Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
13/10/2009 13:36:33 :: GLÓRIA SALLES


“É tua a decisão...”.

Se não pretende fazer-me de tuas ânsias refém
Não esbanje comigo teus melhores instantes...
Se não tenciona beber o néctar da minha boca
Não tatue meu corpo, com caricias delirantes.

Se não quer abandonar-se nas noites de lascívia.
Nem perder-se na atmosfera do cadenciado desejo,
Então, este olhar extasiado lance em outra direção.
E disfarce o latejar vibrante contado pelo teu beijo

Se planeja romper o sentir que trava as artérias
E guardar teu coração da magia do meu sorriso
Não cace então, teu cais nos vincos do meu corpo.
Ou vai se perder, garanto, na vastidão do paraíso.

E se teu medo apaga de nossa paixão as labaredas...
Vá... E deixa no ventre sereno, repousar as borboletas...

Glória Salles
04 outubro 2009
20h21min
 
12/10/2009 17:53:52 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA


Você é tão linda!
Mas não é só linda,
é um enigma
que ainda não desvendei.

Eu não saberia dizer...

Você é simples e, a um tempo,
contagia.

De uma beleza que não se decifra.

Ah!

Você é uma flor...

Pronto, disse!
 
12/10/2009 17:44:06 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA


Amor?
Amor é a contradição
que mais se identifica:

Eu tentando proteger-me,
Você tentando proteger-se,

E ficarmos, o tempo todo,
desprotegidos!
 
12/10/2009 13:47:17 :: Leonardo Ulhoa


Adorei esta poesia e gostaria de compartilhar com vocês, Grato!!!

Autor(a): LUCIENE LIMA PRADO

A LUA DE HOJE
Hoje e nenhum dia a mais,
Vou querer ver a Lua da minha janela.
Amanhã não. E nem depois. Somente hoje.

Não importa se manhã será um dia perfeito.
Não importa.
Hoje e nenhum outro dia,
Quero ver a Lua da minha janela.

Ainda que tudo seja perfeito amanhã,
Que a Lua esteja mais brilhante,
Não tem importância alguma.
Não esperarei pelo dia seguinte.

Quero que seja hoje,
Apesar de tudo e de quem seja contra.
Hoje, sim, verei a Lua da minha janela.

(Luciene Lima Prado)
 
12/10/2009 11:24:45 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA


Ser como você é?
Mas
Seria você,
Não eu.

O valor da vida
Mora justamente aí,
Na diferença...

Pois,

Com a assimilitude
De erros e acertos,
Aumenta-se a probabilidade
De acertar!

 
12/10/2009 02:43:51 :: DJALMA FILHO


apesar do feriadão, O CESTO está a mil!....
dessa vez com um poeta manauara que já tomou uma bela sopa de feijão comigo!...
(o deja também é chique!)
nem prestei atenção ao poeta, encantei-me com a bata que usava!...
quem divide O CESTO comigo é o poeta Thiago de Mello!...

vão ao CESTO e não dêem feriadões às canetas (ou melhor, aos teclados)
deja

Blog - O Cesto
http://www.ptshot.com/Deja/
 
11/10/2009 00:07:18 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA


Eu sou menino de rua
E, apesar de ser menino,
Ninguém me interpela, não.
Ando livre sob a lua,
Perambulo sem destino:
Sem vergonha, sem razão...

Sou menino da noite
E às vezes também do dia:
Ninguém me interpela, não!
A fome se faz de açoite,
Eu choro de covardia:
Sem vergonha, sem razão...

O meu infortúnio ausculto
E pernoito sempre só.
Ninguém me interpela, não.
Sou menino, mas o adulto
Deu-me apenas este pó
Vergonhoso... (com razão?)   
 
10/10/2009 19:06:03 :: ELMIRA NUNES


As sardas
No rosto branquinho
da menina alegre
as sardas rebrilham,
como estrelas marrons,
num rosto de nuvem.
E a luz das estrelinhas
atrai tantos olhares
e tantos sorrisos,
que a deixam vaidosa
caprichosa e feliz.

 
10/10/2009 14:18:13 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Quero mudar o mundo!!!

Anseio estar desperta
Mudar a vida incerta
Quero a cabeça esperta
Deixar o meu Alerta.

Mas tenho Febre...
De consertar o mundo
Sei, tenho que ser breve
O poço está profundo.

Plantar boa semente
De Amor e de Perdão.
Assisto a Humanidade
Chorar sem solução.

Mais sinto dores...
Ao ver tanto abandono
Crianças vivem horrores
Tal qual um “Cão Sem Dono.”

Quero invadir as ruas
Gritar aos quatro ventos
Temos barrigas Nuas
Danos e sofrimentos.

Mais choro agora...
Porque não foi possível
Fazer a nova aurora
De um bebê sensível.

Dentre em meu Ser consigo
Com sonhos idealistas
Crianças tendo abrigos
Idosos otimistas.

Mais oro a Deus...
Que tenha piedade
De todos os filhos seus
Que clamam sua “Bondade.”

Agora com febre de repulsa, e esse mundo ainda me Expulsa...
Nessa noite, a dor vem como
Açoites...
E o pulso... Ainda pulsa.

Goretti Albuquerque.


 
10/10/2009 14:10:30 :: GORETTI ALBUQUERQUE


E Gritei por seu nome!!!

Por um longo tempo eu...
Procurei esquecer
Por de lado o sofrer
Esse ardor em meu peito
O teu cheiro em meu leito
Mas, não consegui.

Chamei-te...
Eu queria ser tua
Feito o sol e a lua
Te amar no infinito
Meu amor mais bonito
Mas, não consegui.

E cantei...
Meu amor em poema
Me transpus fui ao Céu
E Gritei por seu nome!!!


Na barreira de um véu
Tua imagem surgia
Feito sonho e magia
Mas, não consegui.

Eu não consegui...
Te falar que era frio
Meu outono    vazio;
Do calor do meu corpo
De um olhar quase morto
E gritei por seu nome!


Goretti Albuquerque.
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.