Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
20/09/2009 15:51:00 :: ELMIRA NUNES



A MENINA E OS OLHOS


Ainda menina nos conhecemos.
Seus olhos então, admirados, disseram:
- Encontrei você!
E eu levitei hipnotizada
pela força daquele olhar,
misterioso e autoritário.
Os olhos seguiram-me pela vida afora.
E cada olhar se traduzia
numa ação transformadora do meu destino.
Até que, hoje, sou tatuada no seu tempo,
sou a presença involuntária e onisciente
no caos da sua vida,
sou a memória indecifrável da eternidade,
sou a testemunha do fracasso,
sou a frieza da chama em cinzas,
sou o desespero da perda irremediável
de um bem precioso,
sou a menina dos seus olhos,
sou PRISIONEIRA em você.
 
19/09/2009 11:12:41 :: EDSON REIS


   FE,PASSEI SÓ PRA TE DEIXAR UM RECADO,MAS NÃO RESISTI,E ESTOU PARTICIPANDO DESTE BELO SITE,ONDE PUBLIQUEI UMA BOSSANOVA DE MINHA AUTORIA,QUE GOSTARIA QUE VOCE VISSE E COMENTASSE SOBRE.
      TÕ PROCURANDO SEU MURALPRA VER SUA POESIA PRA TAMBEM COMENTAR,OK?
      BJSS!
 
18/09/2009 23:53:48 :: BETTY GROSSE


 
18/09/2009 23:53:14 :: BETTY GROSSE
Vai Vem

à
espera
de
alguém
que
não
vem
...
se
vem
não
tem
vai
vem
se
tem
fica
aquém


 
18/09/2009 22:46:33 :: INOEMA NUNES JAHNKE


Um ótimo final de semana a todos vocês colega e admiradores da poesia!
 
18/09/2009 21:47:58 :: THALYA SANTOS


            ACORDA A CIDADE




Andar descalça...
Na grama molhada
Ver o sol nascer
Na madrugada.

A cidade acorda...
Lenta, lentamente
Vai surgindo gente.
Derrepente...
AS ruas tomadas
Carro,ônibus, caminhão
A multidão.

E mais...
Mais derrepente, tudo é urgente
Tanta gente apressada
Trabalho, escola!
O dia decola...
Até o mendigo
Que pede esmola
Não pode atrazar...
A multidão vai passar.

O assaltante...
Ja fica ligado
Canivete afiado
Espera a oportunidade.
Acorda a cidade.

A muito o sol chegou
No fundo do meu jardim.
Respiro com alegria
O cheiro de jasmim,


Dou conta de mim
Não vou trabalhar
Que tal andar de biciclea
Afinal...
Afinal sou uma poeta.


  
 
18/09/2009 17:48:12 :: ROSANGELA NUNES


Hipérbole!

Próximo estás,
Peralta atmosfera,
Perspectiva, persegue,
Permuta a estratosfera!

Percuciente és,
Partícula perceptível,
Pendor permeável,
Permanente, patente és!

Parte persiste,
Perspira, pertinente,
Personifica, pervagante,
Pertinaz, petulante!

Piegas plasmosfera,
Plangente platonico,
Pleiade prospera,
Presumível prognóstico - O Ar!
 
17/09/2009 23:22:37 :: LIZETE ABRAHÃO


Aos que me leem

Meus amigos são poetas,
assim eu os vejo, estrelas abertas,
pois que lavram a alma dia a dia
e, no arar da vida, plantam a luz
do querer e da harmonia
que só a amizade conduz.
 
17/09/2009 17:45:55 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Mundo feito “Hospício.”

Quando me encontro
Sempre estou perdida
Dentro de outra vida
Fora da rota e do ponto
Desencontrada me encontro.

Sorrindo em meu pranto
Em sonho acordada
Luz da madrugada
Clareando o manto
Escuro de encanto.

Era noite o dia
Luzeiros da alma
Na penumbra calma
Meu querer sentia
Noite sendo dia.

Na relva molhada
Folhas ressequidas
Nasceu morta a vida
No sol de nevada
Clareira apagada.

O final do início
Vem anunciar
Mudo em seu falar.
Diz ser bem propício
Mundo feito “Hospício.”

Eu não sou maluca!!!
Simplesmente usei a Cuca...


Goretti Albuquerque.



12/09/2009 03:28:53 :: GORETTI ALBUQUERQUE
 
17/09/2009 17:43:14 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Chão de Estrelas! Flor Menina!

A perigosa menina
Feito a ave de rapina
Desvirginado as cortinas
Faz seu veneno e fascina.

Vem manhosa a balançar
Deixa o desejo no ar,
Seu sorriso é um sonhar
Trás amor em seu olhar.

Da soleira espia a chuva
Exala o cheiro da flor
Em seus lábios uma uva
Salivando amor em cor.

Não é mole essa menina
Feitiço no olhar permeia
Com a luz de uma candeia
Vai seduzindo em sua “Teia.”

Sem conhecer a malícia
A menina se espreguiça
Num bocejar em delícias
O mundo inteiro enfeitiça


Botei em verso a menina.
Nem sei bem se foi por rima,
Salve a Menina Rapina!
Chão de estrelas! Flor Menina!

Goretti Albuquerque.


12/09/2009 03:28:53 :: GORETTI ALBUQUERQUE
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.