Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
13/04/2009 02:36:01 :: RAFAEL MATOS


Vida nas ruas (poesia)

Vida vazia,
Vida solitária,
A realidade das ruas é triste e inaceitável,
Jovens menores e maiores de idade,
Dependentes de todo tipo de droga.

Vida sem esperança,
Vida sem sonhos,
Alguns nasceram e cresceram nelas,
Outros foram “empurrados” e “jogados” nas ruas,
Abandonados por suas famílias devido às drogas.
Ambos compartilhando o mesmo destino desolador,
Centenas já morreram e muitos ainda morrerão.   

Vida marginalizada,
Para conseguir a fonte do seu vício
Não basta contar com a esmola pedida nos sinaleiros,
Pois é preciso mais dinheiro.
Assim, procuram outra alternativa,
Tornando-se um novo assaltante.

Vida equivocada,
Na ilusão da dependência,
Transformam-se em “laranjas” dos grandes traficantes,
Esperando trocar dinheiro por droga.
Até acabam conseguindo,
Mas depois, percebem que estão endividados
E podem morrer também por conta deste erro.

Esta é a vida nas ruas,
Sem dignidade e respeito,
Sem confiança e apoio.
A visão da sociedade é desumana.
Até quando tal situação continuará sucedendo-se?
 
11/04/2009 23:50:22 :: ALEXANDRA
Olá pessoal
Tudo bem?

Bem o que se passa é o seguinte a tempos vi aqui a dizer que iam escrever um livro e se podiam usar os meus textos...
Eu queria responder mas o meu pc não da para mandar e-mail's a partir do acesso que tinham posto. :(

Se alguem souber como posso tratar disto agradecia que me informacem.Pois escrever um livro sempre foi um dos meus sonhos mas infelizmente as editoras só procuram romances :(

Aguardo alguma resposta...

Obrigada!

Xaninha.
 
11/04/2009 17:14:38 :: DINÁ FERNANDES De OLIVEIRA SOUZA


Desejo a todos os membros do site uma Páscoa com amor!

meu fraternal abç!
A Ciganinha!
 
07/04/2009 23:55:28 :: ANDRÉ SESTI DIEFENBACH
Olá, boa noite!
leiam o texto MESTRE HÉLIO GRACIE
Grande abraço!
 
06/04/2009 01:13:49 :: RAFAEL MATOS


Branco da paz (poesia)

Para que fazer guerra?
o homem pode ser “inteligente”, mas, nessas horas,
mostra claramente a sua burrice, idiotice e imbecilidade,
transformando-se em animal irracional.

Não utiliza a razão, que, sempre, é a melhor conselheira,
e muito menos, a emoção e o sentimento.
não enxerga que milhões de irmãos seus, sofrem e morrem,
nem ao menos, saber o porque de tal monstruosidade.

Não existe motivo algum que possa motivar uma guerra.
a guerra é a perda total da identidade do ser humano,
é o desvio e a inversão de tudo que resta de bom no mesmo.

O homem não consegue compreender que uma guerra não leva a lugar algum,
que uma guerra só traz a discórdia, o ódio e a vingança.
o homem está se autodestruindo completamente,
porque não conhece o significado da palavra diálogo.

Pense em uma criança vendo seus sonhos destruídos,
a lágrima brotando no seu rosto.
Pense em crianças morrendo, interrompendo seu futuro.
isso traz alguma animação, alguma coisa de bom?
 
06/04/2009 01:09:36 :: ANA DA CRUZ
Concurso Versos Inéditos

Organizado pelo Mural dos Escritores.

Considera-se inédita a obra não publicada em livro.

Um poema ou uma poesia.
Formatos: Poema Livre, Dueto, Soneto, Haicai, Rondel, Rondó, Vilanela, Indriso.
Dúvidas: Conferir blog Rima e Métrica Poética.

Tema Livre.
Inscrição por texto: R$50,00.

Não será exigida a nova reforma ortográfica.

10 janeiro a 10 de abril de 2009.

Premiações
1º lugar: Certificado, Cartão Personificado de Escritor, 150 livros (no valor de R$3750,00), 75 convites para lançamento oficial.
2º lugar: Certificado, Cartão Personificado de Escritor, 100 livros (no valor de R$2500,00), 50 convites para lançamento oficial.
3º lugar: Certificado, Cartão Personificado de Escritor, 50 livros (no valor de R$1250,00), 25 convites para lançamento oficial.
Do 4º ao 40º lugar, os textos farão parte do corpo do livro e cada autor receberá 5 livros editados e 10 convites para lançamento oficial.

* Número máximo de inscritos: 300.

Os textos irão ser julgados por uma comissão, mesclando professores acadêmicos e árcades mineiros, que os julgará com isenção. Na hora do julgamento, somente os textos serão julgados, não constará o nome dos autores.

A obra Versos Inéditos resultado do concurso, além dos textos selecionados, trará uma parte sobre teoria literária, começando com um breve relato sobre o surgimento da escrita, a literatura como arte de escrever, as escolas literárias, os autores do século XX, os autores contemporâneos do século XXI, cujas tendências poéticas serão apontadas a partir dos textos dos 40 (quarenta) ganhadores do concurso, que serão destacados na íntegra.

Dessa forma, mais que um livro texto, resultado de concurso, teremos uma obra de característica inédita, cuja abordagem literária poderá servir de referência para bibliotecas; de apoio pedagógico para instituições de ensino; e de indicação para vestibulares.

Não é obrigatório comparecer ao lançamento. Quem não o puder fazer e for selecionado receberá o prêmio via correio.

Aos escritores que têm dificuldade em abrir arquivos em acrobat,
UMA SÍNTESE DE PARTICIPAÇÃO

Taxa de inscrição: R$50,00 por uma obra inscrita.
Depósito: Caixa Econômica Federal. Agência: 0085-0
Conta: 928062-1. Operação 013.
Pode ser paga em qualquer agência da CEF ou Casa Lotérica.

* Escritores não residentes no Brasil, tendo dificuldade em fazer o doc bancário, dirijam-se a uma casa da moda (câmbio) e troquem valor referente em reais. Enviem junto ao material postado.

Envio do texto e um um minicurrículo impresso e gravado em disquete ou cd, junto com o comprovante de pagamento da inscrição: Ana da Cruz (Mural dos Escritores): Caixa Postal, 449 – Ag. Aarão Reis – Centro – Cep. 30161.970 – Belo Horizonte – MG.

ADENDO Um fato não previsto em edital, mas que parece pertinente, visto os textos já inscritos. Caso entre os 40 textos selecionados - Categoria Geral - não houver pelo menos dois textos de cada modalidade, na modalidade não preenchida, os dois melhores serão publicados, cada autor receberá 2 exemplares do livro, 2 convites para lançamento e seu nome sairá nos releases soltos na imprensa.

Tanto a chamada, quanto o edital do concurso, encontram-se protegidos.

Não é permitida a cópia. Aos demais, que sejam criativos, elaborem e inaugurem seu próprio concurso.
 
03/04/2009 08:26:41 :: GORETTI ALBUQUERQUE


            Crer ou não Crer?

O mundo é um mistério
Tão belo que o ser humano
Não conseguiu explicar.
Nos termos da Geografia
O homem tenta explorar
Mais sem muito comprovar.

Os cientistas avançam
Com pesquisas vão a fundo
Querem saber como foi
Que se formou esse mundo
Continuam a procurar
Esse mistério profundo.

A igreja tem em mente
Que o mistério é confirmado
Nas Escrituras Sagradas.
Os que são religiosos
Explicam com mais lisura
Fatos menos complicados.

Na idéia popular
Muitos na dúvida convivem
Fazem perguntas freqüentes.
Se o mundo então se formou
Pelas mãos do criador
Outros ainda desmentem.

Na minha concepção
Não preciso explicação
Tudo que sinto e que vejo
Tem a Essência de Deus.
Criou tudo e o firmamento;
Com perfeição e com zelo.

      MARIA GORETTI ALBUQUERQUE

 
03/04/2009 08:18:14 :: GORETTI ALBUQUERQUE


               O Cotidiano.

Minha mão não quer parar
Nem a razão quer calar.
Vou manter a consciência
Do contrário não consigo
Contar parte do que vejo
Do que sofre nossa gente.

Gente que passa cantando
Pra sua dor ocultar
Outros que choram de amor
De emoção ou de dor
Seguram a lágrima nos olhos
De um jeito desolador.

Mulher de mãos calejadas
De tanto a terra arar
Tira o sustento dos filhos
Sem um amparo ou auxílio.
Só encontrou empecilhos.

Criança que sonha um dia
Ter uma casa e comida
Passa bem devagarzinho
Olhando pra seus pesinhos.
Queria vestir seu corpo
E por nos pés, um sapatinho.

Meu bom homem espere em Deus
Sua vida vai melhorar
Vais sonhando coisas lindas
O que pedes vais ganhar
Tem Um Deus que é Soberano
E a ti, vai sustentar.

               MARIA GORETTI ALBUQUERQUE.

 
29/03/2009 01:28:32 :: RAFAEL MATOS


Amigo verdadeiro (poesia)

É muito bom contarmos com um amigo,
amigo de verdade, e não simplesmente no sentido da palavra.

Amigo de verdade é aquele que deseja que estejamos bem
e faz de tudo para isso acontecer.

Amigo de verdade é aquele que sabe compartilhar conosco
todos os momentos por que passamos na nossa vida.

Um amigo de verdade é muito difícil de se encontrar atualmente,
eles são raros, mas existem.
 
27/03/2009 14:09:48 :: VALDECIR DE OLIVEIRA ANSELMO


Valdecir de Oliveira Anselmo, lança neste sábado (dia 28), a partir das 15 horas, na Livraria do Maneco, Rua Marechal Floriano, 879 - Centro - Caxias do Sul - RS, seu quarto livro ESTRO – ENGENHO POÉTICO.
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.