Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
07/03/2009 09:22:48 :: MARIA HILDA DE J. ALÃO


SOB AS ÁRVORES


Maria Hilda de J. Alão.


Sob as árvores da minha terra
Há um encanto e um frescor,
Uma paz que se estende
Até onde a vista alcança.

Sento no banco da praia
À sombra do chapéu-de-sol
Olhando o sol que se vai.
Extasio-me com o cenário,

Percebido, somente, pela alma,
Centenas de anjos em algazarra
Cerrando o portal do dia
Para descanso dos laboriosos.

Abrem-se as cortinas da noite.
Inicia-se o eterno espetáculo
Da lua e estrelas em palco negro
Desempenhando seus papéis

De encantadores de namorados
Caminhando enlevados
Ao som de invisíveis violinos
Executando romântica melodia.

O mar levanta as saias,
De brancas rendas, das ondas,
Para a lua, mágica, pintar
De ouro a orla da praia,

Na tela dos meus olhos,
Com a paisagem de graça e viço
Plantada por ordem do Criador
No solo da minha terra.

30/12/04.
 
07/03/2009 01:49:01 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Poeta lascivo.

Não falo teu nome
Nem sob tortura.
Meu corpo flutua
Desnudo, tem fome.

Fome dos teus olhos
Com brilhos de açoites
Sempre em minhas noites
Tal qual aos monjolos.

Monjolos que aos poucos
Traz    água    em fluência
Contigo a inocência
Invade-me aos poucos.

Poeta da tela
De terra distante
Seduz-me elegante
Galã de novela.

Como em faz de conta
Orgasmos trocamos
Bem    longe estamos
Carinho desponta.

Carinho desponta
Do imaginário
Como em um hinário
Duas bocas em afronta.

Poeta lascivo
Sensual profano
Compondo eu te chamo:
Meu louco nocivo.

                     Goretti Albuquerque.            

  
 
06/03/2009 21:07:14 :: HELIO RODRIGUES
SONETO DAS ONDAS






Ondas do mar;vorazes como meu pensar;
são gotas d’água
pedaços de mágoa
na areia à se juntar.



Onda que ronda sobre minha solidão;
peço uma sereia
mas o mar só traz areia
pra enterrar minha ilusão.



Se a vida fosse onda de mar
eu nasceria e morreria
a cada instante sem parar.




O tempo e o mar jamais serão iguais;
o tempo é uma onda que vai
e não volta nunca mais.










Autor:Helio Rodrigues
 
06/03/2009 15:07:28 :: RICARDO DE BENEDICTIS


                        DIA INTERNACIONAL DA MULHER!
                                   
A direção da Apolo confraterniza-se com todas as escritoras partícipes deste portal pelo transcurso do Dia da Mulher, neste 8 de março de 2009. As mulheres são artistas e musas a um só tempo. São mães da humanidade e cabe-lhes papel fundamental na evolução de tudo que acontece no Planeta Gaya. Parabéns a todas as Confreiras e colegas. Salve O DIA INTERNACIONAL DA MULHER! Ricardo De Benedictis - Email: mrbenedictis@yahoo.com.br -   
Inscreva-se:    www.apoloacademiadeletras.com.br
 
06/03/2009 10:40:44 :: ALEXANDRE BRUSSOLO


Céu e Mar

O mar estava tão brilhante
de um brilho puro e intenso,
as ondas com sua espuma
de um branco tão limpo
que com as nuvens se confundia.
O som do mar que é capaz
de desligar algo em nós
e levar-nos a reflexões inumeráveis,
e vendo o infinito nossas idéias
parecem se encontrar em algum lugar,
como o céu e o mar se encontram
na linha do horizonte,    numa união
que só cada mente pode construir,
que só cada mente pode decifrar,
céu e mar vivem em harmonia,
pois um espelha a vida do outro,
no extremo do alto e do baixo,
na plenitude do belo e do admirável
e na união da beleza natural.


Alexandre Brussolo (05/03/2009)


TEXTO: 187
 
06/03/2009 08:35:46 :: FÁTIMA ABREU
A roda gira
O mundo não pára
O vento sopra muito forte
Faz estrago
O mar está revolto
Adivinha tempestade
Quantos desabrigados!
Há neve na Europa
Há chuva incessante no Brasil
A temperatura do planeta cresce
O efeito estufa, aquece...
Enquanto a Natureza se revolta
As geleiras vão se desmanchando...
O nível do mar sobe...
E o vento continua soprando forte
Faz estrago novamente...
A Amazônia perde seu verde dia a dia
Mas que tanta agonia!
Será que o planeta está em colapso?
Será que existe salvação?
Deus permita que sim
Para o seu bem e para mim...
 
05/03/2009 23:33:12 :: JOSE ORESTES DE ALBUQUERQUE


OS OLHOS DELA

Seus olhos são duas pedras
De brilho paralisante
Deviam ficar guardados
Como ficam os diamantes
Seu brilho é tão fulminante
Minhas pernas bambearam
As batidas aumentaram
Fiquei sem fala na hora
Ela já tinha ido embora
Eu ali desconsolado
Por causa de um olhado
Que aquela moça me deu
Ela desapareceu
Com seu olhar de quebrante
Só me vi por um instante
Na retina reluzente
Procurei na minha mente
Um brilho pra comparar
Das estrelas, nem pensar
Da lua cheia talvez
Mas, nunca o brilho que fez
Se repete novamente
Agora vivo silente
Procurando pela vida
A moça desconhecida
Qual rosto não pude ver
Quando começa a chover
Espero na tempestade
Seus raios de claridade
Acho que é a tal moça
Na água que forma poça
Vejo seu rosto na lua
É sonho que continua
A me fazer seu escravo
Eu que era homem bravo
Vivo agora de lamentos
Corre nos meus pensamentos
Noutro mundo procurar
Algo que possa matar
Esse mal daquele olhado
Ou então reencontrar
Aqueles olhos malvados
Por fim morrer fulminado
Nos raios daquele olhar!!!




 
05/03/2009 22:17:03 :: JOSÉ ANTÔNIO GAMA DE SOUZA-BALZAC
(Reposto em homenagem às nobres, valorosas, inteligentes, belas e importantes mulheres; senhoras e comandantes de todos os dias da vida!)


ALERTA
(José Antônio Gama de Souza-Balzac)

Ao homem que pensa
Que uma mulher
É propriedade ou objeto,
Cuidado:
Este pensamento equivocado
O levará à infelicidade
De conviver como um pária
Com pobres e limitadas prostitutas.

À mulher que pensa
Que uma mulher
É propriedade ou objeto,
Cuidado:
Este pensamento equivocado
A levará à infelicidade
De conviver como uma prostituta
Com pobres e limitados párias.

Leopoldina, MG, 08 de março de 2002.
 
05/03/2009 21:14:43 :: ELIZA
OCEANO


Meus pensamentos
E levado pelo vento
Voa sobre o mar ao
Sabor    da maresia
sinto seu gosto.

Não resisto mergulho
Em águas profundas
Sinto frio! Um arrepio

Águas de muitos mistérios
Onde te encontro desnudo
Sacio minha sede de vida.

Eliza Gregio
 
05/03/2009 16:21:14 :: FER FONTES(Cöllyßry)



No nascer do dia
Expõe o teu corpo ao Sol
Para que seus raios o aqueçam e penetrem no teu coração.

No cair da noite

Resguarda-te para que a tua Alma
Descanse, e o frio não gele o teu corpo…




(¯`•.•´¯)
*`•.¸(¯`•.•´¯)
¤ º° ¤`•.¸.•´ ¤ º° ¤*¤ º° ¤`•.¸.•´


"Alimentas o corpo para o Hoje...
Alimentas o Espírito para a Eternidade..."
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.