Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
06/02/2010 22:32:40 :: LUCILENE SOUZA DA SILVA

FILHOS X PAIS

FILHOS:

Certo, sou adolescente
Tenho meus direitos
Quero ser independente
Tenho tempo,sou perfeita
Atraente, sou inteligente...

Meus velhos não entendem
Sou da geração da perfeição
Sou mais eu, quero ser modelo
Ou talvez faça "Nutrição"...

Não importa, tenho tempo
Posso fazer o que quiser
O mundo todo me espera
Basta apenas um olhar
A decisão certa a tomar...

O futuro é mágico, alucinante
Nele eu sei, posso confiar
Nada de sermão nem chateação
Essa parada é doida meu irmão...

Chega de drama de mamãe e papai
A liberdade é minha, garantida por lei
Quando piro na vida o baixo astral sai
Quando vou pras baladas curto o máximo;
De tudo que é meu, isso tudo eu sei...

"Viva e deixe viver"
É meu lema, meu jeito de ser
Caretice é brega, é chato
Esse papo não dá pra entender...

PAIS:

Muito bem meus queridos adolescentes
Acredito num futuro melhor
Pra vocês que são a força do mundo
Não quero de forma nenhuma o pior...

Mas guardem essas palavras no coração
Seus "velhos" talvez não os entendam
São caretas e bancam os mandões
Acreditem, amanhã vocês entenderão...

Na vida de liberdade, cheia de motivação
Há riscos, perigos, às vezes mutilação
Seus pais não querem que sofram, que chorem
Nenhum tipo de dor, nenhum arranhão...

Tomem cuidado com tudo que dizem
Com palavras tão duras fazem sofrer
Aquelas pessoas que no mundo real
Dariam a vida por amor à vocês!!


Lucilene Souza da Silva


 
06/02/2010 22:25:22 :: Juliana K.
Na fama? O anonimato.
No luxo? A simpllicidade.
No dinheiro? A humildade.
No amor? A satisfação de ser correspondido.
 
06/02/2010 22:23:15 :: Juliana K.
\'Então eles viveram felizes para sempre.\' Quando a peça chega ao fim, as cortinas se fecham e as luzes apagam-se é também quando caímos na real e repetimos para nós mesmos que contos de fadas, simplesmente não existem.
 
06/02/2010 13:38:25 :: Luiz Gabriel
FRESCURINHAS

Você pergunta se te amo
Se de ti tenho saudade
Pra agradar digo que amo
Não sei nem se é verdade...


Você pede pra eu cantar
Musiquinhas no ouvido
Se não canto dá tapinha
E já vem com historinha
De amor não-correspondido


Quando ligo o celular
lá está sua mensagem
"Você foi o meu presente"
Mas princesa, vê se entende:
Amor é pura sacanagem!


É esse amor de frescurinhas
Que você me faz viver
Por você viro criança
Te acompanho nessa dança
Só pra não te ver sofrer


São as suas frescurinhas
Que me fazem te querer
Então diga que me ama
Vou dizer mas não reclama:
Eu sou louco por você!
 
03/02/2010 23:21:22 :: GORETTI ALBUQUERQUE


A Flor Primeira

No rosto a leve brisa
Nas mãos ternas carícias
Tens no olhar o brilho com malícias
Fortes batidas que um coração sincroniza.

Nos passos ritmados da menina,
O Céu muda de cor, o sol tem que se por.
A lua escondida em seu encanto ensina
Que o toque da menina enlouquece e fascina.

No sorriso debochado da moleca
Delírios e ensejos por seus beijos,
Mancebos vão ao Céu como em rapéu
Seus corpos são vulcões em erupções.

Nem sabe o que é capaz essa pequena
Vai por aí sorrindo do destino
Seu mundo tem a cor e maciez de um ninho
Trás em sua boca o cheiro de açucena.

Hormônios seus sinônimos bem marcantes
Requebros nos quadris olhares ofegantes
Viaja Céu e mar tudo em instantes
Deixa o luar e a terra excitantes.

Menina faceira travessa e fagueira
Vives teu encanto vestida em teu manto,
Escondas-te da dor e do pranto,
Seja a Flor Primeira de uma vida inteira.

Goretti Albuquerque.
 
03/02/2010 01:28:59 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Toca Boiadeiro!

Hei bom boiadeiro
Sopra ao viageiro
Brada ao garimpeiro
Diz pro mundo inteiro
Com toque certeiro
Florir aos canteiros.
Grita ao jardineiro
Cuidar dos celeiros
Transformar viveiros
Com teu som fagueiro
Fala ao arvoredo
Conta teus segredos.
Ressoa altaneiro
Garboso e trigueiro
Alcança o veleiro
Ecoa faceiro
Hino aventureiro
Mensagem em luzeiro.
Com tom bem festeiro
Toca ao forasteiro
Nos desfiladeiros
Encanta aos vaqueiros
Em versos matreiros
Meu nobre estradeiro.
Nas mãos do “Oleiro”
“Vives Boiadeiro”!

Goretti Albuquerque.
 
01/02/2010 21:46:07 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA
Ontem vi pela TV
(Primitiva como quê!),
Gente nômade na mata,
Que hoje o tempo constata...

Naquela selvageria
A dor confunde a alegria:
Mulher que se autoflagela
Para se mostrar mais bela!

Casa no topo do tronco
(Pensamento muito bronco...),
Alimento de besouro
E a incerteza por tesouro.

A criança o que prediz?
(Conseguirá ser feliz?)
Com o que sonha a menina?
(Terá futuro na sina?)

Vendo o homem capitalista,
Sanguinário, calculista,
Nadando em luxo e riqueza,
Senti profunda tristeza.

Quem sabe um dia isso mude
E haja no mundo virtude
E aquela gente escondida
Econtre - afinal - a vida!
 
01/02/2010 14:18:15 :: ROSANGELA NUNES
 
01/02/2010 14:15:57 :: ROSANGELA NUNES
Tempo-quente!

1 dia...
Não bem definido,
encontrei 2 temas proporcionais à
terceira conveniência:

1a. define tematicamente o número 1
com caracteres de par,
representado pelo zero:
- nada importa,
- nada constroi,
- nada de vida!

2a. determinada pelo tudo,
que envolve todos, mas que,
de nada emite, isso porque,
zero elevado ao cubo é zero!

3a. é a soma de zero X zero
ao cubo, que é igual ao resultado
de 1 dia, 2 vidas, multiplicada
por tragédia, violência, sangue,
dor, angustia, e... " uma educação
deforma contida num país de terceiro mundo, que tem como consequência:
- depressão ou um passaporte carimbado
para o inferno!
Concluindo:
"Onde não há respeito,
não pode haver soma".
 
30/01/2010 08:16:22 :: ELMIRA NUNES


“O ÓDIO, que julgas ser a antítese do amor,
não é senão o próprio amor que adoeceu gravemente.” Chico Xavier.

O amor adoecido,
transtornado, entontecido
quedou-se em sentido pranto,
desalentado e ferido.
Avermelhou-se de fúria,
arvorou-se justiceiro
em brilhante indumentária!
Singrou mares, tempestades,
guardou troféus em seu alforje.
Perdeu batalhas na guerra,
cansou das lutas inglórias.
Os despojos lhe pesaram,
não dá prazer carregá-los!
Desfez-se do incômodo fardo
ao longo da caminhada.
Agora leve, sereno,
cabelos brancos ao vento,
dança ao sabor das marés
num oceano de calma
e infinda sabedoria.

 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.