajar, em deleites de amores mas a tristeza à assalta os seus peitos, como uma flecha certeira incravando o coração. E em fortes prantos, olhando para o infinito, lá distante no horizonte, da janela do seu quarto, no vigésimo andar do seu prédio, na central da Califórnia, nos (E.U.A), ela fixa bem os seus olhos entre as nuvens que flutuam pelo azul celestial, e pergunta:- cadê Deus?: Deus!..., cadê Deus? - E não se agüenta com a dor, e começa a chorar, dizendo: - Deus!... Deus!..., me salve Senhor!, salve Tcharles, oh! Deus!... - As suas lágrimas descem sem parar, mas ela crê em Deus. Ela até sabe que Jesus Cristo é o caminho a verdade e a vida, e que ninguém chega a Deus, senão por ele, mas a sua fé é vacilante, e sem fé é impossível agradar a Deus, além do mais, Daiana tem uma grande covardia: a covardia de negar o seu próprio ego, o seu velho orgulho, que te prende e te algema as velhas tradições, te empatando de ver o verdadeiro brilho da luz.
Voltemos a palestina, no campo de concentração, onde se encontram encarcerados muitos soldados. Muitos em conflitos e confusões, em torturas, em tormentos e em solidões, alastrados em muitas alas, e dentre muitas alas, está a ala de Bob e Tcharles, com mais sete americanos, também prisioneiros, novos capturados, recém chegados, todos eles já com marcas das torturas selvagens e diabólicas dos soldados palestinos, que torturam sem dó, e sem piedade, na maior crueldade, na maior rivalidade, sem nenhum escrúpulo. Como abutres abomináveis e chacais.
Bob e Tcharles se apresentam aos seus novos companheiros. Bob toma a frente e começa a falar:
- Seja bem vindos amigos! O meu nome é Bob, e esse é o meu companheiro Tcharles. Somos da América, e estou vendo que vocês também são americanos, apresentem-se!
-Os sete soldados americanos se apresentam, e se cumprimentam com Bob, e com Tcharles, de um em um, dizendo os seus nomes:
- O meu nome é Jonh-lees,
O outro fala:
- Sam – e assim segue sucessivamente : Ritchard, Macartney, Gleen, Cidley, Klaissen.
Logo após as apresentações, eles ficaram mais a vontade entre si, e com mais liberdade de conversar. Depois ficaram trocando algumas idéias num bate-papo quase íntimo., À principio o assunto era sobre a guerra, mas com restrições em ralação aos segredos da nação, pois que eles perceberam que estavam sendo observados, pela conspiração Palestina, através dos toques fortes, em gestos de malícias, pelos olhares calculistas e de bandidos, de quem estão ligados nas paradas, e em todos os movimentos, transmitidos através de Bob e Tcharles, como quem diz:
- A área está sujeira, está escaldada, está a maior escarradeira, e jacaré que vacila vira bolsa de madame. Bob e Tcharles não são meninos, eles são cabeças das antigas, e sabe se plantar na base, sem marcar toca, e nem tão pouco dar bandeira, muito menos dar bobeira. Os papos rolaram, com o máximo de cautela. E depois de algumas horas, eles ficaram mais íntimos.
Gleen é um soldado cristão e tem consigo algumas folhas da Bíblia, e não pode deixar de escancarar, mesmo com a repressão militar, entre alguns, ou muitos homens ateus ou de outras religiões. Gleen é um verdadeiro cristão, e tem uma intimidade muito profunda com Deus, e ele fala sempre com Deus e Deus também fala sempre com ele, mas Deus fala na hora que ele quer, e como ele quer, e Gleen não teme a homem algum, por quanto confia totalmente em Deus, e quem é o homem?, para que ele possa temer!?... Gleen escancara as folhas do Apocalípse.
Mesmo sabendo que ele estar sendo observado, pode ser assassinado a qualquer momento, mas ele nem se importa porque sabe que se morrer, ele vai direto para o paraíso, lá pra glória eterna, lá no lindo céu de maravilhas, onde ás ruas são de ouros, as paredes de jaspes, e sobre as portas e os muros: fundamentos de safiras, cristais resplandecentes, calcedônias, esmeraldas sardônicas, sárdios, crisólitos, berilos, topázios, crisóprasos, jacinto ametistas, pérolas. E a cidade não necessita nem do sol e nem da lua pra lhe resplandecer a claridade, porque a glória de Deus à ilumina, e Jesus Cristo é a sua lâmpada, e lá não haverá nem prantos, nem dores e nem choros, porque o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pelo amanhã, e Deus enxuga de todo o rosto, todas as lágrimas, porque as primeiras coisas já se passaram, e agora é só gozo e alegria, felicidades e prazeres. Gleen tem a plena certeza e a convicção que de fato, a sua morte, é como um estouro de uma lâmpada, quando amanhece o novo dia, porque se apaga uma luz e acende outra luz, porém mais forte e é glorificada.
Gleen escancara o Apocalipse, e outras passagens da bíblia, e põe a boca no trombone, começando a pregar entre os seus velhos companheiros, e entre Bob e Tcharles: e os palestinos que se liguem, ou quem sabe se convertam. Gleen só teme a Deus, e a sua missão é falar a verdade, doa a quem doer, ele fala com eloqüência, com coragem, com firmeza, e bastante autoridade, e com toda a fé, certeza , esperança e segurança., se sentindo e realmente sendo totalmente protegido por uma mão forte, gigante e poderosa:” A TERRÍVEL MÃO DE DEUS”, (O DEUS TREMENDO!).
Gleen é mistério de Deus, e a sua grande missão é trazer a luz, para os que perece nos escuros, com as suas cegueiras noturnas, por não conhecerem ou não crerem, no verdadeiro brilho da luz: “Jesus” “Jesus” o verdadeiro brilho da luz!.
Logo após a pregação de Gleen, todos ficaram pensativos, introspectivos em sí mesmo, viajando nas palavras, e se sentindo comovidos, em grande reboliços por dentro. porquanto a palavra de Deus é viva e eficaz, e é martelo que esmiúça penha. Ninguém fala mais nada por algum espaço de tempo, e ficam só em meditar nos mistérios de Deus.
Logo após, Bob indaga a Gleen: - Gleen?! Se Deus é tão poderoso como você fala?: porque, porque ele não te tira logo daqui?... – Gleen responde com bastante intimidade, otimismo, firmeza e segurança, e com um coração quebrantado e contrito, confiante no seu bom Deus, dizendo mesmo assim: - É que Deus tem os seus mistérios, as suas regras de operar, e ele opera como quer, por que os seus pensamentos não são como os nossos, pois assim como o céu é tão elevado nas maiores das alturas, em relação à terra, assim também são tão elevados os seus pensamentos em relação ao dos homens. Porquanto assim como a terra é tão baixa em relação ao altura do céu, também são tão baixos os nossos pensamentos, em relação aos pensamentos super elevados de Deus, e além do mais, a terra é um grande campo de provação, em que os homens são provados, para obterem os seus galardões, a medida do que ele planta. porque tudo aquilo que o homem planta!?... Ele colherá! É a lei da semeadura. Quem planta amor?... Colherá amor, e quem planta corrupção?... colherá corrupção. E no dia da grande colheita!? ... poucos irão pro céu, porque a bíblia diz que muitos serão chamados!, mais poucos escolhidos, pois de que se queixam os homens viventes?... Queixem-se cada qual dos seus próprios pecados!... Gente!... ponham as tuas bocas no pó, e clamem à Deus, porque assim talvez ainda haja uma esperança pra vocês. Para todos nós... lamentai-vos as vossas culpas e misérias, e convertam os vossos risos em prantos, porque as vossas e ou nossas justiças não passam de trapos de imundícias, perante a grande santidade do altíssimo.
Gleen após pregar o Santo sermão... observa o grande temor sobre os olhos de alguns, que ficam sensibilizados e aquebrantados, bastante atemorizados com a palavra da verdade , chorando por sentirem o manifesto da virtude do poder de Deus, com o mover da Santa unção, do Espírito Santo sobre os seus corações. Eles ficam sem entenderem quase nada em relação aos rebuliços interiores entres si. Apenas choram sem parar, com esse grande milagre espiritual, a renovar e avivar as suas cansadas almas, convencendo-os do caminho da perdição e do caminho da salvação... mas porém seus corações, ainda oscilam, em meio a certas dúvidas, por não compreenderem totalmente o grande mistério da palavra sagrada, mas “A PALAVRA” já fica semeada nessa estrada, porque a palavra de Deus nunca volta vazia.
Em seguida Gleen faz uma oração por todos, e o assunto agora é esse: os mistérios da verdade! Os mistérios de Deus!
Detrás dos bastidores, se agregam os palestinos conspiradores, com os seus grupos de soldados murmuradores e escarnecedores, que murmuram e escarnecem em gargalhadas, zombando dos americanos. O Coronel fica irritado, e até inchado como o peixe Baiacu, contrariado e injuriado, com a sua soberba, e com a sua própria tese. Ele se sente bastante inflamado, e até mesmo afrontado, levando em conta um grande desacato a sua crença, que contradiz o que ele crê, e o que ele pensa, à voz da verdade, da verdadeira verdade, da pregação de Gleen. Jonhson Níxter, esse Coronel palestino taxa Gleen como um cara insolente inconseqüente, e guarda uma grande raiz de amargura em seu coração inflamado, e já cheio de rivalidades, à projetar uma grande maldade pra ele.
Quando menos se espera, chegam os palestinos agressivos. Todos ficam em clima de expectativa, pro que der e vier, mas desta vez é a refeição que chega pra eles.Porém a desconfiança lá é companheira de Bob Tcharles e os demais. E os palestinos deixam o almoço e se retiram sem tréguas e sem contendas desta vez, o que, aliás, é algo muito estranho e descomunal da parte deles, para com os americanos.
Bob e Tcharles, juntamente com os seus amigos, logo após a refeição, dá de cara com Sam escancarando um papelote de cocaína, batendo os carreirões com a gilete, num prato de vidro, sobre o esquente de um pequeno isqueiro. E Sam fala para Bob e Tcharles surpresos. Dando a sua voz ,advogando a sua própria causa, falado mesmo assim:
- Olha vocês não me censurem não! É que eu sou bastante viciado ,e a minha é essa mesmo! E não tem outra idéia, e nenhum tira de tempo, pra mudar a minha opinião, pra mudar minha cabeça , pois eu sou um cara muito louco, sou muito doido das antigas , das pauleiras... eu sou das doideiras, das antigas curtições, e já sou maluco beleza. Tendo a minha própria opinião, formada sobre mim. E eu sou tipo o cara que disse que nasceu há dez mil anos atrás, e não tem nada nesse mundo que eu não saiba demais... mas o que eu sei é a respeito de mim! Eu também tou ligado, que os palestinos estão por detrás dos bastidores nos conspirando, pois eu não sou menino, e nem tão pouco, eu nasci ontem, e eu perdi o meu medo da chuva, e não temo mais a morte, apesar que ainda quero viver, porquanto eu amo a vida, assim como um cara louco dos Engenheiros da Havaí que dizia: - era um garoto, que como eu! Amava os Beatles, e os Rolling Stones, mais meu amor forte é pela vida, eu ainda amo a vida e também amo a minha vida. Mas eu estou ai pro que der e vier, pra morrer e pra matar! olha eu sou da ideologia, que todo homem tem o direito, no seu próprio livre arbítrio, de seguir o seu próprio caminho, de pensar o que quiser e de fazer o que quiser, desde quando, ele não venha ferir seu próprio semelhante, ou muito menos de matar na covardia, porquanto o meu dilema “é paz e amor” e “Sociedade Alternativa”, e viva “Sociedade Alternativa” e viva Woodstock, a velha Woodstock com seus movimentos Hippies e com as fumaças a rolarem, com os porradões de Jênis Joplin, Jimi Hendrix, Led Zeplin, Pink Floid, Bob Dylan, Bob Marley e outras pancadas da pesada. A minha filosofia é essa, e eu respeito a de vocês, porém não me censurem, e eu agora peço licença pra cheirar o meu barato, o meu pó!, o meu baratinho! A minha fissura tá demais, pois eu estou bastante instigado pra fazer minha cabeça, e ficar bem travadão, a brizolinha tá como quem diz, me cheire logo, que eu vou te fazer feliz, e eu não vou contar dois tempos, eu vou é fungar pra dentro e possam crer meus irmãos, que eu vou ficar muito legal, eu agora vou me empapuçar nessa branquinha, eu vou ficar na minha, já fui! Hunf...!, fhum, hunf! Fhum! Broruruuuuuuuuuu!
- Sam cheira seis careirões zangados, e impõe a sua moral, na sua imoral, e todos os americanos, juntamente com Bob e Tcharles considera Sam pelo seu caráter, pela sua sinceridade, e acima de tudo a sua coragem e valentia de não temer aos palestinos apesar da grande covardia de se esconder atrás das drogas. Gleen: homem de Deus, em parte deu valor a Sam, fundamentalmente por ele não ter sido hipócrita , mas entretanto, ninguém concordou com a sua ideologia, por não testificar com os parâmetros de vida, pela óptica cristalina e resplandecente da verdadeira verdade, todavia, eles respeitaram o livre arbítrio de Sam, por ele ter sido em parte cabeça, e de assumir os seus atos, com as suas respectivas conseqüências ,e não é, nem por força e nem por violência, que se convence Sam, mas pela palavra da verdade, a bíblia sagrada, a verdadeira palavra, a palavra de Deus.
Após Sam ter cheirado braight, a brisola ,o pó ,a cocaína e etc..., ele se pôs a olhar pro céu, sobre as grades da janela, e começou a viajar nas nuvens com seus olhos à passar flutuando, em meio a sua loucura e lucidez misturada maluquez, ele se questiona sobre o caminho de Deus e do diabo, o céu e o inferno, e o porque da existência de todas as drogas. E o porque ser pecado se drogar, desde quando foi Deus que fez a maconha, a cocaína e outras drogas.
Sam fica grilado, até meio paranóico com essas ideais, mas deixa quieto e fica na sua. Não sabia ele que Deus fez tanto o bem como o mau, tanto a vida quanto a morte , para o homem ser provado nas suas próprias escolhas, sendo que o que o homem semeia, ele colhe e colherá, e obtém o seu galardão, de acordo com o que ele planta. E disse Deus lá no Jardim do Éden para Adão e Eva: - olha de todo o fruto vocês podem comer livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mau, vocês não podem comer porque certamente morrerás, isso Deus falou por ser o fruto da árvore proibida, e no entanto foi ele mesmo quem fez assim, como também a maconha, a cocaína e outras drogas, que também são os frutos proibidos, quando usados de formas ilícitas , fazendo parte da árvore proibida. Sendo provação para provar os homens na escolha do bem e do mal e talvez outros mistérios.
Sam senta num cantinho do chão, ao lado de Bob e Tcharles, e os seus outros companheiros, tira a sua pequena gaita do bolso, olha pro infinito entre as paredes, dentro de sua própria imaginação, introspectivo em si mesmo, num sentimento tão profundo e compenetrado bem lá no fundo do íntimo da sua alma, e rasga um instrumental do Led Zeplin, e “blood the Wind” de Bob Dylan chamando muito a atenção de Tcharles que também é vidrado em blues e rock´and roll. Em seguida Sam conta uma pequena estória que ocorreu com ele, na sua vida de loucuras. E ele começa mesmo assim: - Olha turma!?... certa vez eu tomei um chá de lírio, pra ver qual era mesmo. Pra sentir o porradão. E fiquei em casa aguardando bater a lombra, meio cabreiro com os possíveis revertérios. E algum tempo após, a minha pele ficou toda avermelhada! Como se eu tivesse tomado um bronze de praia, e os meus olhos ficaram com semblantes avivados e as pupilas dilatadas, como se eu tivesse arregalado os olhos. Parecendo olhos de gatos assustados. A minha boca ficou toda ressecada, e eu comecei a sentir uma grande tristeza, num profundo desânimo, com uma estranha melancolia, e sensação de nostalgia. Eu fiquei totalmente desmotivado pra tudo e pra todos, e implorando dentro de mim mesmo, pra que aquele efeito passasse logo. Pois era muito terrível, horrível e desagradável. Era como se eu fosse um verdadeiro vegetal ambulante, vegetando por ai, sem nenhuma força de expressão, e eu não queria que ninguém me visse daquele jeito, pra que ninguém se tocasse na minha, e ficassem conspirando. Eu fiz quase que o impossível pra driblar os meus pais, pra que eles não me observassem naquele estado, e percebessem que eu estava drogado, porque ia sujar forte, ia sujar legal, e a bronca ia ser a maior viola. E o meu mundo ia se desabar, e eu podia até ser expulso da minha casa, sem ter pra onde ir, e nem como me sustentar. Pois o emprego tava difícil, e além do mais, eu era muito problemático, mas eu tinha compromisso com os malucos do bate por um instante em que bateu uma certa incredulidade à respeito do poder de Deus. Mas ele se lembrou do mar vermelho que se abriu para Moisés e o seu povo do Egito, já bem no final nos últimos momentos, quando tudo já parecia estar perdido, eles passaram livremente são, ilesos e salvos. Cidley retomou a sua fé, e além do mais, o calor do Espírito Santo estava com ele aquecendo todo o seu corpo, que estava repleto do fogo Santo, e também sobre o corpo de todos os seus companheiros americanos.
Macartney, Jonh Lees, e os demais se angustiam em fortes angustias de mortes por verem seus corpos já eletrocutados, pois já está tudo programado, só esperando o acionar do interruptor. eles choram em seus quebrantos, mas lá no fundo dos seus íntimos, flui também uma grande coragem misteriosa que eles não entendem e não sabem nem como explicar, é totalmente inexplicável, mas é o poder de Deus a se manifestar fortemente em seus corações, consolando as emoções. Sam ainda tem uns papelotes de cocaína no bolso, e está bastante instigado pra se drogar, mas as suas mãos estão tão presas e não dá nem pra pegar nenhum papelote se quer. E ele fica afissurado numa ânsia sem igual, porquanto ele vê as coisas pretas e fedendo a carbureto, e encarar os problemas de cara, pra se enfrentar a realidade?... dar um forte revertério, pra quem é muito doido, pra quem é bastante viciado, o negócio tem que ser travado, alombrado, bem drogado. E Sam bastante atormentado e desnorteado dar um grande vacilo com Deus. Ele implora pra Deus liberar a sua coca do bolso pra ele por ao menos na língua, mas logo ele se lembra que se drogar é pecado, porquanto Gleen já tinha lhe orientado e Sam agora sente um profundo temor de quem está arrependido, sinceramente arrependido, e Deus não levando em conta o Tempo da ignorância, perdoa-o em secreto, e Sam não sabe disso, e o tormento lhe é forte, ele agora muda sua maneira, e implora um socorro para Deus, pedindo uma solução pra sair deste sufoco, e logo sente um fogo a rasgar seu coração de prazer, invadindo todo o seu corpo e lhe suprindo por completo, aniquilando toda ânsia e extinguindo toda a sua angústia, e uma coragem enche os seus peitos, pois é o poder que vem do céu, é o grande poder de Deus, o grande poder Divino. O Coronel dita as suas ordens de carrasco pra acionar o interruptor, mas porém antes chantageia os americanos. Com fortes pressões psicológicas, pra cambiar o segredo da nação, na sua forte conspiração, mas ninguém fala nada, eles sabem o velho ditado, que boca fechada não entra mosca, e os seus dilemas são bocas de siris,e até o tolo quando se cala é tido como sábio. E eles ficam calados. Mas porém tremendo na base, porque são muitos wats em potência com fortes cargas de chocks que vão ser agora acionados, mas a coragem ainda fala porquanto Deus está com eles.
O coronel manda ligar o interruptor, mas porém ele ainda faz mais uma forte pressão psicológica sobre os sofredores. Ele impõe em chantagem uma contagem regressiva, e surge um grande drama em suspense:
Dez?... nove?... oito?... sete?... seis?...
Os corações deles batem fortes de quem marcha para a morte!:
Cinco?... quatro?..., três?..., dois?..., Gleen olha pro teto, e diz todo trépido: - Deus!..., socorro meu pai! Socorro! Tem misericórdia de nós, eu te imploro meu Senhor... clemência! Senhor! Tem piedade de nós!...
Um?...
E dita o perverso Coronel: - Preparar! apontar! fogo!... - Tchannnnn! Pôôôôõô!, Puummm!, Crahs!, Chiiissss!
Um soldado palestino após ter acionado o interruptor, fica observando as cadeias elétricas à funcionarem com suas fortes cargas de curtos–circuitos e chocks eletro–magnéticos com muito fogo, alastrando sobre o corpo de Bob e Tcharles, e os seus companheiros. O Coronel dar gargalhadas sarcásticas e todos os seus soldados também. Como quem ver as suas grandes e terríveis maldades se concluírem de uma vez por toda, anunciando o final. Mais derrepente o Coronel olha de relance pros americanos e vê todos ao redor dos curtos e das fortes cargas de chocks-eletromagnéticos, com os fogos alastrados ao redor de todos os seus corpos ainda vivos, como se nada tivesse ocorrido. Ele fica todo assustado, totalmente assombrado, superapavorado e sem entender mais nada e sem querer crer no que ele mesmo vê. Além do mais, Sam ainda canta alegre e contente, dizendo bem assim: - “viva! Viva! Viva a vida! Jesus Cristo ele é a vida”
Os americanos ficaram tipo Sadraque, Mesaque e Abdnego, quando foram jogados nas fornalhas de fogo ardente a mando do rei Nabucodonozor. Eles ficaram sãos,salvos e ilesos, sem dano algum, porque Jesus Cristo estava com Bob e Tcharles, Jonh Lees, Sam, Ritchard, Macartney, Gleen, Cidley, Klaissen graças ao poder das orações e dos jejuns em campanha de sete dias sem café e sem almoço lá na congregação da mãe de Sam. O Espírito Santo pairava sobre os corpos dos Americanos fazendo sinais, milagres e prodígios, e neutralizando todo o campo de força eletro–magnético dos curtos–circuitos com Fogo Santo, livrando eles da morte. O Coronel muito assustado, cai no chão arriando os quatro pneus. Os soldados palestinos também ficaram em pânicos, em chocks e conflitos emocionais, em ver algo tão extraordinário, tão sobrenatural e fantástico, de assustar, como quem ver mil fantasmas, mas era o grande poder de Deus com seus mistérios magníficos, maravilhosos e terríveis. Logo em seguida surge um fortíssimo estrondo parecendo um trovão, abalando as paredes, o teto e todo o chão.
O Coronel implora por socorro, pensando que os americanos são homens bruxos. Mas foi uma bomba lançada lá no paiol dos palestinos. logo entram de supetão os amigos dos soldados americanos que vieram no helicóptero de resgate. Eles entram bastante selvagens como leões bem ferozes já com a bandeira da vitória, cantando um brado de herói parecendo Josué com seus soldados após a queda das muralhas de Jericó, invadindo todo o território adversário e dominando tudo muito rápido em ataque aos cananeus, destruindo quase tudo e matando a todo mundo, mas salvando Raabe com os seus familiares , se apoderando das riquezas.
Esses guerreiros americanos renderam o Coronel e todos os seus soldados cruéis, e soltaram Bob e Tcharles com todos os seus companheiros. O Coronel se prostrou de joelhos aos pés de Gleen, suplicando e implorando clemência como se Gleen até fosse um Deus. Mas Gleen o repreendeu por tão tamanho absurdo porque o homem não se prostra diante dos anjos, quanto mais diante dos homens que é pó barro e cinza, que veio do pó e ao pó ele voltará. Um homem ele só deve prostrar-se diante de Deus. É anátema!
O Coronel chorou amargamente e até se arrependeu, porque ali ele viu Deus face à face, no sentido dos prodígios que ele viu.
Gleen pregou o evangelho para ele, e ele se converteu, após ver tantas maravilhas, não teve pra onde correr. e todos os soldados palestinos do Coronel que estavam ali presente também se converteram, por terem visto os grandes milagres de Deus. Bob e Tcharles, Gleen, e todos os seus companheiros perdoaram os palestinos com sincera unanimidade apesar de toda dor. Mas tudo isso é o poder de Deus. Deus também é amor! Principalmente amor! E o amor ali raiou, e toda a dor se evaporou, sanou e lá no céu ficou em festa com muitos anjos dançando e aplaudindo a essa grande vitória em palestina. E eles ficaram todos amigos, ou melhor, muito mais do que amigos! Eles ficaram todos irmãos em nosso Senhor Cristo Jesus, O Rei! A nossa Salvação!
Sam muito chorou, por ter escapado da morte e ter conhecido a verdade. E foi pro lixo a maconha, a cocaína e todas as drogas, e a sua velha sociedade alternativa.
Bob e Tcharles estavam muito emocionados, e já estavam com os comandos americanos lá na Central da América, anunciando a grande vitória, e foi uma festa muito tremenda. Eles comunicaram aos seus parentes e as suas famílias. Logo em seguida Gleen e todos os americanos, inclusive o Coronel com seus soldados palestinos fizeram um grande louvor de agradecimento à Deus. E todo mundo ali chorou. Até a pequena gaitinha de Sam chorou, rasgando o seu louvor com um forte Blues para Deus. E depois todos disseram em voz uníssona e unânime, todos juntos numa só voz, como num forte coral, em profunda reverência contritos à Deus, e com as suas almas, os seus corpos e seus corações, os seus espíritos, dizendo mesmo assim:
- Só o Senhor é Deus! E além de ti não há outro!... Santo! Santo! Santo! Santo!... é o seu grandissíssimo sagrado-Sacro–Santo nome!... Deus maravilhoso, conselheiro, Deus forte, pai de toda a eternidade, criador de todas as coisas, e também de todos nós. Só o Senhor é Deus!
– Enquanto eles glorificavam a Deus, havia de um lado o espírito santo. Com os seus anjos celestiais a tocarem as trombetas numa tremenda festa dentro do campo da região invisível do outro lado oculto por de traz deste mundo material, na região espiritual, ao lado dos americanos e palestinos. Mas do outro lado haviam muitos demônios irritados, totalmente injuriados profundamente aloprados, como quem rangem os dentes, mordem as línguas e esticam os seus cabelos. Eles estavam juntamente com Satanás , o diabo, vendo mais outra vez o seu velho slogan e velho dilema de eternos derrotados. Depois de uma grande guerra travada entre Deus e o Diabo. Deus com os seus anjos Celestiais, e o Diabo com seus anjos infernais, à disputa da alma dos soldados americanos e dos solados palestinos, e do Coronel Jonhsonixter, que saíram salvos, alegres, contentes, satisfeitos, avivados, cheio de fôlegos de vida, gritando sempre em alta voz:: viva a vida Jesus Cristo ele é a vida, por quanto eles estavam agora ainda mais vivos, eternamente vivos, por terem aceitado a Jesus Cristo.
Deus é o General dos generais que não perde uma peleja, e quando o homem se Põe na posição que Deus quer, ficando ligado nos seus movimentos e na sua regra de operar, ele dar a vitória aos seus fiéis. E a Mãe de Sam é uma serva, uma brava guerreira em combate contra as óstias infernais, juntamente com a sua igreja remida por Jesus.
Depois da grande festança espiritual de agradecimentos à Deus, os americanos se despedem dos seus, agora amigos e irmãos em Cristo Jesus, nosso herói da salvação. Eles se despedem tando do Coronel, como dos soldados palestinos, e vão chorando pro helicóptero, eles vão chorando de muitas alegrias e felicidades, e vôam como uma linda gaivota do sonho de Tcharles, como Deus tinha revelado. E ele é fiel, quando ele promete ele cumpre, basta ficar na posição que ele quer. Quando eles chegam na América, após o pouso no aeroporto, há uma grande multidão com bandeiras de improvisos e com tambores aplaudindo os americanos, comemorando pela grande vitória. E Daiana avista o seu amado, o seu príncipe Tcharles, e não resiste, o seu peito explode forte, e ela grita em alta voz, bem em frente ao povão dizendo assim:
- Tcharles!... eu te amo! E corre aos seus braços e chora, chora sem parar, e se beijam com amor. O aeroporto está lotado e todo mundo aplaude, e quase todos choram, é um encontro muito lindo e marcante! Tão bonito!, E até a natureza!?... aplaude com um forte sol lá no alto tão bonito, com os seus raios fulgurantes sobre todos. expelindo e fluindo, como se até mesmo, o sol expressasse com seu sorriso, tão lindo!, tão bonito! Para esses casais se amando, num amor tão magnífico.
Bob avista Bete, e semelhante cena se repete, e as crianças todas gritam, e chorando de emoções e alegrias sem parar, falando assim: - papai!, eu te amo!, eu te amo papa!, eu te amo papai!.
Elas correm e se abraçam. Bob chora perdendo as forças. A emoção é muito forte,e ele diz:
-Bete!...filhinhos!...Peter!...Paty!...Milinha!...minha filha!...(choros)...
-Tudo é tão lindo!...tudo é maravilhoso!...
A mãe de Sam quando o vê, não resiste e desmaia de tanta alegria, amor, e emoção. Más logo se recupera e se abraçam mãe e filho!...que alegria!
E assim se sucede com todos os outros americanos e suas respectivas famílias e parentes. É Muita alegria!...
‘’O CHORO PODE DURAR UMA NOITE!...MÁS A ALEGRIA VEM PELO O AMANHÃ!”.
E amanheceu um lindo dia da mais louca alegria que se possa imaginar...porque também todos esses ex combatentes americanos, agora são cristães salvos por Jesus, pra morar no paraíso, no céu tão bonito...onde tudo é muito lindo...tudo é maravilhoso!...tão distante do inferno!
Eles agora já sentem a gloriosa presença de Deus, com grande poder e virtude, com um fogo abrasador que dar gozo a todo corpo!...imagine ao coração!...que alegria!...´´ É o poder de Deus!
AONDE DEUS HABITA AÍ HÁ LIBERDADE DE ESPÍRITO!...E ATÉ A TRISTEZA!?... ELA PULA DE ALEGRIA!
Dois meses após, Sam monta uma tremenda banda evangélica! Com Bob na Bateria, Tcharles na guitarra base, Gleen nos teclados, Sam no contrabaixo e na sua velha gaita, Macartney no saxofone, Jonh Lees no violoncelo e Klaissen no bambolim. E eles puseram o pé nas estradas e saíram por ai proclamando o evangelho, libertando os cativos e oprimidos do diabo, libertando em nome de Jesus Cristo e convertendo muitos jovens, crianças e velhinhos ao caminho da salvação. O verdadeiro caminho. “JESUS CRISTO É O CAMINHO, A VERDADE, E A VIDA!...E NINGUÉM CHEGA À DEUS SE NÃO POR ELE!”.
Eles puseram o pé nas estradas e saíram poraí proclamando o evangelho com a sua forte banda evangélica com virtude do Espírito Santo, no forte poder de Deus, expelindo a Santa Unção, na mais doce inspiração, porque Deus é o criador de todas as coisas, e o dono de toda a inspiração. E foi ele quem me deu essa forte inspiração, dessa grande narração, através do poder do jejum e da oração, da palavra e do louvor, na virtude do seu Espírito Santo, pelo sangue de Jesus. Pois o meu estudo é muito pouco, e eu só tenho até a oitava série (8ª), e só passava arrastado, porque a minha mãe sempre implorava aos professores pra me aprovarem por favor. Mais Deus é Deus!... e me deu essa inspiração. Esses americanos agora buscam de Deus, através do jejum e da oração, da palavra e do louvor, e congregando em união, com a virtude da Santa Unção e eles ficam com energia e criativos, cheio do poder Deus.
E pra começar, eles rasgam um lindo blues, com os seus corpos, as suas almas, seus corações, e seus espíritos, expressando e cantando mesmo assim:
- Eu quero sim! Escancarar um grande amor!...
Pelos humanos!
expressando uma grande dor!
A corroer meu coração
quando vejo o destino negro, de quem parte sem Jesus!
as vezes me dar vontade de chorar pelos humanos!
Que descem ao caixão, sem paz sem salvação
para o inferno tão terrível!
horrível!
Sem paz sem salvação!
Sepultura, cova! Fúnebre caixão!
A natureza fica muito triste
e ela as vezes começa a chorar
com as suas chuvas, em lágrimas de lamentos
lamentando um triste blues!
São milhões de vidas a marchar
Durante a noite, ou pelo dia
com seu corpos em sangues à vazar
A violência ta tão bruta!
De uma gruta!
A morte fere muitas vidas ,com as pontas dos punhais
sangrando!...
Com o seu grande golpe fatal
ele é o matador!
O exterminador!
Por de traz de todo estrago
ele é o nosso adversário
ele é o diabo, ele é o derrotado
esmagado por Jesus!
esmagado por Jesus!
Amém!... Glórias a Jesus!

ACESSE O LIVRO DA LINDA ESTÓRIA DE BOB E TCHARLES NO GOOGLE...TAMBÉM JUCA VIDA BANDIDA...É PURA ADRENALINA!
FICA NA PAZ!...FICA COM DEUS!
 
31/10/2009 20:17:03 :: Clevgospel


      A MULHER E O DRAGÃO

Apocalipse 12
1 ¶ E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça.
2 E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz.
3 E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas.
4 E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho.
5 E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono.
6 E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias.
7 E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos;
8 Mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou nos céus.
9 E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele.
10 E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite.
11 E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até à morte.
12 ¶ Por isso alegrai-vos, ó céus, e vós que neles habitais. Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo.
13 E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho homem.
14 E foram dadas à mulher duas asas de grande águia, para que voasse para o deserto, ao seu lugar, onde é sustentada por um tempo, e tempos, e metade de um tempo, fora da vista da serpente.
15 E a serpente lançou da sua boca, atrás da mulher, água como um rio, para que pela corrente a fizesse arrebatar.
16 E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca.
17 E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo.
18 ¶ E eu pus-me sobre a areia do mar.

Apocalipse 13
1 ¶ E vi subir do mar uma besta que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabeças um nome de blasfêmia.
2 E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio.
3 E vi uma das suas cabeças como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou após a besta.
4 E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela?
5 E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasfêmias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses.
6 E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome, e do seu tabernáculo, e dos que habitam no céu.
7 E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e língua, e nação.
8 E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo.
9 Se alguém tem ouvidos, ouça.
10 Se alguém leva em cativeiro, em cativeiro irá; se alguém matar à espada, necessário é que à espada seja morto. Aqui está a paciência e a fé dos santos.
11 ¶ E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o dragão.
12 E exerce todo o poder da primeira besta na sua presença, e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada.
13 E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, à vista dos homens.
14 E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presença da besta, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia.
15 E foi-lhe concedido que desse espírito à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.
16 E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua mão direita, ou nas suas testas,
17 Para que ninguém possa comprar ou vender, senão aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o número do seu nome.
18 Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta; porque é o número de um homem, e o seu número é seiscentos e sessenta e seis.
 
31/10/2009 14:42:15 :: Clevgospel


         DOTOR SISTEMÁTICO

ESSA É A ESTÓRIA DO CARA LOUCO
O DOTOR SISTEMÁTICO
CHEIO DE NÃO ME PEGUE
NÃO ME TOQUE
SEU ESTOURO É A MIL POR HORA
COMO UMA BOMBA ATÔMICA
CUIDADO...CUIDADO...
ELE É O DOTOR SISTEMÁTICO
FUJAM DA APARÊNCIA DO MAU
ELE É O DOTOR SISTEMÁTICO
TELEGUIADO PELA PILHA DO LÔBO MAU
SEU SISTEMA É SOBERGA...É ORGULHO...
SEU SISTEMA É EXALTAÇÃO
COMO ROBOCÓPIO PROGRAMADO
PARECENDO DOTOR SMITH
RUBORIZADO PELA CORRUPÇÃO
SEU VENENO É MAUDITO
E ELE É UM PERIGO
COM UM GRITO ESCONDIDO
DENTRO DO SEU PRÓPRIO GRITO
À DISPARO DE MIL GRILOS
ENRUSTIDO DENTRO DO SEU ÍNTIMO
SUFOCANDO UM INIMIGO
UM INIMIGO DE SI MESMO
TE MATANDO EM SUICÍDIO
OU HOMICÍDIO INVERTIDO
E QUANDO ELE DIZ:
ABRE TE SÉSAMO:
SUA CAVERNA TODA SE ABRE
ESCANCARANDO SEUS CRIMES ENTOCADOS
EM MUITAS BARRAS DE OURO
SENDO SACRIFÍCIO EM OURO DE TOLO
CUIDADO!!!...CUIDADO!!!...
ELE É DOTOR SISTEMÁTICO...
NAS FAVELAS OU NO SENADO
ELE EXPLODE À MIL!
ELE ESTAR EM TODO LUGAR
ATÉ NO PLANALTO CENTRAL DO BRASIL!
 
31/10/2009 11:22:54 :: Clevgospel


FOI COM UM TIRO NA CARA QUE ELE SUICIDOU

ESSA É UMA ESTÓRIA TRISTE DE UMA CARA...
QUE QUERIA SAIR DA ESTRADA
POR NÃO SUPORTAR MAIS A SUA CARA!
ENCARANDO MUITO A DOR
A DOR DA OPRESSÃO
POR SENTIR SUA TRISTE REALIDADE
NESTE MUNDO CÃO!
TUDO QUE ELE QUERIA ERA SÓ FUGIR!
ELE QUERIA FUGIR...DELE MESMO!
E SUMIR...SAIR PORAÍ E SUMIR!!!...
MAS ELE SEMPRE ESTAVA COM ELE!...
E COM O TÉDIO...ERA O TÉDIO NELE!...
SENDO COMPANHEIRO INGRATO
NUMA INCONVENIÊNCIA EM DESTRATO!
COMO OCASO E COMO ACASO
E PRA ELE SÓ A MORTE!
SUA DOR ERA MUITO FORTE!
ELE ATÉ LIGOU A TV
E NÃO TINHA NADA DE NOVO
EM NOVIDADE PRO SEU EGO
TUDO NA TELA JÁ ERA VELHO
POIS PRA ELE TUDO ERA UM SACO
ERA TUDO PAPO FURADO
TOCA AGORA O TELEFONE
ELE SE IRA
E NÃO RESPONDE!
PRA NÃO QUERER MAIS SE OFENDER
E A OPRESSÃO NÃO CORROER
ELE FUMA UM CARÊTA
TOMA UM TRAGO DE CAFÉ
PENSA AGORA NA MULHER
SUA VITROLA ROLA UM ROCK
THE WALL DE PINK FLOID
ELE ACENDE UM BASEADO
FUNGA UNS CARREIRÕES DE PÓ
TRAVADO E ANESTESIADO
BOTA AS MÃOS NA SUA CABEÇA
S.O.S POR FAVOR
EU ESTOU NUMA DE HORROR
QUERO AGORA ME MATAR
A COVARDIA NÃO QUER DEIXAR
DERREPENTE ELE VIAJA
E NO MEIO DA VIAJEM
ELE POUSA NA SOLIDÃO
BATENDO FORTE UMA OPRESSÃO
E NA MIRA DO GATILHO
ELE SÓ PENSA EM SUICÍDIO
ELE FAZ ROLETA RUSSA
E SUA ATITUDE VAI MALUCA
UMA VOZ TE DIZ QUE NÃO
OUTRA VOZ TE DIZ QUE SIM!
ELE PARA PRA PENSAR...
E A VOZ AINDA DIZ...NÃO!!!
MAS A OUTRA DIZ SIM!
DUAS VOZES EM BANG BANG!
E O TERROR TA MUITO GRANDE!
ELE TEM A OPÇÃO!!!
E AGORA INVADE O MEDO...
SE APAVORA E SE ASSOMBRA...
SENTE MUITA OPRESSÃO...
SE DESORIENTA...E SE CANSA!
E ESCOLHE A VOZ MAU!!!
APERTA O DEDO NO GATILHO!
E COMETE UM SUICÍDIO!
COM UM TIRO NA CARA...
INDO AGORA PRO JUÍZO!
AS VOZES...ERA UMA DO ANJO
E A OUTRA DO MALÍGNO!
ELE AINDA TEVE UMA OPORTUNIDADE...
MAS SE PRECIPITOU
E VIAJOU À ETERNIDADE
SEM PAZ...SEM DEUS...ELE EMBARCOU!
ESSA É UMA TRISTE ESTÓRIA!!!...
FOI COM UM TIRO NA CARA QUE ELE SE SUICIDOU!
 
31/10/2009 11:13:19 :: Clevgospel


CAVALO FORA DA LEI

PODEMOS FAZER UM CAVALO VOAR
À VOAR FORA DA LEI.
VEJA COMO É O SEGRÊDO
NAS MÃOS TEM CINCO DEDOS
NO VENTO SOPRA O AR...
NA CABEÇA TEM CABELOS...
QUEM É CALVO É CARECA...
NÃO PENSE QUE É FILOSOFIA...
QUE É PROVÉRBIO OU CONVERSA...
COMO AS NUVENS SE TRANSFORMAM
LÁ NO CÉU À VOAR...
EU TE MOSTRO UM GAVIÃO...
UM ELEFANTE E UM CARCARÁ...
EU TE MOSTRO MUITAS NUVENS
SENDO EM METAMORFOSE...
SENDO ELA EM MUITAS FORMAS...
COM FUMAÇAS QUE DISSOVEM...
COM FUMAÇAS À VAPOR!
E O VENTO QUE SOPROU...
NOSSA MENTE À IMAGINAR...
EU TE MOSTRO UM CAVALO...
UM CAVALO Á VOAR!...
SENDO FEITO POR VOCÊ...
QUE FEZ O QUE PENSOU...
QUE PENSOU...IMAGINOU...
FEZ UM URSO...LÁ NO AR
FEZ O PATO...FEZ O GANSO...
VENDO ELES FLUTUAR...
E TAMBÉM FEZ O CAVALO...
UM CAVALO À VOAR...
À VOAR FORA DA LEI...
SEM A LEI DA GRAVIDADE...
SEM A LEI DE NEWTON...
SENDO UMA NOVIDADE...
LENTO...RÁPIDO E DE VEZ...
UM CAVALO À VOAR...
À VOAR FORA DA LEI...
 
31/10/2009 00:54:39 :: Clevgospel


         Apocalipse 22

Apocalipse 22
1 ¶ E mostrou-me o rio puro da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.
2 No meio da sua praça, e de um e de outro lado do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a saúde das nações.
3 E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão.
4 E verão o seu rosto, e nas suas testas estará o seu nome.
5 E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os ilumina; e reinarão para todo o sempre.
6 ¶ E disse-me: Estas palavras são fiéis e verdadeiras; e o Senhor, o Deus dos santos profetas, enviou o seu anjo, para mostrar aos seus servos as coisas que em breve hão de acontecer.
7 Eis que presto venho: Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.
8 E eu, João, sou aquele que vi e ouvi estas coisas. E, havendo-as ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava para o adorar.
9 E disse-me: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.
10 E disse-me: Não seles as palavras da profecia deste livro; porque próximo está o tempo.
11 Quem é injusto, faça injustiça ainda; e quem está sujo, suje-se ainda; e quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda.
12 E, eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra.
13 Eu sou o Alfa e o Omega, o princípio e o fim, o primeiro e o derradeiro.
14 Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas.
15 Ficarão de fora os cães e os feiticeiros, e os que se prostituem, e os homicidas, e os idólatras, e qualquer que ama e comete a mentira.
16 Eu, Jesus, enviei o meu anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã.
17 E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.
18 Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;
19 E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.
20 ¶ Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus.
21 A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. Amém.
 
31/10/2009 00:32:02 :: Clevgospel


            APOCALÍPSE 21

Apocalipse 21
1 ¶ E vi um novo céu, e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.
2 E eu, João, vi a santa cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido.
3 E ouvi uma grande voz do céu, que dizia: Eis aqui o tabernáculo de Deus com os homens, pois com eles habitará, e eles serão o seu povo, e o mesmo Deus estará com eles, e será o seu Deus.
4 E Deus limpará de seus olhos toda a lágrima; e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.
5 E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis.
6 E disse-me mais: Está cumprido. Eu sou o Alfa e o Omega, o princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida.
7 Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.
8 Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.
9 ¶ E veio a mim um dos sete anjos que tinham as sete taças cheias das últimas sete pragas, e falou comigo, dizendo: Vem, mostrar-te-ei a esposa, a mulher do Cordeiro.
10 E levou-me em espírito a um grande e alto monte, e mostrou-me a grande cidade, a santa Jerusalém, que de Deus descia do céu.
11 E tinha a glória de Deus; e a sua luz era semelhante a uma pedra preciosíssima, como a pedra de jaspe, como o cristal resplandecente.
12 E tinha um grande e alto muro com doze portas, e nas portas doze anjos, e nomes escritos sobre elas, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel.
13 Do lado do levante tinha três portas, do lado do norte, três portas, do lado do sul, três portas, do lado do poente, três portas.
14 E o muro da cidade tinha doze fundamentos, e neles os nomes dos doze apóstolos do Cordeiro.
15 E aquele que falava comigo tinha uma cana de ouro, para medir a cidade, e as suas portas, e o seu muro.
16 E a cidade estava situada em quadrado; e o seu comprimento era tanto como a sua largura. E mediu a cidade com a cana até doze mil estádios; e o seu comprimento, largura e altura eram iguais.
17 E mediu o seu muro, de cento e quarenta e quatro côvados, conforme a medida de homem, que é a de um anjo.
18 E a construção do seu muro era de jaspe, e a cidade de ouro puro, semelhante a vidro puro.
19 E os fundamentos do muro da cidade estavam adornados de toda a pedra preciosa. O primeiro fundamento era jaspe; o segundo, safira; o terceiro, calcedônia; o quarto, esmeralda;
20 O quinto, sardônica; o sexto, sárdio; o sétimo, crisólito; o oitavo, berilo; o nono, topázio; o décimo, crisópraso; o undécimo, jacinto; o duodécimo, ametista.
21 E as doze portas eram doze pérolas; cada uma das portas era uma pérola; e a praça da cidade de ouro puro, como vidro transparente.
22 E nela não vi templo, porque o seu templo é o Senhor Deus Todo-Poderoso, e o Cordeiro.
23 E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem iluminado, e o Cordeiro é a sua lâmpada.
24 E as nações dos salvos andarão à sua luz; e os reis da terra trarão para ela a sua glória e honra.
25 E as suas portas não se fecharão de dia, porque ali não haverá noite.
26 E a ela trarão a glória e honra das nações.
27 E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro.
 
31/10/2009 00:07:05 :: Clevgospel


GÊNESIS E APOCALÍPSE

É BONITO FALAR DO MAR
É BONITO FALAR DO SOL
É BONITO       FALAR DO AR
DA LUA E DAS ESTRELAS
TAMBÉM É BONITO FALAR
COMO É LINDO POETIZAR
COM AS RIMAS O VENTO SOPRAR
COMO A BAILARINA NO BALÉ À DANÇAR!
POESIAS EM RÍTMOS DE TANGOS
PALADAR DE ASSADO FRANGO
É BOM OLHAR PRO CHÃO
E VER UMA EMBALAGEM DE CHOCOLATE
DA NESTLÉ...DA CHADLER
E FICAR BRINCANDO COM AS MENSAGENS
UM CHUTE NA TAMPINHA DA COCA-COLA
E NA CACHINHA DO CHICLETE ADAMS
E NO COPO DESCARTÁVEL...
E FAZER POESIAS COM OS CARTAZES
VIVENDO UM POUCO DE FANTAZIA...
NA ALEGRIA DA POESIA!
É BOM!...
É DOM!...
E A REALIDADE ESTAR AÍ...
E TEMOS QUE DESPERTAR...
NÃO PODEMOS VACILAR...
HÁ UM TEMPO DE BRINCAR...
HÁ UM TEMPO TAMBÉM DE TRABALHAR...
HÁ UM TEMPO TAMBÉM DE DESPERTAR!...
O GRILO GRITA...E EU TAMBÉM GRITO!
EU GRITO...EU DOU UM GRITO!
NÃO VAMOS FICAR DESPERCEBIDOS...
SÃO AS TROMBETAS...SÃO OS ALARIDOS!
SENDO ALFA...ÔMEGA...O PRINCÍPIO E O FIM...
SENDO GÊNESIS E APOCALÍPSE...
PRA VOCÊ E PRA MIM
DE TUDO QUE JÁ ACONTECEU...
E TUDO QUE ESTAR PORVIR!
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.