Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
19/07/2012 04:40:09 :: DANIEL RÊGO DE AGUIAR


Minha onça é braba
E tem garras afiadas
Mas quem conhece
Seu esplendor sabe
Que é delicada
Como uma flor.

Minha curiosidade é saber
Quantas pitas tem essa Onça
Vou começar a contar
Sem medo de a conta me perder
Para toda hora recomeçar
E assim nunca sair
De pertinho de você.

Uma onça me agarrou
Não tive como escapar
Arrancou meu coração
Para nenhuma outra
Sequer cutucar.
 
15/07/2012 09:15:14 :: RICARDO DE BENEDICTIS


O MEU MAIS NOVO LIVRO À VENDA: Título: ESTADOS d'ALMA - 160 páginas RB Editora 2012 - Preço: R$30,00 com porte pago registrado.
QUEM DESEJAR PARTICIPAR DE PUBLICAÇÕES DAS SUAS OBRAS, ESTÃO ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A 12ª ANTOLOGIA ESCRITORES BRASILEIROS, com o sêlo da APOLO - Academia Poçõesse de Letras. Interessados escrevam para Ricardo De Benedictis - E-mail: mrbenedictis@yahoo.com.br - especialmente os poetas e escritores deste site.
 
11/07/2012 18:22:28 :: GORETTI ALBUQUERQUE
Maria Eduarda (neta)

Uma luz vem surgindo da Constelação
De um brilhar tão cândido, trás amor intenso em seu coração..
No ventre ainda, recebe afagos e admiração
Teu sorriso oculto é a mais doce espera de superação.

Maria Eduarda Princesinha amada,
Venha com harmonia trazendo alegria.
Estrelinha da inocência, de encanto e meiguice tão esperada.
Teus pais ansiosos contando os segundos o peito extasia.

Entre tantas formas de ultracenografias
Vimos-te em imagens desfocadas e belas.
Formada estás a caminho de abraços, carinho e magia.
Tens por sobrenome pétala de “Rosa” branquinha e singela.

Mais um mês de espera e você calminha.
Irradia vida, chuta à mãe com graça diz do seu anseio.
Que seus dias sejam como os de uma águia voando em gorjeio,
Mãozinhas socando, pezinhos chutando é o seu bailado linda princesinha.

Venha Cometinha, trazendo alegria e sabedoria.
Está próximo à hora, Deus mandou o Arcanjo guardar teu caminho.
Mostra teu sorriso, chora e faz beicinho pra nossa alegria.
E em uma prece nós te consagramos, querido Anjinho!

Vidinha tão bela e tão desejada!
O Rhaví te espera Príncipe primeiro.
Vão viver no amor em doce alvorada,
Juntos crescerão nos passos de Deus, o Pai verdadeiro.

Homenagem à chegada de Maria Eduarda, da vovó Goretti.





 
10/07/2012 16:50:52 :: GORETTI ALBUQUERQUE
A Bisneta Antonia(homenagem)

Antonia menina, flor que desabrocha,
Antonia a bisneta de “Antonia a Rocha”.
Antonia a linhagem de um fragmento exuberante.
Cristal em brilhante pedaço de vida de “Antonia” o mirante.
Trás luz para nosso alento, pedra de grande valia.
Sendo, pois vertente da “Bisa Guerreira, Dona Valentia”.

Sinto a alegria e o acalanto,
Ao escrever “Antonia” que suave nome!
Sua bisneta Antonia, trazendo tua força e o teu encanto.
Mamãe eu chorei por tanta emoção e por lealdade,
Homenagem Postumans de seu filho Orestes diz da santidade.

Santidade é riso jorrando aos rebentos, disfarçando a dor.
Não há heresia comparar-te assim, Anjo Querubim;
Rocha em Valentia, viver de ousadia com Sabedoria.
Mamãe flor do campo o nosso aconchego o nosso recanto.
Sufocando o pranto deixo-te esses versos em forma de um Canto.

Um perfume raro invadiu-me a mente e meu coração.
Quando uma vidinha, botãozinho ainda fez continuação.
E a bisneta Antonia veio da vertente ditando a canção.
Vem à pequenina com luz matutina arraigada em Glória.
Benvinda Antonia! Remonte os mosaicos da nossa História.

Deus com maestria mostra o bom caminho.
Que a nossa Antonia seja luz ao mundo.
Entoamos hinos ao tocar dos sinos.
Mãe Antonia ora pelos seus meninos,
E a bisneta Antonia trás seus pergaminhos.

Antonia semente do Amor nossa mãe tão querida.
Teu sofrer, teu viver foi o nosso aprender.
Irradias luz lá junto a Jesus.
Pedimos somente que a pequena Antonia
Trilhe teus caminhos; em forças, virtudes e atitudes.

Homenagem da tia avó Goretti Albuquerque.
 
03/07/2012 09:48:10 :: GORETTI ALBUQUERQUE




Um ano se passou Papai.

Saudade com tristeza
Pra os filhos teus deixou.
E às prosas de um Poeta,
Em versos transbordou.

De inteligência rara
Olhar negro e sereno.
Sempre com passos lentos,
Foi grande o ser pequeno.

DEU ASAS AO SEU INTENTO,
Mudou sua história.
Um sábio em seu invento,
Brilhou, deixou memória.

Sua cadeira ainda balança
A doce brisa dos cajueiros trazem tua imagem.
Farfalham suas folhas e dizem da esperança,
De um Senhor que mostrou ao jovem à troca da roupagem.

Esteja em paz com Deus, bom jardineiro.
Que às suas“Rosas” mãe, filha e bisneta    seguem.
De flores lindas floriu seu canteiro
Encontre    paz e na luz do Pai prossegue.

Zeca Muniz daqui por ti oramos
Temos a certeza do dever cumprido.
Diz pra mamãe que nós a debutamos, (15 anos de sua ida ao Pai)
Com alvas vestes e o bailado dorido.

Qual dois Cometas juntos no infinito
Comungam juntos de uma paz eterna.
Nós os teus filhos entoamos em um coral bonito,
Na dor suave de uma paz fraterna.

02/07/2012
Da filha Gorertti Albuquerque
 
02/07/2012 10:02:21 :: ANA PAULA OLIVEIRA DA SILVA
Viva a vida intensamente

Leia sempre bons livros e se gostar: Florbela Clarice


Carpe Diem é uma frase em latim de um poema de Horácio, e é popularmente traduzida para colha o dia ou aproveite o momento. É também utilizado como uma expressão para solicitar que se evite gastar o tempo com coisas inúteis ou como uma justificativa para o prazer imediato, sem medo do futuro.

Boa leitura a todos

Ana Oliveira
(02\07\2012)
 
24/06/2012 00:48:54 :: LEOMÁRIA MENDES SOBRINHO


 
24/06/2012 00:38:07 :: LEOMÁRIA MENDES SOBRINHO


LUZ MÃE NATUREZA

Luz que clareia os meus olhos.
Desbrava as trevas.
Caminho que abre-se em atalhos.
Unindo dois tempos em selvas.

Luz que viaja no tempo.
Alcançando o infinito.
Que vence o obstáculo pelo vento.
Arredio e travesso: - Bendito!

Luz que transforma a alma.
Das cores em tons.
Essência que dá beleza à água.
É timbre aos sons.

Luz que é divina em clareza.
É de extrema grandeza.
E nos doa a riqueza.
Da nossa mãe natureza.

Autora: Leomária Mendes Sobrinho
23/06/2012


 
23/06/2012 22:48:08 :: SERGIO DE SERSANK



DE AVÔ PARA OS NETINHOS

No princípio, apenas Deus,
nada mais, mais nada havia.
Na eternidade do espaço
o tempo não transcorria.
De nada valia o espaço.
De nada o tempo valia.

Deus – o Supremo Senhor
do tempo - todo esse espaço
desde sempre percorria.
Sonhava um novo universo
que outro antes deste, por certo,
pleno de luzes teria.

A vida – esse dom sublime –
por Ele e n’Ele vibrava,
dava ao Nada algum sentido.
Fazia lembrar um quadro
distante das mãos do artista
e ainda descolorido.

Pois que a noite dominava,
até que o bom Deus com arte,
amor e    sabedoria,
fez eclodir de entre as trevas
esplêndido sol, gigante,
ao qual chamou “Luz do dia”.

Surgiu, assim, a matéria,
como a lava incandescente
no interior de um vulcão.
Estrondo intenso deu corda
ao tempo – o relógio eterno.
E o espaço ocupou-se, então.

Novas estrelas e mundos
e, dentre eles, o nosso
recebem a luz da vida.
Pródiga, a natureza
faz da Terra a jóia ímpar
que Deus, o Ourives, lapida.

E sem que saibamos como,
nem para que, nem por que
chegamos e    d’onde viemos,
ao escrever nossa história,
outros pequeninos deuses
orgulhosos nos fizemos.

O belo planeta azul
é o lar-escola que herdamos.
Malgrado sofra os reveses
do homem dominador,
devemos confiar, crianças,
que nos governa o Senhor.

(Da coletânea de Sergio de Sersank)

Visite o blog "Estado de Espírito" -
http://sersank.blogspot.com


 
22/06/2012 12:43:15 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA
A DOR DA PERDA

Num dos quartos do Pronto Atendimento
Adentra a mãe com a filha prematura,
Não desfeito o rigor da noite escura
E o galo nem cantava no momento...

Nenhum repórter dava cobertura:
Era só mais um rotineiro evento...
Logo o médico atesta o passamento
E manda agilizar a sepultura.

Quem visse a mãe naquele instante exato,
Saberia que a dor, no anonimato,
É um monstro de poder escomunal

Que silencia o grito na garganta
E do olhar o estupor mais agiganta,
Como se dela fosse o funeral!   
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.