Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
09/06/2009 11:50:20 :: LUCIENE LIMA PRADO


DIÁRIO ABERTO

O que escrevo é suor,
Não sangue que ferve.
Suor da alma exausta
Que percorre o corpo.

Escrevo o simples esforço,
(Sem a trégua exangue)
Com alma que transpira,
Distante da morte.

Nas linhas, o suor;
Nas mãos, a ausência
Da lembrança tua,
Do primeiro rascunho...

(Luciene Lima Prado)
 
09/06/2009 11:49:22 :: LUCIENE LIMA PRADO


CANTEIRO DE GÉRBERAS

Serão minhas gérberas,
Amarelas, vermelhas,
Rosadas e brancas;
Meus mimos para promessas,
Disfarce das minhas olheiras
E da minha voz quebrada.

Gérberas amarelas, meu sol
Que reflete no canteiro;
Minha ausência sem desculpas.

Gérberas vermelhas, o sangue
Que corre minhas veias invisíveis;
Meu soluço secreto sob os telhados.

Gérberas rosadas, a pintura
Que remove minha incerta palidez;
Meu temor inconstante das frases frias.

Gérberas brancas, minha redenção
Ainda que passageira como a sombra;
Minha presença casual nas palavras alheias.

Serão minhas gérberas,
Meu sol, meu sangue,
Minha pintura e minha redenção;
Confidentes do que omiti,
Meus trajes ao alvorecer
E histórias para eu dormir.

(Luciene Lima Prado)
 
09/06/2009 10:16:43 :: GORETTI ALBUQUERQUE


O Meu Presente Divino.                     

Meu querido és minha vida
Te amo com emoção
Ainda quando mocinha
Acertaste-me o coração
Foi lindo puro e inocente
O nosso amor em canção.

A vida se encarregou
De mudar nossos instantes
A vida de cada um
Tomaram rumos distantes
Mais no coração guardamos
Nosso amor sempre constante.

O tempo passou depressa
Nenhum sinal nos chegava
Cada um com sua luta
Jamais nada esperávamos
Os nossos rastros na estrada
Sempre nos desencontravam.

A saudade do querido
Ficou em meu coração
Foi meu exemplo na vida
Uma eterna inspiração
Um dia ainda te faço
A minha revelação.

É o melhor em sinônimo
Que encontramos pra chamar
Como será esse encontro
Com meu “Gigante Menino”
Nos amamos de uma forma
Que só “Amor de Menino.”

GORETTI ALBUQUERQUE.
 
09/06/2009 09:35:18 :: ADRIANO MIGUEL DA SILVA



Ressaca

Ressaca, tristonha ressaca...
O fígado em disfunção
De tal comemoração
Depois de toda fuzarca

A cabeça bem inchada
Hoje sem mais bebida
É tocar grande ferida
Lembrar de ex-namorada

Adoece de ficar quieto
A glicose escondida
Alivio da barriga
Hora de ficar esperto

Já passou a bebedeira
Põe aqui mais uma dose
Sentimento da overdose
Vamos deixar de besteira

Do uísque a caninha
O que anima velho barreiro
Sempre faz bom companheiro
Cerveja bem geladinha
 
09/06/2009 09:32:58 :: ADRIANO MIGUEL DA SILVA



Professor

Mestre sem valor
Universo de lunático
Ferramenta livro didático
Salvação o professor

História de muita luta
Transformação de aprendiz
Satisfação ao rabisco do giz
O segredo em uma gruta

Alma limpa e pura
Passos de herói
Fortaleza que não se destrói
Prazerosa aventura

Com nobreza se doar
Grande gesto o de ensinar
Irrisória remuneração
Sem ao menos casa própria
A quem diga hora imprópria
Algumas moedas para o pão

Ainda sim com elegância
Necessidade e amor
Eles a serem regados como flor
É cuidar de toda a infância
                                                                             
        
 
09/06/2009 09:29:43 :: ADRIANO MIGUEL DA SILVA



Pernambuco

Grito imortal
A sombra dos coqueirais
Pontes e manguezais
Fenômeno de carnaval

Sitio histórico e as ladeiras
As praias e o teatro
Artistas de fino trato
Caboclinhos e pitombeiras

Juninamente o são João
A noiva da quadrilha
Fogo no céu que brilha
E o perigo do balão

O matuto desengonçado
Estouro do bacamarte
Pernambucano a arte
Para ouvido aguçado

Verão de ano inteiro
Tudo em multicultura
Turismo a aventura
Em terra de bravo guerreiro

Leão do norte
Mestre Salustiano
Ou Suasuna o Ariano
Apologia a toda sorte

 
09/06/2009 09:24:27 :: ADRIANO MIGUEL DA SILVA




Paixão à primeira vista

No meu itinerário cotidiano
Um mágico momento
O teu olhar me fez parar no tempo
Não é nenhum engano

Tua pele teu jeito de falar
Melodia em tua voz
Porque o dia não pode ser mais veloz
Se existe um coração louco por se apaixonar

Explicação não tem
Talvez Flechada a primeira vista
Seria eu o bêbado ou equilibrista
Ou seria você o meu bem

Ao deitar-me procuro uma direção
Teu semblante me faz cair no sono
Esqueço de tudo que se refere ao abandono
Você o encaixe do meu coração

Pétalas de rosa em teus caminhos
Com toda certeza as vermelhas
Aonde a rainha das abelhas
Já mais verá espinhos
 
08/06/2009 22:39:11 :: GORETTI ALBUQUERQUE


O Caramujo Persistente.

Um caramujo perdido
Vive a se lamentar:
De seu viver escondido
Por andar a se arrastar.

Imaginando sua vida
Sua cadeia alimentar
Mais uma enchente sofrida
Tirou-lhe seu próprio lar.

Procurando pedra ou galhos
Onde possa se afirmar
Espera que o orvalho
Faça-o um pouco deslizar.

Coitado do caramujo
Só sente poeira e sol
Desidratado e bem sujo
Trilha em círculo o caracol.

Para rumos obscuros
O vento vai lhe levar
Pede o pobre caramujo
Um lago pra lhe salvar.

Já quase entregando os pontos
Ouviu um barulho intenso
Um aguaceiro imenso
Salvou-lhe como em um sonho.

Claro é imaginação
Mais dela nasce à canção
Nos corações dos poetas
Ideal, sonho e razão.

Goretti Albuquerque.




 
08/06/2009 22:37:54 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Esse é... “Meu FALAR!”

Onde habito
Não há espaços
Para conflitos
Não há vazios
Nem descompassos,
Apenas um amor Infinito.

Meu Planeta é sempre amor sem amargor
Aqui transbordam amor sem cor
Terra do Nunca, não mora a dor.
Almas suaves essência incolor
Corpos dormentes cheirando a flor
Amantes exaustos ao sol se por.

Mente borbulhante
Corpo delirante
Inspiro-me em instantes
Um peito ofegante
Desejo louco e instigante
Tal qual o de um sol escaldante.

Bem sei que posso em meus versos passar
O que de bom existe em meu pensar
Rasgo-me em tiras só pra ti mostrar
Como é possível um Ser Poeta Amar!
Digo o que sinto, não quero chocar
Mais se assim for, “esse é o meu FALAR!”

Morre o Poeta se preciso for
Pra conseguir em seus versos se impor
Escancarado livre do Pudor,
Seu fel é mel vendo o seu manto em cor.
Sua alma é livre, brilho e resplendor
Censuras morrem ao ressurgir do AMOR!

Goretti Albuquerque.




 
08/06/2009 21:29:35 :: GORETTI ALBUQUERQUE



Extraído de mim.

Sou consciente
Bem persistente
Vou sempre em frente
Vivo o presente
Sou luz freqüente
Intermitente.

Saio na rua
Entro na sua
Insana e nua
Alguém me autua.
Olho pra lua
Tão minha e tua.

Sou meu extrato
De fino trato
Sigo com tato
Mais sem recato,
Sou meu recado
Em desacato.

Lá da pobreza
Ganhei riqueza
Trouxe nobreza
Na singeleza
Trago beleza
Junto à franqueza.

Tal passarinho
Faço meu ninho
Devagarzinho
Vou com carinho
Pro meu cantinho
Feito um colinho.

Goretti Albuquerque.
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.