Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
16/01/2009 01:02:12 :: GORETTI ALBUQUERQUE


                        Se...

Se o mundo olhasse o homem
Como o homem assim o faz
Puniria o ser humano
De uma forma brutal
Pois queima e destrói a terra
É o pior bicho voraz.

Pobre planeta falido
Em seus relevos e matas
O ser que se diz humano
Ambicioso te assalta
Fauna, flora e oxigênio.
\Riachos rios e cascatas.

As ribanceiras dos rios
Riacho por onde passam
A nossa água da vida
Já está sem seu repasse
Desviaram o seu curso
Como se o renegasse.

Nossas matas verdejantes
Já não se parecem tantas
O homem tira a madeira
Abre crateras que espanta
Um dia ele(homem) provará
Amargura e desencanto.

O homem tem que pensar
Em reparar os seus danos
Antes de ter que provar
Seu veneno em todo o canto
Vamos salvar o planeta
A natureza reclama.

         Goretti Albuquerque.

 
16/01/2009 01:00:48 :: GORETTI ALBUQUERQUE


               Retrato de Uma Vida.

Através do que acontece
Durante o tempo de vida
Se prestarmos atenção
A história vai contando
Do ventre em que nós nascemos
Uma herança vem traçando.

Às vezes o nosso destino
Nos faz pessoa letradas
Burlamos os desalinhos.
Outras vezes a própria sorte
Nos entrega a “Mãe Gentil:”
Daí nascem os expurgados
Ou ainda os rejeitados
Para virarem o “Cenário”
De um País em “seminários”

Quando então questionamos
Visíveis desigualdades
Nesse “Brasil” de riquezas
Ouvimos autoridades
Aumentarem seus salários
De forma tão descarada
Que os menos favorecidos
Se metem em enrascadas
Por serem tão esquecidos.

Mais pra alívio dessa dor
Não tem remédio Doutor
Temos que ficar no tédio
Não temos as estratégias
Para roubar sem pudor
Vivemos uma utopia
De um bom mundo compor
Que nos tire essa agonia.

            Maria goretti Albuquerque

 
16/01/2009 00:59:17 :: GORETTI ALBUQUERQUE


         E o Advogado?

E de quem é e de quem é?
Esse tal advogado
Que tem cara de gaiato
Mais é um rapaz centrado
Lutou criando seus filhos
Mais ganhou seu “Doutorado”
Quem vê suas brincadeiras
Não sabe das quebradeiras
Que a vida te fez passar
Quem não te conhece, pensa:
Que tua alegria constante
Vem de um viver sem pensar.

Como meu “Pai” usa em versos
Mostraste o teu “Pra que Veio”
És antes de tudo, um “forte”
Da genética trouxe um “Porte:”
Meu irmão, meu “Malandreco”.
Lutaste por tua sorte

Lembras do “Paroquial”
Salão da Cidadezinha
Onde todos nós nascemos
Azarando as menininhas.
E os caracoes dos cabelos?
Invocado esse “Mancebo”
Hoje já todos adultos
Com família pra zelar
Às vezes somos sisudos
Em outras a gargalhar
Somos eternas crianças
Crescendo sempre no “Amar”.

               Maria Goretti Albuquerque.
 
16/01/2009 00:57:41 :: GORETTI ALBUQUERQUE


                  “CULPAS>”

Seu moço eu não tenho culpa
Das culpas dos outros não
Me entregaram toda culpa
E não dividiram não.

Seu moço eu não sou culpada
Das culpas dos outros não
Das minhas, peço desculpas
Dos outros, não peço não.

Seu moço eu nem sei porquê
A vida me tem culpado
Será por eu não ter culpa
Das culpas dos tais culpados?
Seu moço eu vivo de culpas
Que o mundo tem repassado
Culpas essas que    eu    só vejo
Nos dramas e seriados..

Seu moço eu não quero as sobras
Das culpas dos outros não
Cada um pegue sua culpa
Sem dividir com o irmão,

         Maria Goretti A lbuquerque.

 
16/01/2009 00:56:11 :: GORETTI ALBUQUERQUE


            Solo triste.

Se te sentes tão fraquinho
Pensando em desanimar
Pede ao homem consciência
E em tudo melhorar
Salvar os teus nutrientes
Que estão tentando levar.

Solo que nos dá fartura
Põe na mesa o alimento
Pra tanta gente fartar
Exiges conhecimento
Do homem que traga a terra
Deixando-a no esquecimento.

Pedes para a natureza
Ser compassiva contigo
E que ensine ao próprio homem
A não ser seu inimigo
Tira de ti, seu sustento
Mais é um ser pervertido.

Solo do agreste sertão
Castigado pela seca
Espera a chuva já vem
Muito em breve não te esqueças
Os botõezinhos em flor
Brotarão, não te esmoreças.

Faz brotar a erva daninha
Também os lírios do campo
Cobre a relva e toda a terra
Com resplendor e encanto
Se o homem não te cuidar
Em breve virá seu pranto.

      Goretti Albuquerque..

 
16/01/2009 00:54:35 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Onde me encontro.

No cantar de um passarinho
Vigiando o próprio ninho
No viajante errante
Que busca em vão um caminho
Por certo não encontrou
Um caminho que ilumine
Nem um mundo que o fascine.

Em cada olhar profundo
De quem se acha sem mundo
No semblante do mendigo
Que em seu nome já trás
Pedido de alguém que o olhe
Num prato cheio, sua paz.

Nas mãos da mulher que passa
Gesticulado com o filho
Na criancinha que chora
Sem sequer ser compreendida
Será que ela (criancinha) já sabe
Que isso faz parte da vida?

Aquele homem sisudo
Indo para lá e para cá
Na vida que vai levando
E junto vai me levar
Ou quem passa pela vida
Somos nós que a manejamos.

                              Maria Goretti Albuquerque
 
16/01/2009 00:52:52 :: GORETTI ALBUQUERQUE


                  Rodas do Tempo.

Gira o mundo bem depressa
Pois bem sei que tenho pressa
De tudo o que aqui perdi
Quero correr ao encontro
E trazer nesse momento
O que precisa minha alma.

Corre o vento contra o tempo
Me faz lembrar por momentos
O tempo em que fui feliz
Vou segurar esse tempo
E trazer nesse momento
O que precisa minha alma.

Roda moinho e trás o vento
E com esse vento, a alegria
Que deixei por essas bandas
Quero minhas alegrias
E trazer nesse momento
O que precisa minha alma.

Tempo que corre, me espera
Para ver se pelos caminhos
Recolho os meus espinhos
Não quero ferir ninguém
E trazer nesse momento
O que precisa minha alma.

Mundo que voa ligeiro
Trás sobre as asa da “Fêniz:”
A minha doce inocência
Que o mundo a fez tragar
E trazer nesse momento
O que precisa minha alma.

            Maria Goretti Albuquerque
 
16/01/2009 00:50:22 :: GORETTI ALBUQUERQUE
Sem Explicações.
                                               

Por que a flor nos comove
Com seu perfume do além
Um botãozinho embriaga
Perdoamos a alguém
Mesmo estando separados
Damos as mãos, a um bem.

Um perfume já nos lembra
Alguém que queremos bem
Ao meio a tantos cheiros
Não penso em mais ninguém
Pode passar    lá adiante
Sabemos ser nosso: Bem.

Uma abertura na blusa
Desperta o olhar de alguém
Dispara um sentimento
Queremos ir mais além
Adrenalina do corpo
Manda a resposta pra alguém.

Um andar meigo e faceiro
Faz a gente fraquejar
Não desviamos os olhos
Nem tão pouco, o pensar
Um fogo arde por dentro
E faz a mente viajar.

Um sorriso e um olhar
Seduz e deixa marcado
No coração de alguém
Um suspiro foi fisgado
Um requebrar de quadris
E um grande amor foi selado.

         Goretti Albuquerque.

 
16/01/2009 00:44:52 :: GORETTI ALBUQUERQUE


 
16/01/2009 00:42:38 :: LUCIANO SPAGNOL


Abraça-me que abraço-ti

Você que é o amor meu
Nada digas, quero um abraço teu
Com teu cheiro de correspondeu
Pois assim, seremos um só eu
No sabor do teu e do meu amor   
Juntinhos respirando o calor
Do laço cheio de eterna emoção
Fundidos em um só coração
Num ousado sentimento forte...
Abraça-me que abraço-ti.

Luciano Spagnol
Rio, 16/01/2009
00’08”
www.poesiaempauta.fst.br
-site do autor-

copyright © Todos os direitos reservados.
Se copiar citar a autoria – Luciano Spagnol e o site www.poesiaempauta.fst.br
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.