Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
17/01/2009 16:23:50 :: MANOEL SERRÃO DA SILVEIRA LACERDA


GOLPE MILITAR DE 31 DE MARÇO DE 1964 [ÉRAMOS VÍTIMAS E NÃO SABIAMOS] - CIDADE DE PRESIDENTE DUTRA NO ESTADO DO MARANHÃO. [SerrãoManoel]

O céu era de brigadeiro numa daquelas tardes ensolaradas como tantas outras comuns àquela época do ano. Eu e o meu irmão [Idalgo Lacerda] brincávamos como a maioria das crianças se divertia na naquela época contando "dinheiro", bastava pegarem-se carteiras [maços] usadas de cigarros, abri-las e formatá-las, portanto, que de tal forma disposta ficassem idênticas a um maço em "notas [cédulas] de cruzeiro [moeda vigente]”, quando de repente por detrás às minhas costas tocou-me a cabeça um soldado de fuzil em punho e logo em seguida uma cena que ficou marcada na minha memória e que jamais esquecerei. O serra delta chupava a metade de um limão quando nos vimos cercados, sitiados por tantos outros militares, um verdadeiro batalhão    fora mobilizado para por o cerco a uma jovem senhora e dois infantes. Lá de dentro    o choro da minha mãe ecoava pelo alpendre da nossa casa. Cena mais grotesca foi vê-la ajoelhada aos pés de um oficial do exército [um tenente] brasileiro rogando para que não levassem o meu pai e provavelmente o torturassem e o matassem como era a prática mais comum, mormente, logo nos primeiros dias do fatídico golpe de estado. Éramos vítimas do Golpe Militar de 31 de março de 1964, todos nós, sequer meu pai sabia do que lhe acusavam apenas notícias que de fora denunciado pelo seu melhor amigo e corregilionário que de forma inusitada mudou de lado, enfim, desertou da luta, e taxado ficou o meu pai de subversivo,    comunista, conforme consta do documento da Delegacia de Polícia de Presidente Dutra datado de 06 de maio do ano de 1964 subscritos e assinado pelo Suplente de Delegado de Polícia Responsável pelo Esped. Sr. Avelino Moura Fé Bezerra, que ordenou a intimação do meu pai para sua oitiva e depoimento no aludido IPM, nos seguintes termos:

01 - Comunico-vos que, de conformidade com o Ofício    número 2-IPM recebido por esta Delegacia, do Capitão José Raimundo    Nonato Silva Miranda encarregado de um Inquérito Policial Militar, a ser feito nesta localidade a fim de apurar as ocorrências de caráter subversivo verificadas nesta localidade Município.

02 - Solicito-vos, pela razão acima, por ordem do referido Capitão, a sua presença nesta Delegacia no dia 7 [sete], hora a ser estipulada pelo Oficial, depois de sua chegada do Município de Tumtum.

portanto, persona nom grata ao regime que ora à força se implantara, uma forma de limpar o caminho a qualquer custo, sem obediência aos preceitos legais, que também já tinham sido à aquela altura da mixórdia    pulverizado, banido pelos militares.    Contudo diante daquele grotesca cena da qual éramos vítimas diretas, uma santa alma, disso ficamos sabendo depois de muitos anos, passara antes, poucos minutos na nossa casa e que deus o guarde deu um aviso para que o nosso pai saísse dali imediatamente em fuga por que o exército e alguns policiais militares estariam chegando em sua busca dele, e a ordem era para executá-lo, foi o tempo certo, o tempo exato, para que algo pior não acontecesse, e então já tido como foragido do sistema, uma outra santa alma deu-lhe cobertura, escondendo-o dentro de um pequeno armário, isso salvou-lhe a vida, mas não salvou a todos nós de vivermos um drama, o drama de se perder tudo, todos os nossos pertences pessoais, o nosso patrimônio material conquistado com muita lida e labor: algumas linhas de roça; casa, e uma modesta usina de beneficiar arroz, e o que foi muito pior a carreira política do meu pai, que se iniciara como vereador, no recém-criado município de Presidente Dutra/MA, antes denominado povoado do Curador. E aqui devo ressaltar por ter sido um grande homem a quem aprendi a respeitar e admirá-lo destacar que o município de Presidente Dutra assim passou a se chamar em virtude de um projeto em homenagem ao Presidente Gaspar Dutra, amigo do meu tio que também era amigo de Vitorino Freira, na ocasião prefeito de TumTum Ariston Arruda Leda, do qual o povoado do Curador fazia parte. Antes, para melhor entendimento, o meu pai Agamenon Lucas de Lacerda, um idealista, uma voz defensora dos camponeses, da campesina to, local, por perseguição, ameaçado, jurado de morte e de prisão por grupos que não o aceitavam, uma forma de manietá-lo, e até aqueles que se diziam amigos, não só transitava com um Salvo Conduto no bolso [documento histórico, como tantos outros que guardo comigo até hoje e gostaria de doar ao Município, através da Câmara dos Vereadores], como também era protegido pela comunidade do campo, que em determinadas situações de ameaça grave a sua incolumidade física, foram para as ruas obter um abaixo-assinado para que o meu pai continuasse empunhando a bandeira das classes menos favorecidas.

Filiado e designado pelo Presidente do Diretório Regional do PSD - Partido Social Democrático para exercer a função de Delegado do Partido Social Democrático, no município de Presidente Dutra, perante o juízo da nona Zona Eleitoral em 13 de agosto de 1962, e já tendo sido eleito e diplomado no pleito de 1958, de acordo com o que constava do dispositivo do artigo 118 do Decreto-Lei número 1.164, de 24 de julho de 1950, com Diploma expedido pelo Presidente da Junta Apuradora sa. 46 [quadragésima sexta] Zona Eleitoral do Município de Presidente Dutra, em 06 de outubro de 1958 pelo Senhor Presidente Herschell Carvalho como vereador.

Traído, injustiçado, Agamenon Lucas de Lacerda, morreu em 14 de maio do ano 1987 magoado, perseguido, sem jamais ser reconhecido pela luta travada em favor da comunidade local, pelos serviços prestados ao povo de Presidente Dutra, pois salvo engano, sequer consta nos registros, nas anotações, ou nos anais da história local, alguma referência a este triste e lamentável episódio da história republicana, do qual eu e meu irmão continuamos nas nossas lembranças com aquela figura aterrorizadora daquele soldado com um fuzil na mão chupando apenas uma banda do limão, o que simbolicamente nos faz em tempo de espera pela outra banda que não a da invasão, da injustiça e da ameaça do soldado, quer, sim, a outra parte, a pertinente a que se faça justiça inhambu os fatos, esclarecendo-se e reconhecendo-se quem verdadeiramente lutou pelo povo de Presidente Dutra, mas, todavia, porém, de forma prematura pagou muito caro pelos seus ideais de luta e liberdade ao ser perseguido de forma contínua pelo sistema militar, e mais, com a interrupção abrupta da sua carreira política,    logo quando pretendia postular uma cadeira a deputado no cenário estadual.

Assim caminha a humanidade. Parabéns meu pai, ainda que sejam apenas dos teus dois filhos o reconhecimento pelo o homem honrado e político que tu foste, ainda assim valeu a pena!

FOTO: SESSÃO DA CÂMARA MUNICIPAL DOS VEREADORES DA CIDADE DE PRESIDENTE DUTRA NO ESTADO DO MARANHÃO.


 
17/01/2009 15:22:59 :: AMARILIS PAZINI AIRES
SÚPLICA DE UMA AVE

Deixa-me cantar,
Este espaço ocupar,
Sou silvestre!
Quero estar à voar
Para o teu dia encantar.

Não me abatas,
Deixa eu te alegrar
Teu ouvido vai gostar,
Mais alegre vais despertar.

Corro os campos
Pousando nas árvores à enfeitar,
Em cada galho descansar,
Para o meu canto te embalar.

Invada a floresta e ouças
Os tons a se misturarem
Como hinos de louvor,
Oferecidos à Deus e a ti, com amor.

Deixa-me viver
Preciso também de voce,
Como aprender a cantar...
Se não há um público a me escutar?

AMARILIS PAZINI AIRES
14/01/09
 
17/01/2009 10:21:32 :: VERA LÚCIA


Me olhe...
Mas que não seja um qualquer olhar
Que seja algo mais profundo
Táo profundo que possa conquistar

Me sinta...
De um jeito sem jeito de sentir
Tendo uma sensação estranha
Como se estivesse bem perto de ti

Me toque....
Bem lá no fundo da alma
Mostre que veio pra ficar
Que isso que sente é unico
Desse amor louco a declarar

Me diga...
Com ternura desse desejo escondido
Que estas a revelar somente agora
Dessa chama a mais que vens sentindo
Que chegou nesse momento fora de hora

Me apaixone...
Que seja além de um sonho fantasiado
Que não seja essa paixão provisória
Que não venha de outro amor machucado
Para começar-mos uma linda história

Me ame....
Mas que chegue sem vícios esse amor
Despindo-se de toda e qualquer dor
Que esteja disposto ser, fazer feliz
Chegando ao êxtase deixando em festa
Esse coração sonhador...
Esse coração aprendiz...

Vera Lúcia
 
17/01/2009 07:31:37 :: LADISLAU FLORIANO


   RECUSA DE AMOR

NO DELINEAR DE UM ROSTO
NO VERSEJAR DE UM POETA
NO ESVOAÇAR TÃO DISPOSTO
DE UM PARDAL FAZENDO FESTA
NAS MATAS AO SOM DO VENTO
NAS PEDRAS EM SEU SILENCIO
EM SUA POSIÇÃO TÃO MODESTA.

NOS RIOS QUE CORREM FACEIROS
LEVANDO OS PEIXES A NADAR
NO SOL QUE AQUECE OS BRASEIROS
NA LUA QUE A NOITE VEM CLAREAR
NAS FLORES QUE VEM E VAI
NA CHUVA QUE QUANDO CAI
VINDO A TERRA A REFRESCAR.

EM TUDO ISSO EU VEJO
COMO EU VEJO NO TEU OLHAR
COMO SINTO NOS TEUS BEIJOS
A FORÇA DO AMOR PULSAR
VEJO DO BEM A RAIZ
DO AMOR QUE O ETERNO JUIZ
AOS SEUS FILHOS VEM CONTEMPLAR.

E QUANDO O AFAGO SE NEGA
O BEIJO NOS É RECUSADO
PALAVRAS SOAM COMO PEDRAS
NOS MACHUCAM E NOS DEIXAM MAGOADOS
O AMOR DE DEUS PERMANECE
EMBORA ,ME AMAR NÃO QUISESSES
POR DEUS AINDA SOU AMADO

LADISLAU FLORIANO-POETA DE CRISTO
 
17/01/2009 02:37:08 :: GORETTI ALBUQUERQUE


            Ao Meu Pai com emoção!      
Rua sete de Setembro
Quase no final da rua
Em um casarão branquinho
Lá mora um Senhor franzino
Por nome: Zeca Muniz.

Parece um combinado
De o nome de sua rua
Se encaixar com os seus atos
Para libertar-se dos fatos
Que se refez no passado.

Um jeito dócil e manso
Enquanto cala ensina
Na cadeira de balanço
Olha nas mãos a caneta
E       seu caderno de escrita
Vai esboçando as facetas.

Passos lentos e alongados
São sua marca registrada
Mostrando que assim chegamos
Se olharmos bem a estrada
Nega-se ser um letrado
Porque não teve um Mestrado.

De olhos negros marcantes
Aos seus oitenta e oito anos
Através de seus “Poemas”.
Independente para quem
Em seus romances e prosas
Eterniza-se e ensina alguém.

Para por alguns instantes
Olha o Céu com olhar profundo
Como perguntando a Deus
Onde ficou o seu mundo
Percebe que o coração
Guardou seu Amor profundo.

José de Sousa Albuquerque
Não nascestes no Egito
Mais na pequena “Aningas”
És de fato um “Sonhador:”
Mesmo calando seus sonhos
És por Deus um “Pensador.”

Meu Pai Poeta desculpe
Os meus singelos versinhos
Que com sua caneta e caderno
Fiz algo assim mais fraquinho
Para escrever que “Te Amo:”
De ti serei um pouquinho.

                                    Goretti Albuquerque.
 
17/01/2009 02:32:53 :: GORETTI ALBUQUERQUE


            Jóias Raras. ( Aos    meus Filhos)

Deus me aguce nessa hora
Tão sublime como a aurora
De um lindo amanhecer
Pois vou falar de meus filhos
São Jóias que aqui na terra
A Deus pedi e ganhei.

Quatro “Pedras Preciosas”
Todas de raro esplendor
Viçosas por natureza
E de Deus veio à beleza
Tesouros que aqui na terra
A Deus pedi e ganhei.

Ouro puro refinado
São por Deus abençoados
Valentes e vencedores
De bons dons possuidores
São tudo que aqui na terra
A Deus pedi e ganhei.

Ainda quando pequenos
Eram já fortes e arteiros
Porém todos bem vaidosos
Bem cuidados e faceiros
São tudo que aqui na terra
A Deus pedi e ganhei.

Ganhei vocês minhas “Jóias”
Por merecer por direito
Ser mãe de todos os quatro
Vocês são como um tesouro
São tudo que aqui na terra
A Deus pedi e ganhei.

                           Goretti    Albuquerque.

 
16/01/2009 23:18:09 :: MANOEL SERRÃO DA SILVEIRA LACERDA


JINGLE [SerrãoManoel]

Se você Voltaire com Darwin.
Se você Voltaire com Darwin.

Eu
juro que
Miró Dali deixar Manet.

Meu Picasso é Freud!
Meu Picasso é Freud!          [BIS]

Foi no Bach tomar com Kant,
um bom Cezzane com Van Gogh.

E diz: Thomás Man!
         Thomás Man!

Porque Buda vai Da Vinci com Bethoveen.

O primeiro Renoir,
Michelângelo nunca esquece!

Meu Picasso é Freud!
Meu Picasso é Freud!          [BIS]

 
16/01/2009 14:37:50 :: ALEXANDRE BRUSSOLO


A Era da Incerteza

      Há muito tempo o homem com sua sede de aprender e ampliar seu horizonte de conhecimento, vem, criando novas ciências de estudo e pesquisa, e isso não foi diferente com a Economia.
      Existe muito sobre os criadores dessa ciência que,    tanto em períodos passados como nos tempos atuais ela é tão essencial para se entender o que acontece dentro do mundo, tanto capitalista como socialista.
      É relevante frisar que foram muitos os estudiosos neste campo, alguns até conhecidos como profetas , devido às suas visões futuristas, como a adivinhar o que seria do mundo em tempos que estavam ainda por vir.
      Um dos primeiros, e talvez por ser o primeiro pode-se considerá-lo como fundador dessa ciência , ou se preferir , como Galbraith a chama , "arte", foi Adam Smith. Adam era um escocês nascido, ou pelo menos batizado, na pequena cidade portuária de Kirkcaldy, no ano de 1723. Estudou nas melhores escolas tendo uma formação e uma carreira impressionantes. Para ele "importante era que as pessoas fossem livres para procurar o trabalho ou exercer a profissão que lhes recompensassem por seus esforços."
      Como é de se esperar, nos primórdios do século XVIII as    fontes de riqueza estavam concentradas mais nos campos , e por sinal, foi uma das coisas que chamaram a atenção de Smith, principalmente a França. Era lá que a fé agrícola estava no auge e também onde se deu o surgimento de um grupo de filósofos conhecidos como os fisiocratas. Afirmavam eles "que toda a riqueza provinha da agricultura" , claro que o comércio e a indústria eram necessários, porém estéreis , isto é , não propiciavam o lucro que a agricultura fornecia. Ela ,    a agricultura , era a indústria básica, ou melhor, a única indústria de base.
      Smith dava muita importância à eficiência da especialização, onde até descreve a divisão da mão-de-obra , em um exemplo muito bem colocado, talvez por ter vivenciado tal fato na fabricação de alfinetes, o que nos leva a crer que a produção em série não foi inventada por Henry Ford. Novamente enfatizaremos que Smith defendia a livre iniciativa , sendo o Estado um velho inimigo dessa liberdade, mas não era só ele que constituía a única ameaça , mas os homens , ou empresários , eram uma ameaça à sua própria liberdade de ação, segundo Smith "pessoas do mesmo ramo raramente se reúnem , até    mesmo para se divertir , mas quando o fazem a conversa termina numa conspiração contra o público , ou então, num concluio para aumentar os preços."
      Após a morte de Smith em 1790 muitas coisas começaram a mudar, as pessoas eram atraídas dos campos e dos vilarejos para as cidades, havendo até a expulsão, de pessoas, do campo em consequência da crescente demanda da principal matéria-prima da indústria que era a lã.
      Essa demanda de pessoas do campo para a cidade é devido a Revolução Industrial que não foi súbita e nem violenta , mas foi algo que se pode ver e sentir.
      Depois da morte de Smith vieram Ricardo e Malthus.
      Malthus dizia que o aumento populacional aumentaria geometricamente enquanto a alimentação aumentaria apenas aritmeticamente , resumindo a população aumentaria mais que a alimentação o que acarretaria na fome, na guerra ou numa catástrofe natural. Já para Ricardo tudo se reduziria a um simples processo de subsistência , com muita concorrência na procura de emprego ou trabalho de um lado, e de comida de outro lado.
      Já estava em decorrência os problemas que a sociedade deveria enfrentar futuramente e que já vinham sendo previstas pelos mártires da economia. O capitalismo já batia às portas de noso planeta . Já no século XIX suas idéias não estimularam o conceito de uma comunidade igualitária. Havia muitas diferenças entre os donos das terras , que eram ricos e oes lavradores que eram pobres e continuavam pobres.
      Houve um escritor, que por sinal foi o pioneiro da sociologia , que disse uma frase interessante: "sobrevivência do mais forte". Ele tornou-se um evangelho porque se ajustava às necessidades e anseios do capitalismo, seu nome era Herbert Spencer.
      Um fato interessante é como os ricos tornaram-se ricos ou como venciam na vida. Alguns eram homens sem escrúpulos, como foram Cornelius Vanderbilt e Jim Fisk pela luta do monopólio do serviço ferroviário. De fato foi uma briga inescrupulosa, com subornos e tudo o mais que a imaginação pode criar. É esse talvez o espírito    capitalista onde como já foi dito , só os mais fortes ganham , ou melhor , sobrevivem.
      Temos sem dúvida coisas escritas sobre os ricos , como é o caso de Thorstein Velblen que ridicularizava o rico e sua forma de viver, que com tudo era indiferente à miséria , gastando sua fortuna de modo irrecomendável e acumulando riqueza de forma pouco recomendável, mas era a vida deles, não se podia fazer nada, uma vida de luxúria e sortilégios. Velblen escrevia sobre eles ridicularizando e comparando as sua formas de serem às dos primitivos, com todas as cerimônias e rituais.
      Em oposição a toda esta maquinaria capitalista temos em grande destaque nada mais nada menos que Karl Marx. Ele acima de tudo foi um revolucionário , e porque não dizer um socialista nato, um dos mais erudito filósofo político de sua época.
      Marx desde cedo foi conhecido como um brilhante jornalista. Karl Marx como todo revolucionário era temido, principalmente pelos capitalistas que interpretavam mal as idéias socialistas dele, que só queria um mundo de igualdade onde todos teriam os mesmos direitos , o que era uma afronta ao mundo capitalista . Depois de seus manifestos ter Marx por perto podia acarretar em perigo eminente, devido às suas idéias revolucionárias, sendo que já sofria grandes perseguições e reprimendas.
      Se ele teve seguidores é uma coisa que não devemos contestar, pois muitos o seguiram e se espelharam nele, um dos exemplos é Lenin, como todos o conheciam e ainda hoje o conhecem. Como Marx também Lenin era um revolucionário e um socialista e também foi perseguido.
      As idéias até aqui acompanhadas não são aplicáveis àqueles países que apresentavam uma dependência colonial, como era o caso da Índia, da China, do Oriente Médio, da África, da Ámérica Latina e da Europa Oriental. Talvez o subdesenvolvimento de alguns desses países deve-se ao fato dessa colonização, principalmente às de exploração.
      Voltando ao cenário capitalista vamos ter também a história do dinheiro, tanto sua ascensão como sua queda. O dinheiro torna-se uma das grandes incertezas da vida . O dinheiro surgiu e veio substituir um sistema de trocas de mercadorias, mas no início era muito primitivo o tipo do sistema que usaram para o dinheiro, claro, tudo que é criado à primeira vista é imperfeito e com o passar do tempo se aperfeiçoa. Com o surgimento do dinheiro em sincronia apareceram os bancos , mas este não foi tão rápido assim, foi bem depois, e seu início foi também em meio a grandes agitações e bagunças, além de falências, que eram muito comuns na época de seu aprecimento. A história do mundo monetário é um tanto complexo e porque não dizer confuso.
      Depois da Primeira Grande Guerra muitas coisas mudaram, algumas para melhor outras para pior, essas mudanças foram os abalos das antigas certezas. Enquanto na Europa a Primeira Guerra Mundial abalou fortemente, nos Estados Unidos o abalo veio através da Grande Depressão que se espalhou por todo o mundo.
      Durante a Grande Depressão havia muito desemprego e miséria e após a Segunda Guerra Mundial um "grupo de jovens economistas resolveu obter a sanção do Congresso à idéia de um planejamento governamental, a fim de manter-se todo mundo empregado." Foram bem sucedidos .
      Com o término da Segunda Guerra Mundial teve início a uma outra guerra, não armada, e sim uma cruzada em favor dos valores morais. Mas não era só misso a Guerra Fria também foi um joguete entre os dois protagonistas desta guerra, Estados Unidos e União Soviética, e mais as indústrias bélicas.É engraçado o tipo desta guerra onde parece que há um acordo entre os países e a indústria armamentista, onde sempre há a mudança dos materiais bélicos a partir do momento que ficam ultrapassados, mesmo que não tenham sido usados eles são substituídos pelo que existe de mais moderno, o que se torna dispendioso.
      Um fator importante nessas épocas de mudança foi o aprecimento das multinacionais. É uma organização muito bem disciplinada, eficaz, empenhada e altamente recompensada, de homens que atuam sob ordens de um dirigente dinâmico, o que fez delas um mito.
      Uma coisa que sempre caminhou junta foi terra e gente. Existe muita terra vazia improdutiva, mal trabalhada , e o que contribui para isso é a grande demanda das zonas rurais para as zonas urbanas, para trabalharem nas indústrias, alimentando o sonho de serem felizes e ampliarem suas rendas melhorando suas condições de vida, mas sabe-se que isso é pura ilusão.
      Vale salientar ainda que há quatro tipos diferente de cidade: o Domicílio Político, a Cidade Mercantil, a Cidade Industrial e o Campo.
      O Domicílio Político através de sua suntuosidade pretende mostrar o bom gosto de seu governante, onde geralmente a sua magnificência é comentada. A Cidade Mercantil também era o cartão postal de uma cidade , tinha que ser organizada , os comerciantes tinham que apresentar boa aparência . Já na Cidade Industrial tudo cheirava mal, uma aparência de sujeira, de imundície, e os empresários não precisavam ter boa aparência e nem serem gentis ou educados. E finalmente o Campo, que era para onde estes empresários iam para fugir da vida agitada e da poluição das Cidades Industriais.
      Isso é uma parte da história que está sempre em andamento, nunca para, o que acontecerá para frente ninguém sabe, principalmente com a chegada da era nuclear, mas "numa era em que tanta coisa é incerta, existe uma grande certeza : essa verdade , devemos enfrentar."
      Enfim vivemos num mundo onde tudo se transforma, tudo sofre mudanças. Sempre haverá as revoluções para que seja dado "um pontapé na porta apodrecida". A sociedade ainda está longe de ver uma comunidade justa e igual, é um sonho    na cabeça dos defensores socialistas, mas se depender dos capitalistas isso não passará de pura ilusão.
      A miséria no mundo devido a alta desdigualdade social, sempre existirá , pois é algo incerto se vão conseguir ou não superar o problema. Mas não é só a miséria, mas também a pobreza é um fato marcante em nossa sociedade de altos burocratas e insensíveis pessoas detentoras das riquezas. Há algo que    deve ser feito, sempre há, mas para isso acontecer as classes dominantes têm que se conscientizarem dos problemas sociais que afetam as classes mais baixas. Quando se fala que as mudanças tem que vir de cima deve-se ao fato de que a classe que detém a riqueza também detém o poder, mas talves estejamos longe de tais fatos porque não há interesse dos ricos largarem mão do que eles têm, isso é o jogo dos interesses próprios. Quanto mais o povo for inculto e sem cultura mais fácil é sua manipulação , mais fácil fica persuadí-lo. Mas como já foi dito, haverá sempre alguém que irá contra o sistema, ele será temido e perseguido sofrendo todas as reprimendas possíveis,mesmo que consigam calar-lhe a boca ele conseguirá discípulos em toda parte, que será a colheita dos frutos que ele plantou e assim é, foi e sempre será em qualquer época e lugar. Só como ilustração podemos citar como um grande defensor em tempos atuais dos direitos dos negros na África Nelson Mandella como foi Martin Luther King nos Estados Unidos e Gandhi para a Índia . Como se vê sempre terá estes destemidos defensores de seus povos que sofrem com a opressão das classes superiores.
      Pode-se acabar com a pessoa, mas com seu pensamento e sua ideologia não, isto é eterno.


Alexandre Brussolo


Fonte: A Era da Incerteza de John Kenneth Galbraith

 
16/01/2009 10:55:08 :: Geraldo Altoé


OS PASTORES DE POESIAS


O bom deste site é que nós ficamos cuidando de nossos textos como quem pastoreia seu rebanho, todos os dia precisamos de colocá-los para ser alimentados pelas fantasias dos leitores que passam por aqui.
Aqueles escritores que não fazem esse trabalho de pastor com seus textos, não vêem as suas criações crescerem.
Esse é o motivo pela qual eu também coloco todos os dias meus poemas e textos em evidência.
O pasto lá encima é o melhor, é o que mais engorda nossas criações, só que é também o mais difícil de ser utilizado dada a concorrência.
Um agradecimento a todos os leitores e escritores que prestigiam nossos textos.
E vamos pastoreando nossas criações.
 
16/01/2009 08:14:33 :: LADISLAU FLORIANO


PURO AMOR
ladislau_floriano@hotmail.com

SE OS HOMENS RESPEITASSEM OS DIREITOS
RESPEITASSEM SEUS SEMELHANTES
NÃO HAVERIAM TANTOS MANCHADOS LEITOS
NEM TÃO POUCO,TANTOS AMANTES.
NOS PECADOS MAIS OBSCUROS
PARES SE TORNANDO IMPUROS
SE ENREDAM EM SEUS EFEITOS.

NESTA GUERRA,ONDE NÃO HA VENCEDORES
UM AO OUTRO SE MATA SEM DÓ
E COMO PREMIO,TODOS SÃO PERDEDORES
POIS NÃO OUVEM DO PAI A VÓZ.
UM AO OUTRO A RASGAR SE EM FERIDAS
BUSCANDO,ONDE NÃO HA SAIDAS
VALORIZANDO,ONDE NÃO HA VALORES.

O QUE ESPERAM ESTES HOMENS MAUS?
DE SEUS FILHOS O QUE VÃO ESPERAR?
SEM JESUS,SUA VIDA É UM CAOS
SEM PERDÃO,NÃO SE PODEM SALVAR.
NÃO QUEREREM SE REDIMIR
É PEDIREM PARA NÃO EXISTIR
É MORRER,SEM QUERER LUTAR.

ONDE IMPERA A GANACIA VIOLENTA
ONDE DEUS NÃO TEM MAIS LUGAR
QUE SE ESPERA,SE O AMOR SE AUSENTA
QUAL AMOR DEVERIA IMPERAR?
SE EXISTISSE O AMOR REAL
NÃO SERIA O AMOR CARNAL
SEMPRE POSTO EM PRIMEIRO LUGAR

LADISLAU FLORIANO
POETA DE CRISTO
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.