Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
20/08/2009 01:43:19 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Crepúsculo cor da Dor.



O sol hoje surgiu triste e desbotado
Seus raios opacos como a me dizer
Que na lágrima sofrida de um peito enlutado
Morria assim um grande amor, deixando-me a sofrer.

Era um crepúsculo cinza dividindo a imensa dor
No Céu sem cor lua e estrelas enfraqueciam seu fulgor
Na terra os corações entoavam um hino ao amor
Por dois amantes que por circunstâncias vãs encontram o desamor.

A força desse amor celebrará por sempre o misto de um amor imortal
Sentimento sublime e sagrado e por alguém jamais experimentado
Na escuridão da noite agora brilha o encanto desse amor fatal
No Céu de luz, lá estaremos juntos temos um tratado.

Em nossos dias plenos de doce magia vinha a primavera
Duas almas gêmeas revestiam o azul do Céu de cor e resplendor
Bocas coladas corpos abrasados com fúria de uma fera
Dois anjos do Amor sorriam, pois não conheciam a Dor.

O mar bramindo sentiu meu sofrer
Pediu pra onda banhar minha dor
A branca areia soprou em meu ser
E o tom do Céu mudou ao sol se por.

Foi indo embora nosso amor aos poucos em um entardecer
Sem que um de nós dois conhecêssemos as razões
Tal qual a marca de um lindo viver: assim também veio o escurecer.
Guardando as juras de um amor eterno em nossos corações.

Autor(a) Goretti Albuquerque.
 
19/08/2009 17:35:02 :: AjAraujo, o poeta humanista


Peregrino

Sou o deserto,
o próprio espelho do astro-rei
solitário, aqui vivo de miragens
nos mistérios que atraem viajantes...
  
Sou cenário de lutas e derrotas
na minha árida paisagem
segredos se escondem nas areias
onde circulam beduínos e camelos...

Em meu solo se espalham vultos e rastros que desaparecem no instante em que surgem as evoluções da dança mística vento, meu eventual companheiro...

Na imensidão, no silêncio
das minhas noites gélidas,
dos meus dias de calor fatal
nada é tão dialético, belo e triste...
  
Sou como o lobo das estepes
ou mesmo como águia que plaina
no infinito deste azul, dessas montanhas
Trago em mim a própria solidão

Como ecoam ruídos de uma ampulheta
de um espaço-tempo inerte,
brilhos de estrelas a milhares de anos-luz coroam e estendem o manto para meu sono...

Como permanecem em meu leito,
seres que resistem e teimam à sina
de viver no limite extremo da realidade, como peregrino, faço também a minha rota.

Se aqui todas as forças da natureza
vicejam como nunca a sua essência
me sinto um palco das paixões e pulsões
que existem em cada minúsculo ser do universo.

AjAraújo, o poeta humanista, Primavera, 2002.

 
18/08/2009 09:23:34 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Autor(a) Goretti Albuquerque.

Um Brinde às Sonhadoras!!!

Desperta Sonhadora
Cheirando a Pecadora
Olhar de Sedutora
Sensível e Protetora!

Foi mãe, mulher menina
Viveu sua rotina
Sua face se ilumina
Sorri pra sua sina.

Constrói seu próprio mundo
Nasceu “um Ser profundo”
Mulher de brilho largo
Sinto no peito um embargo.

Centelha da aurora
Raio de luz aflora
No simples te enamoras
És tu “Minha Senhora!”

Requebros e malícias
Seduz ao caminhar
Nos lábios trás delícias
Mil sonhos a girar.

São teus esses meus versos
Meus sonhos em reversos
Carinho e amor confessos
“Luzeiros Submersos!”

 
17/08/2009 22:58:26 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Autor(a) Goretti Albuquerque.

Não é assim...

Que a banda toca
Muda o esquema
Rompe as algemas
O Amor é troca.

Faz teu caminho
Diz um Poema
Nega o sistema
Monta teu ninho.

Sofre sorrindo
Abrace forte
De Sul a Norte
Deus vem surgindo.

Não vale a vida
Sem nada escrito
Página em negrito?
Prefiro a lida.

Punho armado
Avante eu vou
Bem sei que sou
Força do achado.

Escolhe um fundo
Pinte um barrado
Olhe o cerrado
Crie o seu mundo.

Na flor singela
Brotam botões
À luz de vela
Dois corações.

Amor é doação
Compreensão
Resignação.
O Amor é um ato de Perdão!

Não é assim???
 
17/08/2009 19:05:24 :: Álvaro Sales


Origem, meio e fim

Nesse ponto do universo
Um país se nomeou pela cor
Origem de garra, desprezo e rancor
Gritou:"Ordem e progresso"

Somado à descoberta,509
O passado ainda é coacervado
Chorando de bem humorado
Tosse, tosse, tosse!

No domínio esta um cefalópode
8 braços a segurar nossas víceras
Você diz não ser artrópode
Porque a nós inocula quelíceras?

Santo com caule colmo
É cipó do tipo chumbo
Drupa indeicente feito touro!
Padre do novo desmundo

No futuro há final
Continua a luta de Lobato
Com sede beberemos Pré-sal
E a maior floresta virará mato

Todos olham pela lenticela
Se figuram com ritidoma
Movimento só da patela
Num forte e induzido coma.
 
17/08/2009 18:55:27 :: AjAraujo, o poeta humanista


Infinito

Vidas, passadas, presentes e futuras,
Dias, semanas, meses, anos, décadas,
Tudo gira no pêndulo deste relógio vital
Seres, estrelas, populações, constelações,

Oh mundo belo e cruel,
Ao lado do mel, o fel,
À frente da nascente, o poente,
Atrás do monte, o horizonte.

Nos dilemas    do contraditório ,
Nos conflitos do necessário,
No pulsar deste    coração libertário,
Nas armadilhas do tempo que se escoa, temerário,

Viver no limite do finito
E contrastar com a amplitude
Das possibilidades do infinito
Ao alcance de uma tomada de atitude,

No Deus jardineiro da sementeira do universo.
De vidas ceifadas na sanha guerreira dos perversos
Nas crianças brotam esperanças de outros tempos
Em gritos que ecoam do deserto aos campos,
do terço ao verso...

AjAraújo, o poeta humanista.
 
17/08/2009 15:41:48 :: HEIDY S K R



ACORDAR DE UM SONHO ACORDADA



Fecho os olhos para acreditar em suas promessas,
Neste instante as palavras soam com ternura,
Seus carinhos são verdadeiras frestas,
Que invadem a inocência tão escura.

Nessa escuridão esqueço das tristezas,
Estou dentro do meu sonho,
Vivendo a sua realidade com clareza,
Não       penso nas incertezas.

Mas depois do fleche       de luz,
Os olhos se abrem calmamente,
E o que vejo na minha frente,
É a duvida de ter me entregado novamente.

Acordar de um sonho acordada,
Já não me resta nada,
A não ser ficar calada,
E aguardar que suas promessas,
Sejam realizadas.

De olhos fechados sou inconsequente,
Sou puro amor carente,
Acreditando sempre,
Que tudo será diferente,
Novamente.
 
17/08/2009 13:20:27 :: sdfsdfsdfsdfsd


ASSIM, NASCE

Não deletem minh'alma
Ouçam o vento suave
Tocando delicadamente a cara das criaturas bestiais
A manada passa e pisoteia as violetas.
Mas o que levita está acima
Como colibris imortais percorrendo corredores de tules.
 
15/08/2009 15:30:58 :: LUCIENE LIMA PRADO
POR FAVOR, LEIAM "PERCEPÇÕES POÉTICAS" DA MINHA AUTORIA. ESTÁ IMPERDÍVEL!
 
15/08/2009 12:40:19 :: NILTON


na madrugada passada
acordei pensando em ti
tive uma sensaçao estranha
que nao soube defini

parecia um vazio imenso
e muita saudade sim
entao fiquei pensando
porque acontece assim

viver distante de uma pessoa
eu nao pude resistir
as lagrimas caiam
no meu rosto


e eu,
nao conseguia impedir
que todo aquele sentimento
se manifesta-se dentro de mim

doia como uma faca no peito
como se quize-se abrir
rasgando meus sentimentos
para nao pensar em ti

mas logo cai na real
e pude definir
que tudo isso
era um sonho

e que jamais
iria existir
viver sonhando com tigo
e tudo que eu posso consegui

poema    Saudade de ti          autor Nilton       15/08/2009             12:13 hs

 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.