Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
17/02/2009 10:06:41 :: Godinho@Godinho


DEGRADAÇÃO DA ESPÉCIE

O mar engole aos milhares
Aviões explodem nos ares
Mosquitos são malditos
Levam doenças aos lares

Pedras que viram água
Águas que viram pedra
Homem perdendo o valor
Sangue virando moeda

Ventos,sol,tempestades
Vem e arrasam cidades
Crianças nascem sem tempo
Velhos encurtam a idade

Toda a água do planeta
Já está comprometida
O ódio excita a violência
Falência múltipla da vida

Vidas que pedem comida
Respiram se contaminando
Assistem a despedida
O sopro da vida acabando

A lua rejeita a visita
O sol queima e envelhece
O mar a ressaca vomita
Terremotos a terra extremesse

O vento trás o tormento
O ar corroe,apodrece
A terra berço das sementes
Sepulta suas espécies

O homem maior culpado
Insiste acabar com a terra
A ira inspirou a violência
A ganância gerou a guerra

Tudo isso é um alerta
Para a degradação da espécie
Tudo foi Deus quem criou
Pena que o homem esquece

Mas ainda não é o fim
Deus renova o que consomem
A criança que nasce é a prova
Que ainda há esperanças no homem

by:Godinho@Godinho



 
16/02/2009 12:46:02 :: RAFAEL MATOS


Realidade exposta IV (poesia)

Semente da esperança que brota no coração de uma jovem
Que avista do alto do morro a cidade lá embaixo.
Cidade, que ao mesmo tempo, tão perto, está tão longe.
Longe por conta do preconceito,
Longe por causa da discriminação,
Longe devido ao esquecimento,
Longe em decorrência da corrupção imperante.

Logicamente que a favela é o local do crime organizado e das drogas,
Mas também não é somente isto que existe.
Existem sim, também, pessoas inocentes que vivem com medo e acoadas,
Sentindo-se desprotegidas constantemente,
Entregues aos bandidos diante de uma situação
Que pode ser considerada uma guerra civil,
Afinal, causa mais mortes do que uma guerra propriamente dita.

O Estado cada vez mostra-se mais enfraquecido,
Não conseguindo conter o poder dos bandidos,
Poder que ultrapassa os limites da favela,
Chegando até a cidade, dominando-a também.
E tudo isto é o puro resultado de uma legislação
extremamente fraca,
que é conivente com a impunidade.

Não é nada disso que os moradores da favela desejam.
A esperança deles é que possam ter dignidade e paz, acima de tudo,
para viverem uma realidade diferente e mais tranqüila.
Será que irão conseguir isto algum dia?
 
15/02/2009 23:24:18 :: Godinho@Godinho


SEUS OLHOS VERDES...

Seus olhos verdes inspiram sonhos,poesias e canções...
Revelam os segredos da alma,guardados nos corações...

Iluminam estradas,descobrem as fontes do pensamento...
Trazem alegria,à alma vazia,trazem alento...

Verde oceano, visto de um plano, é a imagem sua...
Verde é a miragem,visto em paisagens,contraste da lua...

Estrelas brilhantes,que se desprenderam,lá do firmamento...
Hoje são importantes,tens em seu semblante o mais nobre aposento...

Verde relva,verde escuro,que me arremete ao futuro,faz sonhar com esse amor...
Verde nobre da esperança,das folhas que o vento balança,do caule que sustenta a flor...

Olhos que me vêem confuso,sua beleza e conteúdo,me completa me esvazia...
Dá motivos pra viver,vivo pensando em você,és encanto,poesia...

São faróis em meu caminho,que encontram me sozinho,em algum lugar    qualquer...
Que expõem meus sentimentos e me vêem chorar por dentro,por alguém que não me quer...

São luzes fluorescentes,que iluminam o meu caminho e faz brilhar essa mulher...
És a estrela cadente,olhos verdes inocentes,que não sabem o que quer...

Lêem os meus pensamentos,sencíveis me vêem por dentro,mas se afastam e vão embora...
Enquanto meu coração não contendo a emoção,se reprime,sofre e chora...

Quizeras tu,olhos verdes,ter coração sem paredes,para eu,não precisar transpôr...
São paredes de incerteza,que lhe ofusca a beleza e não aceita outro amor...

Luzes verdes irradiantes,que me cegam por um instante e me tiram do caminho...
Me descobrem no inconstante e me vêem andando errante,sem rumo e tão sozinho..

Olhos verde é esperança,sei que ainda me balanças,pois adoro sua côr...
Que num dia de incerteza,me brindou com sua beleza e fez sonhar com esse amor...

Verde encanto,verde vida,chegada e despedida,sonho que sonhei um dia...
Que me passou confiança,sorrí feito criança,nem eu mesmo entendia...

Esses seus olhos verdes,que quase todas as noites,sempre vêem me visitar...
São olhos que me fascinam,palavras que me animam,e que me fazem sonhar...

Venha me ver todo dia,vem me fazer companhia,não tente me esquecer...
Hoje não tenho alegria e só serei felíz um dia...No dia que te conhecer...


by:Godinho@Godinho
www.poesias.omelhordaweb.com.br

*Este texto foi inspirado em minha amiga internauta Caudia
 
15/02/2009 21:07:04 :: AMARILIS PAZINI AIRES


AO SOM DE UM SAX

Entranhas apertadas
ao som de um sax
percorro espaços imaginários
desejando o momento sonhado


Sinto um eco no imenso vazio
busco o fio da meada
que obscurecido se encontra
no voar dos véus
de um tempo remoto
que tento descobrir,
mas que flutua
ao som de um sax.

Eu sinto e tento alcançar,
mas é tudo tão fisico
como a melodia em notas escritas
entoando...
ao som de um sax.

O completo se esconde no etéreo
posso sentir mas não alcançar,
o fisico impede a sublimação,
mesmo ao som de um sax.

Instrumento que me eleva
ao entoar a perfeita melodia
desprendo-me da matéria
e flutuo ao som de um sax.

AMARILIS PAZINI AIRES
15/02/09
 
15/02/2009 18:34:11 :: ELZA FRAGA


CHEIRO DE TEMPO
(Elza Fraga)

Tempo esquisito
que desembesta
e corre
feito mosquito
zunindo no ouvido

enquanto o sonho
morre
no passado

e a vida fica
com cheiro de mofado

(postado em http://tempoinverso.blogspot.com/)
.
 
15/02/2009 14:20:40 :: Godinho@Godinho


ESTAÇÃO PRIMAVERA

Na beleza da menina,
Da mulher,da idosa
Tem uma alma feminina,
Que é um encanto,és formosa...

Nascem,crescem e florescem,
São cheirosas,todas prosas,
Fragrâncias às enaltecem,
Se parecem com as rosas...

Seus perfumes,suas cores,
À diferem de outras flores,
Seus ciúmes,seus espinhos,
Ferem sempre com jeitinho,
Seus amores...

A mulher e a rosa,
Nasceram para encantar,
Uma enfeita o meu jardim,
A outra me faz sonhar...

Algumas tem o ciclo de vida,
Até o desabrochar,
Murcham se em seguida,
Deixam o perfume no ar...

Vão para outro jardim,
Outro canto,outro lugar,
Colorir,perfumar,enfim,
Um novo amor encantar...

Ficarão nos meus sonhos,
Suas pétalas,suas cores,
Ficarão nas lembranças,
Seus beijos,seus sabores...

Ficarão na saudade,
Revê-las,quem me dera,
Em algum lugar da cidade,
Ou na estação primavera...

by Godinho@Godinho
 
14/02/2009 18:42:59 :: VERA LÚCIA


Pode ser

Que no futuro desenvesilhe deste presente
Onde por um alguém no passado, me prendi
Aquele mesmo, que hoje se faz um ausente
Nele ainda me perco, nele finjo que esqueci


Pode ser

Que a música que ouço distante e baixinho
Não tenha mais aquele mesmo tal significado
Como a poesia que desconexa e em desalinho
Perdeu-se na rima de um coração apaixonado


Pode ser

Que eu vá e assim, viajando nessa aventura
Eu volte... e voltando, eu desista por fim
De seguir nessa estrada incerta e obscura
De querer te advinhar, de trazer-te em mim


Pode ser

Que me perdi... na tentativa de encontrar
Quiçás um dia, de toda essa dor, eu sare
Quando despir de tudo, nas ondas do mar
E para sempre neste silêncio, eu me cale

http://www.velucy.com/pode.htm
 
14/02/2009 10:03:30 :: AMARILIS PAZINI AIRES


AMOR PLATÔNICO

Este amor sonhado
envolvendo o astral
de um ser ciente
do espirito imortal.

Espaços construidos
de um momento único
de almas se encontrando
inteiramente se entregando.

Teu corpo apreciar
minhas mãos a acariciar
as curvas que se fazem
no contorno a dedilhar.

Amar, sonhar, não existe idade
nos renova e faz viver
pois sei que não é daqui
o amor que te concedi.

Amor platônico
em sonhos reais
sem dia, sem hora
de encontros fenomenais.

Daqui nada levamos
só o que desejamos
mas no fisico almejamos
o que no infinito encontramos.

Autoria : Amarilis Pazini Aires
 
13/02/2009 15:34:39 :: ANDRÉ SESTI DIEFENBACH


Dois = um

Um misto de poema e teorema
onde o exato se mistura ao abstrato,
flores e espinhos em um só caminho
a caricatura e o retrato.

Algo entre a loucura e a lucidez
o sol e a chuva, a abelha e a uva,
sem distinção entre o certo e o errado,
só eu e você lado a lado.

A vida e a morte, o azar e a sorte
solidão e companhia, uma só fantasia,
ilusão, realidade, a tristeza e a felicidade
complicação na simplicidade.

O amor e o ódio, o açúcar e o sódio,
os opostos reunidos, aventurados sofridos,
o feio que é belo, um casebre, um castelo,
cinzas com tons de amarelo.

A água e o fogo, o céu e a terra,
a paz onde sempre houve a guerra,
a luz que se equilibra com a escuridão,
razão e emoção    uma só equação.


O texto acima foi premiado com 3 lugar no prêmio literário Valdeck Almeida de Jesus 2008/2009...

tenho diversos textos com áudio em meu blog.. ACESSE: www.blogopoeta.blogspot.com

também tenho vários textos aqui no melhor da web... dá uma olhada!!!
 
13/02/2009 09:59:07 :: USSUMANE GRIFOM CAMARA
O poeta;
é a natureza vasta
que não desgasta,
é a onda azul morena
onde desfila o poema.
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.