Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
14/02/2009 18:42:59 :: VERA LÚCIA


Pode ser

Que no futuro desenvesilhe deste presente
Onde por um alguém no passado, me prendi
Aquele mesmo, que hoje se faz um ausente
Nele ainda me perco, nele finjo que esqueci


Pode ser

Que a música que ouço distante e baixinho
Não tenha mais aquele mesmo tal significado
Como a poesia que desconexa e em desalinho
Perdeu-se na rima de um coração apaixonado


Pode ser

Que eu vá e assim, viajando nessa aventura
Eu volte... e voltando, eu desista por fim
De seguir nessa estrada incerta e obscura
De querer te advinhar, de trazer-te em mim


Pode ser

Que me perdi... na tentativa de encontrar
Quiçás um dia, de toda essa dor, eu sare
Quando despir de tudo, nas ondas do mar
E para sempre neste silêncio, eu me cale

http://www.velucy.com/pode.htm
 
14/02/2009 10:03:30 :: AMARILIS PAZINI AIRES


AMOR PLATÔNICO

Este amor sonhado
envolvendo o astral
de um ser ciente
do espirito imortal.

Espaços construidos
de um momento único
de almas se encontrando
inteiramente se entregando.

Teu corpo apreciar
minhas mãos a acariciar
as curvas que se fazem
no contorno a dedilhar.

Amar, sonhar, não existe idade
nos renova e faz viver
pois sei que não é daqui
o amor que te concedi.

Amor platônico
em sonhos reais
sem dia, sem hora
de encontros fenomenais.

Daqui nada levamos
só o que desejamos
mas no fisico almejamos
o que no infinito encontramos.

Autoria : Amarilis Pazini Aires
 
13/02/2009 15:34:39 :: ANDRÉ SESTI DIEFENBACH


Dois = um

Um misto de poema e teorema
onde o exato se mistura ao abstrato,
flores e espinhos em um só caminho
a caricatura e o retrato.

Algo entre a loucura e a lucidez
o sol e a chuva, a abelha e a uva,
sem distinção entre o certo e o errado,
só eu e você lado a lado.

A vida e a morte, o azar e a sorte
solidão e companhia, uma só fantasia,
ilusão, realidade, a tristeza e a felicidade
complicação na simplicidade.

O amor e o ódio, o açúcar e o sódio,
os opostos reunidos, aventurados sofridos,
o feio que é belo, um casebre, um castelo,
cinzas com tons de amarelo.

A água e o fogo, o céu e a terra,
a paz onde sempre houve a guerra,
a luz que se equilibra com a escuridão,
razão e emoção    uma só equação.


O texto acima foi premiado com 3 lugar no prêmio literário Valdeck Almeida de Jesus 2008/2009...

tenho diversos textos com áudio em meu blog.. ACESSE: www.blogopoeta.blogspot.com

também tenho vários textos aqui no melhor da web... dá uma olhada!!!
 
13/02/2009 09:59:07 :: USSUMANE GRIFOM CAMARA
O poeta;
é a natureza vasta
que não desgasta,
é a onda azul morena
onde desfila o poema.
 
12/02/2009 21:31:31 :: GORETTI ALBUQUERQUE


   Desejos quase...

Quando me tocastes
Com tanta candura
Foi como buscar-te
Em um sonho a parte
De imensa ternura.

Quando me beijastes
Com afagos mil
Meu corpo a falar-te
Percebe o incarte
De um amor febril.

Quando quase é nada
Perto dos desejos
Da pessoa amada
Das bocas molhadas
De jovens mancebos.

Quando na volúpia
Eu disser que não.
Ame a revelia
Feito uma enguia
Tira-me o chão.

Quando em meus braços
Transformado em anjo
Cerca-me com laços
Mata-me em abraços
Seduz-me em um canto.

Quando quase mortos
De um feliz cansaço
O amor de dois corpos
Incendeiam aos poucos
Suspiros aos pedaços.

Quando tua miragem
Suga minha mente
Na louca viagem
Buscando a drenagem
De te amar, somente.

                                                            Goretti Albuquerque.




 
12/02/2009 21:28:57 :: GORETTI ALBUQUERQUE


                                    Contatos Virtuais.

A Internete
É uma inquete
Muita das vezes
Nos aborrecem
Muitas pessoas
Que nos molestam.

Mas não são poucos
Que mentem as claras
Quando querendo
Expor-nos as taras
Repetem horrores
Por eles, falam.

Nossos valores
Ninguém nos rouba
Somos mulheres
Que pensam e ousam.
Quando ouvimos os disparates
Silenciamos isso faz parte.

Homens, mulheres
De fino trato.
Modernidade?
Tem sempre um fato
Mais mãos e mentes
Fazem o retrato.

Enquanto isso
Estão-se tristes
Por vários fatos
Em desperdício
Chega um E-mail
Alguém propício.

Cada mensagem
Nos acalantam
Às vezes rimos
Ou lamentamos
Pessoas lindas
A nós, amando.

Em um monitor
Sentimos tudo
Desde um carinho
De um postal
Alguém de longe
Diz-me um ”que tal”?
Não percam tempo
Com coisas más
Amem e espalhem
Amor e Paz
Seu monitor
Amor já trás.

Pessoas dignas
Coração belo
Lá bem distante
Dizem mi cielo!
Um oi querida
Como estás bela?

Busquem o bem
Levem a Nação
Os absurdos
Joguem ao chão
Meu lindo amigo
Minha paixão!

                                                Goretti Albuquerque.



 
12/02/2009 17:29:39 :: GIULIA DUMMONT


BREVINSTANTE

Tudo é breve:
a hora, o dia,
o ano, tudo;
a mágoa, o choro,
o riso, a paixão.
Um simples beijo:
ainda que brevinstante,
é vida, é amor!

Giulia Dummont

http://temporais.blogspot.com/
 
12/02/2009 02:47:05 :: sdfsdfsdfsdfsd


Nós, numa prosaica tarde de sábado


Hoje, exatamente as 14 horas de uma tarde de sábado e após todas as rotinas estressantes de uma semana corrida, deparo-me com a lívida imagem de dois colibris preto-púrpura, rabos bifurcados e longos, corpos pequenos e sinuosos, em cima de um fio de poste, numa rua pacata, urbana e sob asfalto. Isso me deixou extasiado e feliz. A capacidade nítida sobre a vida que readapta e, apesar das mazelas, apesar das celas, dois colibris idênticos conseguem sobreviver.
Assim somos: eu e você, continuamente. Diferentes sob o toldo. Nada ousa nos pôr rótulos. Ninguém.

Continuamos.

O ônibus custa a passar e começa a chuviscar.
Vejo mais três andorinhas no céu.
Duas voam quase ligadas.
A terceira fica para trás, longe.

Quem somos nós nesse monte de alfafa?

Agulhas tortas, prontas para costurar silêncios.
 
11/02/2009 23:08:54 :: MARCIO COSTA
A meu amor

A meu amor, uma serenata.
A minha vida, uma fragata.
A minha solidão, uma ponderação sensata.
A tudo o que vejo, minha admiração.
A meu amor, meu coração.
A minha vida, uma canção.
A minha solidão, novamente uma ponderação.
A tudo o que vejo, um bumbo e uma flauta.

A minha história, uma página em branco.
A meu encalço, um bater de tamanco.
A minha lembrança, total encanto.
A tudo o que vejo, minha solidão.
A meu amor, minha vida.
A minha vida, meu coração.
A meu amor, uma canção.

A noite fria, um abraço.
A seu presente, um laço.
A esperança, a eternidade.
A nossa vida, a extrema saudade.
A nosso passado, a lembrança.
A eternidade, a esperança.
A tudo o que está perto,
Tudo no fim dá certo.
 
11/02/2009 11:25:46 :: Godinho@Godinho
FALAR DE VOCÊ

Falar de você,é expressar os mais nobres sentimentos...
É amar,é sonhar,é sorrir,é tê-la nos pensamentos...

É sentir a calma da natureza,do paraíso...
Atravéz da alma,da sua beleza,do seu sorriso...

Seus olhos brilhantes,luz de diamante,trazem harmonia...
Dizem a verdade e fazem amizades,com simpatia...

Olhos bonitos,que com seu brilho,transmitem amor...
Transmitem calma enxerga a alma,seu interior...

Não tens maldade,faz caridade,tem sentimentos...
Sua ternura, à alma invade,cura por dentro...

Gosta de todos,ama a vida e a liberdade...
Manda mensagens às pessoas queridas que sente saudade...

Frases bonitas diz o que sente,fala com à alma...
Luz infinita,que ilumina a gente e transmite calma...

Vê na poesia,paz e harmonia,tranqüilidade...
Vê nos amigos a luz que irradia da sua bondade...

Tens simpatia e inspira sonhos a quem à conhece...
Seus recadinhos,frases e scraps,quem lê não esquece...

Assim é você,à quem descrevi e tentei me expressar...
Disse o que senti,não pude impedir o coração de falar...

Poeta não sou,mas você que me inspirou a te descrever...
Digo com certeza “que com sua nobreza,tenho muito à aprender”...

by:Godinho@Godinho
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.