Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
11/01/2009 15:08:49 :: WILIAN CARLOS CIPRIANI BAROM


A FELICIDADE EXISTE OU NÃO EXISTE?

A Felicidade não existe. O que existem são momentos felizes. Saber diferenciar estas duas afirmações é a chave para a sua vida em felicidade.
Existem pessoas que realmente acreditam que a felicidade está na posse, no poder e na riqueza. Prova disso, é que se enganam constantemente com jogos, promessas de signos, amor, empregos e futuros. Você certamente já ouviu os seguintes comentários:

“quando eu ganhar no jogo...”,
“quando eu conseguir um amor de verdade...”,
“quando eu arrumar um emprego melhor...”,
“quando eu crescer...”.

REPAREM BEM nas coisas que acabaram de ser ditas. São afirmações muito mais complexas do que parecem. E carregam consigo, uma grande tristeza humana disfarçada numa falsa esperança de uma vida melhor. O ser humano constantemente não esta satisfeito com as coisas que tem. E acha, que aquilo que ele não tem, pode ser o que lhe faltava. É como se fossemos um buraco sem fundo e, ilusoriamente, achamos que um dia tamparemos este buraco com alguma coisa e viveremos felizes para sempre.
Sempre procuramos, nos mais variados locais, nas mais diversas pessoas, aquelas que nos prometem (não o melhor), mas simplesmente aquilo que no momento NÃO temos. Assim, enganamo-nos com amigos que prometem namorados; enganamo-nos com pessoas que prometem empregos; enganamo-nos com jogos que prometem riquezas, e nos enganamos com crenças que prometem o pós-morte a nós mortais.
O que está errado é a PROCURA e não os locais. Pois, ao procurarmos, achamos que um dia vamos encontrar. E aí nos enganamos, pois nunca encontraremos. E se encontrarmos, vamos eleger outro objeto de desejo, que não seja de nossa posse, como alvo de nossa NOVA felicidade. Você certamente já ouviu a história de que existem ricos infelizes. Isto é realmente uma prova de que o poder, a riqueza e a posse não trazem a felicidade. Mas não quero dizer também que a pobreza traz a felicidade. Isto seria, no mínimo, uma burrice.
Sendo assim, até agora podemos concluir que o homem criou o conceito felicidade e, atualmente, o vem atribuindo a tudo aquilo que ele não tem. Sabendo disso, que nunca viveremos numa felicidade plena, pois sempre acharemos algo que nos falta, podemos afirmar que esta tal felicidade nunca será alcançada, portanto, não existe e nunca existirá.
A consciência desta realidade nos permite dar o segundo passo como ser humano. Como diria Platão, sair da caverna. Já que tomamos consciência de que não estão nas coisas, objetos e pessoas a felicidade, agora sim podemos vivenciá-la de modo verdadeiro. O RECONHECIMENTO do que temos, vivemos e conhecemos é a própria felicidade. Não devemos jogar para o futuro (ou passado) as nossas esperanças. Mas sim, como alguém que sobe na árvore mais alta da floresta, olhar para toda a beleza da natureza humana que nos foi dada, e está aí, posta neste exato momento, em nossas vidas, a felicidade. Com o que temos, onde estivermos, devemos fazer o que podemos. E valorizarmos cada segundo com as pessoas que conhecemos. É a consciência de que o momento está acontecendo, que é a felicidade. Sabendo disso, finalmente nos libertamos desta cultura de consumo e conseguimos alcançar a felicidade em todas as coisas do mundo. No exato momento presente. Ao alcance de nossas mãos.

Pense nisso, e construa a sua própria felicidade!
 
11/01/2009 02:11:44 :: MANOEL SERRÃO DA SILVEIRA LACERDA


INTERLÚDIO [SerrãoManoel]

No interlúdio inupto que medra entre o rio e a baía,
preliba intrusa a península abissal.

Solerte e prévido sob o platô infindo,
há o plenilúnio e as estrelas
sem mesura vasta sobre a imensidão do cais.

Ao passo que de somenos ofício celebram em ode efêmera a bohêmia entre intermitentes permissões o caos.
No tempo
do sol o que reluz é ouro.
No tempo
da sombra o que é noite
é escuridão.

Vê se vês que no tempo
da vida quando há sangue, há plasma.
Quando há ànima, há chama.
Quando há ser, há existência apaixonada.

Não há escrínio.
Não há lex, nem há escárnio.
Viu vir que só há o inerente beijando o consuetudinário.
E o tempo do amor divino atemporal que não se acaba em água e sal.

Há o tempo do existir e do eterno emergir.
O tempo do ir para fora, onde nunca se alcança o sentido da hora.

é escolha impermanente em ebuliente decisão.

é desse viver de quê vos falo, que deixa a plêiade "bohêmia" de fora!



 
10/01/2009 16:04:20 :: Godinho@Godinho


PAIXÃO QUE VEIO PRA FICAR

Olhos se fitam,
Não se evitam,
Vozes não saem...
Silêncio que fica,
Coração que palpita,
Corpos se atraem...

O rosto aquece,
O desejo aparece...
Lábios se tocam,
Mãos se provocam,
O amor acontece...

O dia amanhece,
A paixão floresce...
Sonhos se realizam,
Vidas se eternizam,
A alma não esquece...

Do perfume que fica,
Vozes que emudecem...
Dos olhos que brilham,
Beijos que os entorpecem...

Do rosto colado,
Ainda corado,
Do ato de amar...
Das mão sobrepostas,
Buscando respostas,
No jeito de olhar...

O sol deslumbrado,
Com os apaixonados,
Prefere calar...
É tanta emoção,
Que nem mesmo a razão,
Consegue explicar...

Em meio ao silêncio,
Uma voz ao vento,
Vem os avisar...
“Eu sou a paixão,
Digam ao coração,
Que eu vim
Pra ficar”...

by:Godinho@Godinho
 
10/01/2009 14:40:07 :: VALÉRIA REITER


O HOMEM E DEUS

   O HOMEM É O FILHO, E O PAI É DEUS
O HOMEM TEM LIVRE ARBÍTRIO.SEGUE O BEM OU O MAL
A PAZ VEM DA VIDA EM COMUNHÃO COM O CRIADOR
DO UNIVERSO..DA VIDA..DO HOMEM..
E HOJE..EU ESTOU AQUI..SER HUMANO..
PROFESSOR..QUE ENSINA..OS MENORES..
O SENTIDO DE VIVER..EM HARMONIA..EM SINTONIA..
COM A PAZ..E TRANQUILIDADE..DE UM SANTO PROCEDER
AONDE MESMO PECADORES..PODEMOS NOS REDIMIR
ENSINANDO ARTE, CULTURA, ESPORTE E LAZER..
CONTINUE ASSIM..PROFESSOR LOMBA..ENSINANDO..
OS PEQUENOS..O DESPORTO SADIO..COM AMOR E PRAZER..
 
10/01/2009 13:09:08 :: MANOEL SERRÃO DA SILVEIRA LACERDA


ALGUÉM ME DISSE! [SerrãoManoel]

[DEDICO-O IN MEMORIAM DO MEU PAI                  
[AGAMENON LUCAS DE LACERDA]

Alguém me disse
que um dia as cores iriam mudar.
Falou-me que as haveriam de desbotar.

Cego de mim não "ouvir"
ou sequer encarei seu terno olhar.

Duvidar?
Duvidei do que o homem dizia.
Hoje de saudade choro até soluçar!




 
10/01/2009 11:46:25 :: ALEXANDRE BRUSSOLO


"Será que alguma vez se chega ao fim de amar? Há pessoas que já morreram e eu sinto que continuam amando..."

(Henri Barbusse)
 
10/01/2009 06:41:27 :: MANOEL SERRÃO DA SILVEIRA LACERDA


A FELICIDADE NÃO É EXTRATO DE TOMATE [SerrãoManoel]

Convenhamos a felicidade não se acha embalada num invólucro herméticamente fechado, não vem enlatada feito extrato de tomate ou azeitona, tampouco empacotada feito café a vácuo.

Com a felicidade não se contrata, não se avença e tampouco se adquire como um produto de consumo ou um bem durável que se compra e paga em qualquer loja ou supermercado.

É pura perda de tempo passar pela vida e não vivermos porque entendemos que o melhor caminho é correr atrás da felicidade como se corre atrás d'um emprego qualquer ou atrás de uma bola quando se joga uma partida de futebol. Burrice? Não! É       estupidez mesmo!

Ledo engano é quem pensa de tal forma já que muito melhor do que alcançarmos a felicidade é viver! Viver muito e intensamente todos os dias que nos permite Deus. Para tua felicidade a felicidade manda um recado, manda te dizer que: É bem melhor viver a tentativa de consegui-lá alcançá-la do que propriamente alcançá-la de fato. Perde a graça!

Na vida o grande barato e contentamento de se viver prazerosamente com um sorriso aberto repousa muito mais na grande viagem do caminhar em sua direção afim de alcançá-la do que chegar ao destino do seu alcance.

Estados de felicidade são tão fugazes, frívolos e efêmeros quanto o       vento zéfiro que passa e nos beija suavemente o rosto. Portanto a felicidade que buscamos por alcance quando achamos que conseguiremos alcançá-la, esta pode não ser mais aquela felicidade que imaginávamos nos fazer tão felizes como ideal de vida quando à desejamos no passado recente. Isto porque       o meu e o teu desejo, os nossos desejos       de felicidade       desejada decerto em outro momento da vida já não são os mesmos dantes, isto é, por que desejos voam, passam e vão para um outro front bem distante daquilo que pensavamos existir no hoje e assim já não mais comportam na vida que explode apressadamente. Tudo muda. O mundo muda. Os desejos mudam. Eu mudo. Tu muda. Nós mudamos. E tudo continuará mudando. Ou seja, a fila anda. Luiz Vaz de Camões expressa de forma precisa e clara o mudar acima sob comento ao professar que: "Mudam-se os tempo, mudam-se as vontades, muda-se o ser, muda-se a confiança; Do mal ficam as mágoas na lembrança, e do bem, se algum houve, as saudades". Não te deste conta?       Contudo mesmo cônscio das ânsias e desejos de outrora que no-lo serve no mais agora, ainda assim segue cometendo o mesmo erro de elementar recorrência, isto é, segue adiando o viver a vida só para alcançá-la como se conquista uma vitória tal qual numa maratona decisiva. E assim erguê-la como um trofeu no alto do podium como símbolo e prova da façanha ao seu próprio ego que te cobra pela infinitude. E eis que surge um ser feliz para sempre.

E ponto finale! É mamão com açúcar, não é!

Será que o teu Eu, o trófeu e o pódio imaginam que serão felizes para sempre? Quanta infelicidade, ó pá? Melhor ser feliz!

 
09/01/2009 23:22:09 :: ANNA


Mais um ano de vida

Mais um ano de solidão
E eu sozinha na multidão
Sinto-me assim, não sei por quê
Na verdade sou muito amada
Tenho uma enorme família
Amigos reais, amigos virtuais
Nunca tive inimigos
Aonde vou sou bem aceita
Mas a solidão nunca me deixa
Tenho na alma um universo
Que sempre está presente
No coração muito amor
Que às vezes me sufoca
Sinto magia e fantasia
Idéias me brotam da mente
Povoada de mundos que serão sempre só meus
Mas me sinto sozinha...
No meio dessa multidão
Tenho um Deus que me sustenta.
Me da forças na jornada
Mas... Não importa os motivos
Dessa minha solidão
Pois sei que sou muito
Amada

Anna
 
09/01/2009 08:52:39 :: DENISE CARVALHO


SOBRAS


colar pedaços


de imagens e pinturas


emolduradas de situações


conexas e condecoradas




sensíveis traços


de trilhas


embates e perspectivas


tudo: mitos e desafios




sensações divinas


cerco ao surreal


visão dilacerante




de mim


um pouco


de ti


minhas sobras bastam!


DENISE CARVALHO
 
08/01/2009 19:19:33 :: ARAUJO FRANCO
LEMBRANDO DE DEUS.
Seu moço me da licença, vou lhe contar a minha história
Em busca da fama e glória, sai sem rumo sem nada
Botei o meu pé na estrada e me lembro que naquela hora
Vi mamãe ajoelhada aos pés de Nossa Senhora, rezando e fazendo prece pro filho que ia embora.
Com a voz quase embargada disse adeus e fui saindo, sabendo que estava indo ao encontro dos sonhos meus, acompanhado por Deus lhe pedia proteção que me mostrasse e que não me faltasse o pão.
Fiz de tudo nesta vida, trabalhei como ajudante servente de pedreiro, fui padeiro e até caminhoneiro e foi nesta última profissão que eu me arrumei na vida, pois comprei o primeiro caminhão.
Esperto nos negócios e muitas vezes já lesando os sócios fui adquirindo fama e riqueza, agora eu mandava e não pedia, eu tinha muito dinheiro.
Passei a ser arrogante, mulher eu tinha aos montes prá satisfazer todos os caprichos meus, maltratava os empregados e vou ser bem sincero não gostava daquela gente pobre e doente que só me aborrecia e prá dizer bem a verdade eles tinham mesmo é que cumprir as minhas ordens gostassem ou não afinal de contas eu era o patrão.
Não preciso dizer que passei a usar e traficar o tal pó que alucina e mata, e foi com esta nova amizade que fiquei muito mais violento e respeitado até que um dia a casa caiu.
Num cerco bem planejado a polícia fortemente armada prendeu todos os amigos meus. Felizmente escapei com vida e não sofri nenhum arranhão no físico, mas por dentro eu tinha morrido, porque no canto em que fiquei fui viajando de volta no tempo relembrando os caminhos percorridos e descobri que a maior falha que tive foi tirar Deus da minha vida.
No longo retorno prá minha casa enfrentando as intempéries do tempo, a vergonha, a fome o descrédito, tudo isso caminhava ao meu lado. Após dias de viajem parei enfrente a minha casa empurrei de vagar a porta e não contive a emoção, mamãe estava ajoelhada no chão conversando com Nossa Senhora, e antes que ela me notasse ouvi as suas preces rogando proteção ao filho seu e que ele nunca se afastasse dos caminhos de Deus.
Pois é seu moço, hoje ando pelo mundo e sou conhecido apenas como um vagabundo que já teve fama e dinheiro, que se esqueceu de    orar e vigiar como recomendou Nosso Senhor, e por causa disto perdeu a fé no Cristo que apenas com alguns pães alimentou uma multidão e se hoje quero tomar um café    só se alguém me pagar porque eu não soube conservar tudo o que o pai    me deu, esta foto que lhe mostro seu moço, este sou eu, precisei ficar sem nada na vida prá voltar a lembrar de Deus


 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.