Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
25/05/2009 02:28:09 :: KEMESSON LEMOS


Na chuva...

Na chuva de 20 de março te conheci,
Casualmente te conheci,
Era madrugada,
Estavas lá usando um codinome ostensivamente simples:
Sincera.
E como numa tempestade, só que de pessoas,
Provoquei-te em meio a todas elas.
E te chamei pro canto.
Era chuva, e começou a me molhar.
E como toda chuva ela foi chegando gradual, mas constante.
Foi quando percebi,
Só no dia seguinte,
Intrigado,
Que o tempo todo estava na chuva,
De um modo misteriosamente
Molhado.
Kemesson lemos
21 – março de 2009
 
25/05/2009 02:26:08 :: KEMESSON LEMOS


Poema escuro

Não enxergo nada
Mas confio no meu instinto
E as palavras, coitadas, saem incertas,
Mas eu as sinto!

São cinco e cinqüenta e cinco
E ainda não consigo atar
Uma linha de poesia,
Que amarre em meu verso

- Alguém aí pode acender a luz?!


Kemesson lemos
 
25/05/2009 00:28:14 :: RAFAEL MATOS


# Continente invisível (soneto - social)

Como, em pleno século XXI, existe um continente que é o mais pobre do mundo?
Como se não bastasse isto, ainda é o mais esquecido e abandonado.
Lá, a desigualdade social presente vai muito além de profunda,
Já é inacreditável, ultrapassa o limite do imaginável.
Como esperar que crianças e jovens tenham esperança
Diante da situação de completa miséria ao seu redor.
Se a esperança não nasce entre estes, muito menos nos mais velhos.

As lágrimas não conseguem deixar de brotar no nosso rosto,
Quando somos obrigados a admitir, para nós mesmos,
Que na África crianças e jovens morrem por inanição.
Isto significa que seres humanos, assim como nós,
Estão morrendo continuamente pela falta de alimentação.
O que acontece é uma verdadeira ironia.   

Enquanto milhares de africanos sofrem com a fome prolongada,
O mundo inteiro desperdiça, jogando no lixo alimento bom para consumo.
Não existe mais consciência no mundo, ela desapareceu faz tempo.   
O que os políticos africanos e o mundo fizeram
E continuam fazendo com estas pessoas é cruel e desumano.
A África foi reduzida, no decorrer do tempo,
A um mero continente totalmente dependente de esmolas.   

Nesta região do planeta vivem seres humanos,
Que merecem ser tratados com dignidade e respeito,
É justamente tudo que eles não conseguem ter.
Como ter dignidade quando a própria realidade faz com que ela não exista?
Realidade que impede os africanos de sonharem e lutarem para conquistarem os seus sonhos.
Os sonhos até podem surgir, mas logo são apagados do imaginário,
Assim que a consciência traz o pensamento de volta a situação cotidiana.

Como pensar no futuro, se no presente sabe-se,
Que a qualquer momento, a morte pode ocorrer devido à fome e todo tipo de doença.
Viver não é isto, pois viver não é vegetar.
Qual o motivo de tanta monstruosidade contra pobres humanos?
Quem é o culpado pelo que está acontecendo?
O capitalismo, o preconceito ou a combinação dos dois.   

Nenhum deles pode ser mais importante do que o povo africano,
Infelizmente não é esta a visão de quem se encontra no poder dos países africanos
E de um mundo hipócrita e sínico,
Ambos estão pouco se importando com o fato de como se vive na África.
Não interessa se o continente vai sendo contaminado pela AIDS,
Muito menos por um surto de cólera,
Não importa se a educação não é capaz de transformar sonhos em futuro.

Os africanos vão continuar sendo castigados injustamente e sofrendo por mais quanto tempo?
Quanto tempo ainda serão obrigados a aceitar que estão entregues a própria sorte?
Ou seja, nas mãos dos dirigentes do continente?
Quando será que a África deixará de ser invisível para os seus políticos e o mundo?
São perguntas que somente o tempo poderá responder.
 
24/05/2009 00:45:00 :: ALEXANDRE DORNELES
Segue poesia em homenagem a minha Mãe e as Mães de todo o Mundo.

MÃE

*Espetáculoso ser...divina...
*Feito por DEUS...obra-prima...
*Genitora e...protetora...
*Guerreira...amparadora...
*Companheira...educadora...
*Alicerce...de nossa vida...
*Pilar...do nosso Ser...
*Como é lindo...e maravilhoso...
*De ti...poder Nascer...
*Ao seu lado...crescer...
*E muito orgulho...sempre ter...
*E a Deus...agradecer...
*Pelo presente lindo..que ele me fez ter...VOCÊ.


                              Ale.D.


Abraço e convido a todos para lerem meus textos(poesias)... muito obrigado pela atenção de todos que admiram meu trabalho.

Abç...
 
23/05/2009 02:48:05 :: MAZÉ CARVALHO


Amor Tem Prazo de Validade?

A alma endureceu;
O riso fez-se pranto;
O coração padeceu;
A paixão desvaneceu;
O desejo arrefeceu;
O amor expirou!

Tinha prazo de validade?
 
22/05/2009 13:10:22 :: LOURDES NEVES CÚRCIO


                  PRECE

Por mais que os meus afazeres
Consumam todo o meu tempo
Haverá sempre    um momento
Para elevar meu olhar
Minha voz, meu pensamento,
Em direção a ti, meu Jesus!
Quero habituar-me
A sempre falar contigo
A ofertar-te a minha vida
As horas alegres e tristes
Meus caminhos, minha cruz!
Somente tu és meu guia
Meu amparo, meu alento,
A mão que me orienta
A estrela que me conduz!
Por isso a ti eu elevo
Todo o meu sentimento
Tu que mesmo lá do alto
Na harmonia e no tormento
No júbilo e no sofrimento
Serás sempre o meu refúgio,
Meu consolo, minha luz!


 
22/05/2009 11:21:02 :: GORETTI ALBUQUERQUE


“Flor da Inocência”

Lá vem o trem
Trás o menino
Que nada tem
Como destino.
Pela janela
Do trem da vida
Sente as seqüelas
Da dura lida.
Menino ainda
Botão em flor
Teu dia finda
Só sentes dor.
Quem nesse mundo
Fez seu roteiro
Errou bem fundo
Nesse atoleiro.
Tão impotente
Vês-te agora
Flor da Inocência
Vida que aflora.
Trás em teu rosto
Marcas da dor
Em tua alma
Só desamor.
Vai pelos cantos
Sem rumo certo
Mundo de prantos
Viver deserto.
Sol radiante
Raio de Luz!
Sou teu instante
Morri na Cruz.
Lá na morada
Velo tuas dores
Anjo alvorada
Menino em cores.
Enxugo as lágrimas
Dos teus olhinhos
Sou Jesus Cristo
Jesus Menino!

Goretti Albuquerque.

 
22/05/2009 11:17:07 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Dizendo o pensamento!!!

Como se não bastasse...
Aqueles olhos insinuando-se
Teu peito exposto e eu... Desejando-te.

Corpo dispara alarme que não devo
Render-me ainda e pede que eu te escreva
Vou ter respostas na folha de um trevo.

Como será saber quem tem sabor
Viva atolada no querer do amor...
Antes ser bitolada, dislexa e compor.

Passou por ti em curva sinuosa
Sorriu ao longe e jogou-te uma rosa
Linda mulher de amargo mel, feiosa.

A esbórnia retrata o fato que rejeita
Ali na esquina sou moça direita
Bem perto ali alguém já me enfeita.

Se o poço é fundo lá está meu mundo
Bem perto estou e a vida me confunde
Minha cabeça em mil pedaços funde-se.

Tal qual um lindo alvorecer indica
Fazendo o bem teus passos aqui ficam
De vez enquanto o resto se complica.

Eu sou o grão germinado do trigo
Também sou joio porque não juntastes comigo
Meus inimigos um dia foram “AMIGOS.”

Goretti Albuquerque.





 
22/05/2009 11:12:20 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Versos Soltos.

Canta a ave
Range a ponte
Girou a chave
Cantou a fonte.
Sobe a serra
Sofre o rio
Clamou a terra
Sentiu o frio.
Canta o bom moço
Vê-se uma Ilha
Zé do caroço
Pegou sua trilha.
Cortam estradas
Padece o mato
Nas invernadas
O boi sem pasto.
Caiu a chuva
Chorou o Céu
Serei a luva
E o seu chapéu.
Tocam os sinos
O gato mia
O sol a pino
Virgem Maria!
Beijos de loucos
Em uma rede
Fotos bem poucas
Estão na parede.
Se ao bom filho
Jesus amou
Sou grão de milho
Deus me plantou.
Sou menina
Sou Mulher
Sou a rima
Sou Bem-Me-Quer!!!

Goretti Albuquerque.
 
21/05/2009 15:02:48 :: LOURDES NEVES CÚRCIO


         UM PRESENTE ESPECIAL

Em meio a meus devaneios
Perdida entre o tudo e o nada
Eu pensei em dar-te a lua,
Imponente, prateada...
Mas não a pude tocar;
Sentindo-me um tanto frustrada
Passei a noite a vagar...

Pensei em dar-te as estrelas,
Mas não as pude alcançar
Adormeci de repente...
Nos braços da noite silente.

Quando o dia amanheceu
Eu pensei em dar-te o sol
Que lá nas alturas brilhava
Tentei com as mãos segurá-lo,
Mas também não consegui,
Pois quanto mais o buscava
Mais ele de mim se esquivava.

Pensei em dar-te o infinito
Envolto em eterna magia,
Mas grande distância havia,
Para tê-lo eu me esforçava
E ele de mim fugia...

Na impossibilidade
De dar-te um desses presentes
Dou-te o meu amor somente,
Quer presente mais bonito?
Tem o encanto da lua
É puro como as estrelas,
Ardente tal qual o sol
E eterno como o infinito!
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.