Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
05/06/2012 15:38:28 :: JOSE MAURO CANDIDO MENDES
 
04/06/2012 10:55:40 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA


SOLIDÃO

Pedra em forma de grito,
que silencia
na turbulência vaga...

Eco perdido nas horas
que sangram...

Sombra refletida na alma.

Dor profunda.

Fuga no apalpar,
desolação no sentir,
inquietude.

Da vasta impressão,
o nada,
ante a imensidade sem resposta...

Vazio.
 
04/06/2012 05:43:20 :: AGOSTINHO M. DA COSTA
Em quatro de junho de 12 -5:34 - segunda-feira – Publicar.
Saudades
Loucas tentações
O querer das ilusões
Em beijos carentes,
Indecentes nos seios,
Meu bem!
Onde andará o meu amor
Onde anda você
Que não vem
Matar essas saudades
Que me deixa louco
Querendo você...

Nota: Não consigo colocar meus textos que dá invalidação do código.
 
29/05/2012 19:41:36 :: LUIZ RAVEL
amigo poeta!quem se interessar em musicar seus poemas,eu faço a melodia e coloco minha vóz com arranjo,cifro a musica e envio um play back para a propria pessoa ou quem queira por a vóz em cima,vou deixar uma cifre de exemplo aqui.
quem se interessar fazer contacto com o e-mail luizneneka@hotmail.com

Ela não veio                Autor:    Luiz Ravel dos Santos                      Tom:    A

Introdução -          A,       D,       E,       Dbm,       Gbm,       D,       E,       A;       E
                        A                                           Bm
Mais uma vez, te esperei em vão
               E                                           Dbm       D                      E                   A
Disparado esta meu coração, aqui nessa mesa de bar
                                                   Bm
Dois copos sobre a mesa
                           E                         Dbm       D                   E                A
Nos meus olhos a tristeza, e nada de você chegar.
                                          Bm
A cerveja esquentando
                              E                   Dbm             D                      E                   A
Por dentro estou chorando, a falta que você me faz
                                                   Bm
O musico já se recolheu
                  E                      Dbm          D                   E                      A          A7
E você não apareceu, pra devolver a minha paz.
                                             D                E
Já vão fechar o boteco
                                       Dbm          D                E                      A             A7
E eu enchi o caneco, e nem sei pra onde vou
                                                   D                E
Peço a conta ao garçom
                                                Dbm          D          E                   A          A7
Eu não estou nada bom, embriagado já estou.
                                                      D                                                          E
Sinto vontade de dormir sobre essa mesa                                                             (    Refrão )
                                             Dbm                         D                         E                                     A          A7
Apagar do peito essa tristeza, e sonhar contigo um sonho bom
                                 D                                           E
Garçom me leve até o carro
                              Dbm                      D                         E                A
Pode rir estou um sarro, coisas do meu coração.
                                                      D                                     E
Mais uma noite que ela não veio
                                                Dbm                         D                            E                            A          A7
Me sinto um burro com arreio, carregando o peso desse amor
                                                   D                         E
Aqui nunca mais eu voltarei
                                          Dbm                      D                            E                      A
Esse dia jamais esquecerei, pode jogar no lixo essa flor.

Introdução -          A,       D,       E,       Dbm,       Gbm,       D,       E,       A;       E

                                                                     Refrão.
 
24/05/2012 12:35:17 :: AGOSTINHO M. DA COSTA
Não consigo publicar meus textos no site. Dá código invalído.

Asseveração Do Amor

Ouça o murmúrio das ondas do mar
Eles estão a dizer
Que eu por ti estou a esperar
E na felicidade de ti abraçar
Farei    você por mim apaixonar
Será meu amor
Que os seus olhos não vêem
E que os cantos das aves
Estão a sussurrar
Que outro amor igual
Ninguém vai te ofertar
Se entregue amor
Deixe-me te acariciar
Não tente outro amor procurar
Porque só eu posso
Fazer-te apaixonar...
 
22/05/2012 22:00:51 :: JOSE MAURO CANDIDO MENDES



               DESDE ADÃO E EVA
     
   Autor José Mauro Cândido Mendes


Respeitar o semelhante
Deve ser uma constante
Até uma serpente
Intrometeu-se na vida da gente
Eva em sua inocência
Vendo aquela diferença
Logo seduziu Adão
Daquela árvore proibida
O seu fruto apanhou
E a malvada serpente
Invejosa como sempre
Convenceu Eva a comer
Rápido e sem temer
O produto do prazer
O respeito foi quebrado
Compartilhado por Adão
A humanidade desde outrora
Vive nessa confusão
Procurar ser diferente
Sem fazer distinção
De raça, cor ou religião
Essa é nossa obrigação!

MARÇO/2012
 
14/05/2012 15:47:59 :: MAZATO DIAS
Sou baiano, estive em Rondonópolis em 2007, naquela ocasião estudava na Escola Estadual Amélia, no Parque Universitário no 3º ano e tinha apenas 18 anos, Gilson passou vendendo    e comprei um livro dele, adorei e recomendo, ele é um escritor de altíssimo nível e dispensa comentários, eu tive a oportunidade de conversar com ele e pude notar que é um homem de sentimentos nobres. Perguntei a ele o que deveria fazer para lançar um livro e como, ele me incentivou a procurar patrocinadores, sem muito conhecimento da cidade, fiquei parado no tempo, mas continuei escrevendo, publiquei em Rondonópolis dois poemas no Jornal A tribuna: A natureza está morrendo e Confundível,    por intermédio da secretaria do colégio, mas ficou só nisso, voltando à Bahia continuei escrevendo, Hoje possuo mais de 100 frases, 80 poemas de vários gêneros: romântico, critico... Tenho 04 histórias escritas, porém apenas um mini livro de título Segredos do amor, com 12 poemas foi publicado. A falta de apoio e de reconhecimento torna tudo mais difícil, estou a procura de uma Editora para publicar minhas obras literárias. Há um expectativa de que seja lançado oficialmente o primeiro de meus trabalhos: Vida de quem ama.
Gilson Lira, sou seu fã. Mazato Dias, Recém iniciado escritor baiano.               
 
30/04/2012 09:27:50 :: MARIA LÍLIA ASTORI ZANUNCIO
   ESTA É UMA POESIA DE CORDEL, FEITA ESPECIALMENTE

PARA OS MEUS IRMÃOZINHOS, QUE ESTÃO SOFRENDO

POR CAUSA DA DEPENDÊNCIA.

                                    ESSA É A TUA HORA
Dependência é doença
Você tem que admitir
Pare e ouça a consciência
Volte a vida, vem sorrir.

Deus ajuda a quem se ajuda
Faz sua parte meu irmão
Vem pra junto da familia
Abra o seu coração.

Imagino que o mais dificil
É dar o primeiro passo
Mas depois que você der
É só correr pro abraço.

Tem muita gente disposta
A te acolher e te ajudar
Mas é preciso que você
Queira o vício    deixar.

Nunca é tarde pra mudanças
Essa pode ser a sua hora
Bote Deus em sua vida
Peça a Nossa Senhora.

Recorra a Santo Expedito
O Santo do hoje e agora
Em nome de Jesus Bendito
Manda esse vício embora.

Mas se você não tem fé
Ou deixou num canto esquecida
Deixe-me pedir por você
Fazendo parte de sua vida.

Prometo não ser invasiva
E deixar você desabafar
Ficarei quieta a seu lado
E a sua história, vou escutar.

Ouvirei com muito amor
Sem interromper ou questionar
E só tomarei atitudes
Quando você concordar.

Assim termino estes versos
Que talvez ninguem vai ler
Mas faço a minha parte
O que sei é escrever.

Peço com fé a Jesus
Que não te deixe à mercê
Que te dê oportunidade
Dessa doença vencer
O que eu faço é por amor
E fiz pensando em você.
 
07/04/2012 22:01:45 :: SANDRA MARAH ANDRADE PINTO


SINTO A POESIA

Sinto a poesia tocar-me
reverberando em todos os
pontos do meu eu a encantar-me.
E como se eu me encontrasse
vestida de versos e de luz
a me exaltar.
Fazendo-me vibrante como acordes de uma canção.
Quanto me encanta esses poemas de pura magia,fé e paixão.
Ah! como sinto indo embora
a minha companheira constante
a solidão.
Sinto o perfume a exalar
palavras doces que me faz chorar
enchendo-me de paz e força
apenas a me    deleitar.
Como se fosse uma menina moça
a apenas    a bailar.
Um ser apenas
feito de poema
polenizando com o mais doce mel o
meu caminhar.
 
07/04/2012 21:45:26 :: SANDRA MARAH ANDRADE PINTO


RAIOS DE LUZ


Vejo um raio de sol
bordando o arco íris
como a primavera
quizera eu poder voar
lá, lá, lá...
Ter asas douradas
e sair por aí a bailar.
Como uma criança alada
tocando as estrelas com
uma simples terna intenção.
Sentir ás cores diversas que sensação.
Vejo um raio de luz
bordando todo o céu
são pinceladas diversas
a irradiar paz, alegria todos a bailar.
Quizera eu poder voar e tocar
tudo e todos com minhas asas de anjo á curar.
Homens, mulheres e crianças de boa vontade e de todo lugar
com a luz divina de Deus a abençoar.
Voando bem alto
com asas da imaginação
feliz sempre bem com todos os seres da criação.
Que comunhão...
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.