Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
18/01/2009 11:55:51 :: MANOEL SERRÃO DA SILVEIRA LACERDA


A IDA AO IMO DA IDE

Aqui e ali se há ida ao imo da ide.
O ibidem dual retruca: Ó dria, se me queres, enfim, o estro da cria sou eu? Idem o insano e o [IN]cônscio.

 
18/01/2009 10:34:45 :: LADISLAU FLORIANO










VOCE PODE SE ACHAR.....MAS EU TE AFIRMO...


Voce pode se achar seguro
pode achar-se o dono da razão,
no inverno pode aquecer-se
refrescar-se no verão.
Voce pode ter o bastante
se achar muito importante
quem sabe ate ser o machão.
Voce pode ter muito dinheiro
ter muitos ao seu comando
pode terr muito estudo
muitos idiomas estar falando.
Voce pode ter todo talento
ter qualquer passatempo
achar que sempre esta ganhando.
Voce pode ter muita beleza
até ser um gigante
ter um corpo perfeito
ter muitos amantes.
Voce pode se achar invencivel
se achar irresistivel
achar que se garante...

mas hoje eu te afirmo
com toda certeza que tenho
*SEM CRISTO TU NÃO ÉS NADA*
és como folha seca ao vento.

portanto des mais valor
de ouvidos a meu Senhor
enquanto ainda ha tempo.
Não espere que chegue o dia
em que estejas em si confiante
atende,esta é a verdade
não és forte o bastante.
Ouve o apelo que te faço
não confia nos teus braços
Deus te da mais uma chance.
Se a chance voce desperdiçar
deixares passar em branco
irás te arrepender
amargo será teu pranto.
Nas trevas exteriores
gemeras,tamanhas as dores
então venhas o quanto antes

LADISLAU FLORIANO
POETA DE CRISTO
 
18/01/2009 00:18:19 :: RAFAEL MATOS


Excluídos (poesia - social - n. 1)

Vejo crianças na rua,
Dormindo sobre jornais e papelões,
Debaixo de marquises, em calçadas imundas
Vejo elas pedindo esmolas,
Nos sinaleiros da vida afora
As pessoas que passam por esse local,
Passam apressadas, sem conseguir,
E talvez até nem querer,
Enxergar essa triste realidade,
Que atinge em cheio,
Esses inocentes, que não tem culpa de nada
Que futuro essas crianças terão?
Ninguém sabe e nem quer saber,
Será que é esse o futuro que se espera?

Produzida em 13/06/2002
 
17/01/2009 16:23:50 :: MANOEL SERRÃO DA SILVEIRA LACERDA


GOLPE MILITAR DE 31 DE MARÇO DE 1964 [ÉRAMOS VÍTIMAS E NÃO SABIAMOS] - CIDADE DE PRESIDENTE DUTRA NO ESTADO DO MARANHÃO. [SerrãoManoel]

O céu era de brigadeiro numa daquelas tardes ensolaradas como tantas outras comuns àquela época do ano. Eu e o meu irmão [Idalgo Lacerda] brincávamos como a maioria das crianças se divertia na naquela época contando "dinheiro", bastava pegarem-se carteiras [maços] usadas de cigarros, abri-las e formatá-las, portanto, que de tal forma disposta ficassem idênticas a um maço em "notas [cédulas] de cruzeiro [moeda vigente]”, quando de repente por detrás às minhas costas tocou-me a cabeça um soldado de fuzil em punho e logo em seguida uma cena que ficou marcada na minha memória e que jamais esquecerei. O serra delta chupava a metade de um limão quando nos vimos cercados, sitiados por tantos outros militares, um verdadeiro batalhão    fora mobilizado para por o cerco a uma jovem senhora e dois infantes. Lá de dentro    o choro da minha mãe ecoava pelo alpendre da nossa casa. Cena mais grotesca foi vê-la ajoelhada aos pés de um oficial do exército [um tenente] brasileiro rogando para que não levassem o meu pai e provavelmente o torturassem e o matassem como era a prática mais comum, mormente, logo nos primeiros dias do fatídico golpe de estado. Éramos vítimas do Golpe Militar de 31 de março de 1964, todos nós, sequer meu pai sabia do que lhe acusavam apenas notícias que de fora denunciado pelo seu melhor amigo e corregilionário que de forma inusitada mudou de lado, enfim, desertou da luta, e taxado ficou o meu pai de subversivo,    comunista, conforme consta do documento da Delegacia de Polícia de Presidente Dutra datado de 06 de maio do ano de 1964 subscritos e assinado pelo Suplente de Delegado de Polícia Responsável pelo Esped. Sr. Avelino Moura Fé Bezerra, que ordenou a intimação do meu pai para sua oitiva e depoimento no aludido IPM, nos seguintes termos:

01 - Comunico-vos que, de conformidade com o Ofício    número 2-IPM recebido por esta Delegacia, do Capitão José Raimundo    Nonato Silva Miranda encarregado de um Inquérito Policial Militar, a ser feito nesta localidade a fim de apurar as ocorrências de caráter subversivo verificadas nesta localidade Município.

02 - Solicito-vos, pela razão acima, por ordem do referido Capitão, a sua presença nesta Delegacia no dia 7 [sete], hora a ser estipulada pelo Oficial, depois de sua chegada do Município de Tumtum.

portanto, persona nom grata ao regime que ora à força se implantara, uma forma de limpar o caminho a qualquer custo, sem obediência aos preceitos legais, que também já tinham sido à aquela altura da mixórdia    pulverizado, banido pelos militares.    Contudo diante daquele grotesca cena da qual éramos vítimas diretas, uma santa alma, disso ficamos sabendo depois de muitos anos, passara antes, poucos minutos na nossa casa e que deus o guarde deu um aviso para que o nosso pai saísse dali imediatamente em fuga por que o exército e alguns policiais militares estariam chegando em sua busca dele, e a ordem era para executá-lo, foi o tempo certo, o tempo exato, para que algo pior não acontecesse, e então já tido como foragido do sistema, uma outra santa alma deu-lhe cobertura, escondendo-o dentro de um pequeno armário, isso salvou-lhe a vida, mas não salvou a todos nós de vivermos um drama, o drama de se perder tudo, todos os nossos pertences pessoais, o nosso patrimônio material conquistado com muita lida e labor: algumas linhas de roça; casa, e uma modesta usina de beneficiar arroz, e o que foi muito pior a carreira política do meu pai, que se iniciara como vereador, no recém-criado município de Presidente Dutra/MA, antes denominado povoado do Curador. E aqui devo ressaltar por ter sido um grande homem a quem aprendi a respeitar e admirá-lo destacar que o município de Presidente Dutra assim passou a se chamar em virtude de um projeto em homenagem ao Presidente Gaspar Dutra, amigo do meu tio que também era amigo de Vitorino Freira, na ocasião prefeito de TumTum Ariston Arruda Leda, do qual o povoado do Curador fazia parte. Antes, para melhor entendimento, o meu pai Agamenon Lucas de Lacerda, um idealista, uma voz defensora dos camponeses, da campesina to, local, por perseguição, ameaçado, jurado de morte e de prisão por grupos que não o aceitavam, uma forma de manietá-lo, e até aqueles que se diziam amigos, não só transitava com um Salvo Conduto no bolso [documento histórico, como tantos outros que guardo comigo até hoje e gostaria de doar ao Município, através da Câmara dos Vereadores], como também era protegido pela comunidade do campo, que em determinadas situações de ameaça grave a sua incolumidade física, foram para as ruas obter um abaixo-assinado para que o meu pai continuasse empunhando a bandeira das classes menos favorecidas.

Filiado e designado pelo Presidente do Diretório Regional do PSD - Partido Social Democrático para exercer a função de Delegado do Partido Social Democrático, no município de Presidente Dutra, perante o juízo da nona Zona Eleitoral em 13 de agosto de 1962, e já tendo sido eleito e diplomado no pleito de 1958, de acordo com o que constava do dispositivo do artigo 118 do Decreto-Lei número 1.164, de 24 de julho de 1950, com Diploma expedido pelo Presidente da Junta Apuradora sa. 46 [quadragésima sexta] Zona Eleitoral do Município de Presidente Dutra, em 06 de outubro de 1958 pelo Senhor Presidente Herschell Carvalho como vereador.

Traído, injustiçado, Agamenon Lucas de Lacerda, morreu em 14 de maio do ano 1987 magoado, perseguido, sem jamais ser reconhecido pela luta travada em favor da comunidade local, pelos serviços prestados ao povo de Presidente Dutra, pois salvo engano, sequer consta nos registros, nas anotações, ou nos anais da história local, alguma referência a este triste e lamentável episódio da história republicana, do qual eu e meu irmão continuamos nas nossas lembranças com aquela figura aterrorizadora daquele soldado com um fuzil na mão chupando apenas uma banda do limão, o que simbolicamente nos faz em tempo de espera pela outra banda que não a da invasão, da injustiça e da ameaça do soldado, quer, sim, a outra parte, a pertinente a que se faça justiça inhambu os fatos, esclarecendo-se e reconhecendo-se quem verdadeiramente lutou pelo povo de Presidente Dutra, mas, todavia, porém, de forma prematura pagou muito caro pelos seus ideais de luta e liberdade ao ser perseguido de forma contínua pelo sistema militar, e mais, com a interrupção abrupta da sua carreira política,    logo quando pretendia postular uma cadeira a deputado no cenário estadual.

Assim caminha a humanidade. Parabéns meu pai, ainda que sejam apenas dos teus dois filhos o reconhecimento pelo o homem honrado e político que tu foste, ainda assim valeu a pena!

FOTO: SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DOS VEREADORES DA CIDADE DE PRESIDENTE DUTRA NO ESTADO DO MARANHÃO.


 
17/01/2009 15:22:59 :: AMARILIS PAZINI AIRES
SÚPLICA DE UMA AVE

Deixa-me cantar,
Este espaço ocupar,
Sou silvestre!
Quero estar à voar
Para o teu dia encantar.

Não me abatas,
Deixa eu te alegrar
Teu ouvido vai gostar,
Mais alegre vais despertar.

Corro os campos
Pousando nas árvores à enfeitar,
Em cada galho descansar,
Para o meu canto te embalar.

Invada a floresta e ouças
Os tons a se misturarem
Como hinos de louvor,
Oferecidos à Deus e a ti, com amor.

Deixa-me viver
Preciso também de voce,
Como aprender a cantar...
Se não há um público a me escutar?

AMARILIS PAZINI AIRES
14/01/09
 
17/01/2009 10:21:32 :: VERA LÚCIA


Me olhe...
Mas que não seja um qualquer olhar
Que seja algo mais profundo
Táo profundo que possa conquistar

Me sinta...
De um jeito sem jeito de sentir
Tendo uma sensação estranha
Como se estivesse bem perto de ti

Me toque....
Bem lá no fundo da alma
Mostre que veio pra ficar
Que isso que sente é unico
Desse amor louco a declarar

Me diga...
Com ternura desse desejo escondido
Que estas a revelar somente agora
Dessa chama a mais que vens sentindo
Que chegou nesse momento fora de hora

Me apaixone...
Que seja além de um sonho fantasiado
Que não seja essa paixão provisória
Que não venha de outro amor machucado
Para começar-mos uma linda história

Me ame....
Mas que chegue sem vícios esse amor
Despindo-se de toda e qualquer dor
Que esteja disposto ser, fazer feliz
Chegando ao êxtase deixando em festa
Esse coração sonhador...
Esse coração aprendiz...

Vera Lúcia
 
17/01/2009 07:31:37 :: LADISLAU FLORIANO


   RECUSA DE AMOR

NO DELINEAR DE UM ROSTO
NO VERSEJAR DE UM POETA
NO ESVOAÇAR TÃO DISPOSTO
DE UM PARDAL FAZENDO FESTA
NAS MATAS AO SOM DO VENTO
NAS PEDRAS EM SEU SILENCIO
EM SUA POSIÇÃO TÃO MODESTA.

NOS RIOS QUE CORREM FACEIROS
LEVANDO OS PEIXES A NADAR
NO SOL QUE AQUECE OS BRASEIROS
NA LUA QUE A NOITE VEM CLAREAR
NAS FLORES QUE VEM E VAI
NA CHUVA QUE QUANDO CAI
VINDO A TERRA A REFRESCAR.

EM TUDO ISSO EU VEJO
COMO EU VEJO NO TEU OLHAR
COMO SINTO NOS TEUS BEIJOS
A FORÇA DO AMOR PULSAR
VEJO DO BEM A RAIZ
DO AMOR QUE O ETERNO JUIZ
AOS SEUS FILHOS VEM CONTEMPLAR.

E QUANDO O AFAGO SE NEGA
O BEIJO NOS É RECUSADO
PALAVRAS SOAM COMO PEDRAS
NOS MACHUCAM E NOS DEIXAM MAGOADOS
O AMOR DE DEUS PERMANECE
EMBORA ,ME AMAR NÃO QUISESSES
POR DEUS AINDA SOU AMADO

LADISLAU FLORIANO-POETA DE CRISTO
 
17/01/2009 02:37:08 :: GORETTI ALBUQUERQUE


            Ao Meu Pai com emoção!      
Rua sete de Setembro
Quase no final da rua
Em um casarão branquinho
Lá mora um Senhor franzino
Por nome: Zeca Muniz.

Parece um combinado
De o nome de sua rua
Se encaixar com os seus atos
Para libertar-se dos fatos
Que se refez no passado.

Um jeito dócil e manso
Enquanto cala ensina
Na cadeira de balanço
Olha nas mãos a caneta
E       seu caderno de escrita
Vai esboçando as facetas.

Passos lentos e alongados
São sua marca registrada
Mostrando que assim chegamos
Se olharmos bem a estrada
Nega-se ser um letrado
Porque não teve um Mestrado.

De olhos negros marcantes
Aos seus oitenta e oito anos
Através de seus “Poemas”.
Independente para quem
Em seus romances e prosas
Eterniza-se e ensina alguém.

Para por alguns instantes
Olha o Céu com olhar profundo
Como perguntando a Deus
Onde ficou o seu mundo
Percebe que o coração
Guardou seu Amor profundo.

José de Sousa Albuquerque
Não nascestes no Egito
Mais na pequena “Aningas”
És de fato um “Sonhador:”
Mesmo calando seus sonhos
És por Deus um “Pensador.”

Meu Pai Poeta desculpe
Os meus singelos versinhos
Que com sua caneta e caderno
Fiz algo assim mais fraquinho
Para escrever que “Te Amo:”
De ti serei um pouquinho.

                                    Goretti Albuquerque.
 
17/01/2009 02:32:53 :: GORETTI ALBUQUERQUE


            Jóias Raras. ( Aos    meus Filhos)

Deus me aguce nessa hora
Tão sublime como a aurora
De um lindo amanhecer
Pois vou falar de meus filhos
São Jóias que aqui na terra
A Deus pedi e ganhei.

Quatro “Pedras Preciosas”
Todas de raro esplendor
Viçosas por natureza
E de Deus veio à beleza
Tesouros que aqui na terra
A Deus pedi e ganhei.

Ouro puro refinado
São por Deus abençoados
Valentes e vencedores
De bons dons possuidores
São tudo que aqui na terra
A Deus pedi e ganhei.

Ainda quando pequenos
Eram já fortes e arteiros
Porém todos bem vaidosos
Bem cuidados e faceiros
São tudo que aqui na terra
A Deus pedi e ganhei.

Ganhei vocês minhas “Jóias”
Por merecer por direito
Ser mãe de todos os quatro
Vocês são como um tesouro
São tudo que aqui na terra
A Deus pedi e ganhei.

                           Goretti    Albuquerque.

 
16/01/2009 23:18:09 :: MANOEL SERRÃO DA SILVEIRA LACERDA


JINGLE [SerrãoManoel]

Se você Voltaire com Darwin.
Se você Voltaire com Darwin.

Eu
juro que
Miró Dali deixar Manet.

Meu Picasso é Freud!
Meu Picasso é Freud!          [BIS]

Foi no Bach tomar com Kant,
um bom Cezzane com Van Gogh.

E diz: Thomás Man!
         Thomás Man!

Porque Buda vai Da Vinci com Bethoveen.

O primeiro Renoir,
Michelângelo nunca esquece!

Meu Picasso é Freud!
Meu Picasso é Freud!          [BIS]

 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.