Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
16/10/2009 11:05:58 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA


Para enganar,
há que premeditar.
O amor não o sabe,
porque espontâneo.
 
15/10/2009 08:58:29 :: GORETTI ALBUQUERQUE


Rouxinol do meu canto!

Estive...
Em constante ânsia louca
Às vezes em lucidez tão pouca
No calor de tua boca
Eu morri gota a gota.

Passei...
Por estradas tão duras
Caminhando as escuras
Rompi frestas obscuras
Eu por ti fiz loucuras.

Vivemos...
Um amor flutuante
Pelo Céu dos amantes
Por galáxias distantes
Eu te amei... “Navegante!”

Estamos...
Em um longo recesso
Desse amor em excesso
Vive hoje um processo
Esse amor réu confesso.

Mas...
É preciso que aprendas
Que ao passar pelas fendas
Vendo a luz me entendas
Que no amor há contendas.

Meu Amor...
Porque choras tanto?
Seca agora o teu pranto
Sou tua vida o teu manto
Rouxinol do meu canto!

Goretti Albuquerque.
 
14/10/2009 16:40:25 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA


SER PROFESSOR

Ser professor é ser um lavrador
Que comporta a missão alvissareira
De cultivar a mente como flor
E prepará-la para a vida inteira!

É dar ao mundo, com desvelo e amor,
Mais uma alma pura e verdadeira,
Moldada nos augúrios do valor
Pra desejar vencer, ser a primeira!

E que essa alma, no ruflar dos sonhos,
Só busque o bem e os trilhos mais risonhos
De um nobre vicejar do pensamento...

Não olvide, porém, dessa lição
E renda ao mestre, com dedicação,
O merecido reconhecimento!   
 
14/10/2009 16:36:00 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA


Quando sua mãe diz não,
ela apenas quer dizer:
"Meu filho, você está certo
do que quer?"

E se você lhe disser,
Disser bem assim:
"Eu amo essa mulher!",
sua mãe o abençoará
por fim.
 
14/10/2009 01:43:17 :: Clevgospel


JUCA VIDA BANDIDA:
(ELE É UM ALERTA GERAL DE DEUS PARA TODA A HUMANIDADE!!!...ABORDANDO ASSUNTOS COMO:
DROGAS,MÁFIA,CORRUPÇÃO,INJUSTIÇA SOCIAL,PROSTITUIÇÃO,BRUXARIAS,ETC...DANDO A SOLUÇÃO
PARA TODOS OS PROBLEMAS)...O SEU CENÁRIO ACONTECE TODO NA BAHIA...NO BAIRRO DE SÃO
CAETANO...E PRICIPALMENTE NOS LUGARES TURÍSTICOS...COMO NO HUMAITÁ,MERCADO MODELO,
PELOURINHO,LADEIRA DA MONTANHA,MACIEL,FAROL DA BARRA,PITUBA,ITAPOÂ,LAGÔA DO ABAETÉ,
AREMBEPE...ETC...(COM PARTICIPAÇÃO ESPECIAL DO POLICIAL BARBOSINHA,DO TRAFICANTE GURUBEL,
DA QUADRILHA BEBÊ À BORDO,DE BOB MARLEY,RAUL SEIXAS...DO PASTOR SILAS MALAFAIA,E DA
CANTORA CASSIANE) JUCA VIDA BANDIDA É PURA ADRENALINA!!!...CONFIRA!!!

JUCA VIDA BANDIDA É A ESTÓRIA DE UM ADOLESCENTE QUE ESTUDA NA ESCOLA DE ENGENHARIA ELETRO-MECÂNICA EM NAZARÉ,PRÓXIMO A ACADEMIA BAHIANA DE LETRAS... SALVADOR-BA... ELE É UM JOVEM BEM EDUCADO...DE BÔA FAMÍLIA...E POR UM GRANDE PROBLEMA QUE O AFLIGE...ELE SE ENVOLVE COM DROGAS...E DEPOIS POR AMOR A LILICA...A SUA NAMORADA...QUE NUM ASSALTO À CARRO FORTE...SOFRE UM TERRÍVEL ACIDENTE...E VAI PARAR NA “U.T.I”;;;ENTÃO ELE APAIXONADO TENTA DE TUDO PRA CONSEGUIR UM DINHEIRO PARA PAGAR UM BOM TRATAMENTO MÉDICO...NUM SOCORRO À SUA AMADA. ELE TENTA LEVANTAR UMA GRANDE GINCANA EM CAMPANHA EM BENEFÍCIO À LILICA...PROJETANDO UMA BATALHA DE VÁRIOS PATROCÍNIOS...ELE JUNTAMENTE COM SUA TURMA...INCLUÍNDO MENORES INFRATORES DA QUADRILHA “BEBÊ À BORDO”... ELES LUTAM NUMA LINDA SOLIDARIEDADE...COMPARTILHANDO COM MUITO AMOR...FAZENDO DAS TRIPAS CORAÇÔES...PELA VIDA DELA...E EM MEIO À MUITA DIFICULDADE...ENTÃO JUCA SE REVOLTA...E PARTE PARA UM ASSALTO À BANCO...SENDO PEGO EM FLAGRANTE...VAI PARAR NA PRISÃO...E SOFRE BASTANTE...E SENDO PERSEGUIDO POR MUITAS BRUXARIAS...POR DUAS BRUXAS MAUVADAS...SENDO MÃE E FILHA...VERA E DONA MADALENA...QUE POR INVEJA DE DONA HELENA....SUA MÃE...MÁS NÃO PODENDO NADA CONTRA ELA...POR ELA SER UMA CRISTÃ FIEL E TEMENTE À DEUS...E DEUS TER UM ZELO MUITO GRANDE POR ELA...PROTEGENDO DE UMA FORMA PODEROSA...ENTÃO AS BRUXAS NÃO PODENDO NADA CONTRA DONA HELENA... ATACAM O FILHO...MÁS DEUS É FIEL...E PERMITE QUE JUCA PASSE PELA SOMBRA DA MORTE...PARA NO FUTURO...ELE GLORIFICAR-LO EM ESPÍRITO E EM VERDADE...TAMBÉM AJUDANDO À MILHÕES E MILHÕES DE VIDAS À SER FELIZ...A ESTÓRIA É MUITO LINDA COM UM FINAL FELIZ DE UM AMOR TÃO LINDO...TÃO BONITO...TÃO MARAVILHOSO!!!...NO AMOR ÁGAPE DE CRISTO!...DEUS É FIEL!!!
CONFIRA...E VEJA O FINAL QUE DEUS TEM PARA JUCA!!!...DEUS É FIEL!!! “
QUE DEUS CONTINUE TE ABENÇOANDO PODEROSAMENTE!!!...FICA NA PAZ!!!
FICA COM DEUS!!!...TAMBÉM COM ESSE LINDO ROMANCE!!!...

ACESSE O LIVRO: JUCA VIDA BANDIDA NO GOOGLE...E DESFRUTE DAS MARAVILHAS!











CAPÍTULO I



1º    De setembro de 1990

Quarta-feira.



A mãe e a irmã de Juca, num certo, bate papo:

- Minha filha? Eu fui pro culto:.. eu fui pro culto hoje e foi uma maravilha!... Deus se manifestou lá poderosamente com o seu poder e batizou à muitos com o seu Espírito Santo... derramou do seu milagre e curou à muitos... foi um grande rebuliço com os mistérios das danças do Espírito, com bailados e corta-laços, profecias... muita gente foi revelada... e eu também fui revelada minha filha!...Mas logo eu fiquei surpresa e abatida com o que vi, e até agora estou muito triste. Foi uma revelação muito feia com o seu irmão Juca... Tina!...

- Oh, mãe!... me conta a revelação... como é que foi?...O que foi que Deus te revelou?...



(Apreensiva)

- Olha Tina, Deus me revelou o seu irmão Juca numa visão, e nessa visão, eu via ele subindo num morro com uma turma de vagabundos maltrapilhos e tinha uma outra turma entocada atrás de uma pequena casa, tipo um barraco, lá nesse morro, e eles estavam fumando maconha e alguns cheirando um troço lá, sei lá!?...acho    que chegou uma viatura da policia com os seus policiais equipados com escopetas e com metralhadoras, rendendo a todos e foi uma confusão que só Deus me socorre!... foi uma grande confusão dos pecados. Logo depois todos foram liberados e Juca voltava com sua turma descendo do morro e ele tava todo assustado, aí minha filha!..., você não sabe como eu chorei!... eu chorei muito Tina!...filha eu estou muito preocupada com ele, na nossa família ninguém nunca deu pra essas coisas, Tina, mas logo Juca?..., olha minha filha eu estou muito aflita e também com muito ódio dele, eu sou uma boa mãe, tudo que eu sempre quis e quero é ver a felicidade dele, a sua felicidade, a de vocês todos!..., você não sabe como eu lutei!? Ah! Eu lutei tanto pra dar o melhor pra vocês, eu e seu pai! Nós fizemos das tripas corações graças as mãos de Deus, nós lutamos pra dar o melhor conforto, bons estudos e bom status, com muito amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
, carinho e dedicação, e    Juca vem me dar esse desgosto Tina!?... - Calma mãe! Juca é um bom menino mãe!, ele é inteligente e educado, e o que Deus te revelou foi ele subindo no morro com vagabundos, mas nós não temos certeza de que ele estar envolvido com drogas!...Deus não te confirmou sobre isso portanto se acalme, e quando ele chegar,    agente conversa com ele; pra saber o que realmente estar havendo, se ele estar ou não envolvido com drogas. Ele é o meu irmão e também é o seu filho, e vai ver que a visão possa ser outra coisa, mas se for o que a senhora estar pensando?, precisamos ajudá-lo? Mãe! As drogas estão por aí alastradas em todas as classes sociais, desde os bairros periféricos até a mais alta sociedade, bem no meio da burguesia!... as drogas não se escolhem caras...elas têm contaminado a muitos com a terrível lepra do século, nessa atual sociedade, atingindo meninos de ruas, marginais, estudantes, professores, artistas, advogados etc., embora muitos estão por aí enrustidos, passando despercebido, e ás vezes agente se defronta com muitas pessoas simpáticas, que gostamos muito e quando menos se espera essa pessoa é um maconheiro ou uma maconheira, ou toxicômanos viciados em outras drogas, como o crack e a cocaína, LSD, heroína e por aí lá vai Maria Fumaça...surpreendendo-nos de súbito nos deixando    à questionar.    Lá na universidade eu conheço muitos assim, e Juca também pode ter sido contaminado com as más influências sociais.

As más conversações corrompem os bons costumes e o homem às vezes é influenciado pelo meio em que vive, pois todo o meio é influente. E se Juca se corrompeu? Isso não é o fim de tudo, precisamos ajudá-lo, eu    conheço muitas pessoas que já se recuperaram em centro de recuperações evangélicos...e lá mesmo na igreja    tem Nivaldo e tem Júlio que eram viciados á muitos anos , mas Jesus Cristo libertou-os lá no Centro de Recuperação Desafio Jovem de Feira de Santana, e eu já ouvi falar de vários centros de recuperações... tem o Peniel    de Dias D´ávila...tem outro lá em Arembepe, tem na Boca do Rio, tem em Valença, e em outros diversos lugares...mas só serve nos centros de recuperações evangélicos que o nosso Deus se faz presente e opera os seus milagres e as suas maravilhas, e se Juca estiver realmente envolvido com drogas, nós conversaremos com ele, e se ele quiser se recuperar, mas de livre e espontânea vontade, é claro e evidente, porquê não é nem por força e nem por violência tem que ser de coração e de livre arbítrio...e se ele quiser aí agente arruma uma vaga pra ele, e a vitória será nossa porque o inimigo, ele é derrotado, e esses vícios malditos, provem dele.

- É Tina!, você tem razão...mas seu pai!?.., você sabe que ele é muito radical com esse assunto de drogas, e ele sempre dizia e de vez em quando ainda diz que se um filho desse ou der pra ruim...que ele matava ou que ele mata...vamos abafar esse caso por um tempo de seu pai, pra não complicar as coisas até que tudo venha estar numa situação mais tranqüila e amenizada á depender da força de vontade de Juca, caso contrario!?.., eu não sei o que fazer filha..., eu estou sofrendo muito Tina!...

(Elas se abraçam solidárias).

- Calma mãe! Vamos orar e crer de coração e pensar positivo, que tudo vai dar certo, o nosso Deus, é um Deus de vitória, que quando promete!?, ele cumpre! E ele já nos prometeu que tudo aquilo que pedimos á ele crendo... (de coração?) ele nos dará!...desde quando seja para honra e gloria do teu Santo nome.

- É! Tina, vamos esperar no senhor!

Dona Helena após esse bate-papo com a sua filha fica um pouco consolada.    já são sete horas da noite, a hora em que seu Érico costuma chegar do trabalho, e    Juca da rua pra tomar banho, jantar e ir pra escola. Dona Helena faz o café e esquenta a janta enquanto Tina se apronta pra faculdade.

Tina tem vinte e cinco anos e é uma moça bastante dedicada aos estudos, e estar cursando o segundo ano de medicina, ela também é uma jovem cristã e muito temente a Deus.

Juca é um jovem que tem vinte anos e estar cursando Engenharia Eletro-Mecânica e não se firmou no Evangelho, assim como Érico que também não se entronizou. Dona Helena e Tina, logo após seus afazeres, sentam no sofá pra assistir um programa na “T.V”, quando de repente chega seu Érico cansado da luta acionando a Campânia:

TRIN DON! TRIN DON!

- Oi meu bem!

- Oi amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
!, você ta bem querida?

- Tou Érico!

- Oi pai!

- Oi minha filha!...Juca já chegou gente?

- Já deve estar vindo aí bem!

- Eu comprei uma calça e uma camisa bacana pra ele, e uma maquina fotográfica das boas pra você minha filha!

- Oba! Que legal! É bonita!, jóia! Gostei! obrigada meu pai, você é uma benção!...eu estou muito alegre com esse presente...eu estava mesmo precisando de uma maquina pra tirar as minhas fotografias em lugares turísticos e ecológicos, e também lá na escola com os colegas principalmente nas festividades do resultado final logo após nossa vitória pra lembranças e boas recordações.

(Toca a campanha).

TRIN DON – TRIN DON

- Juca é você? Pai comprou uma camisa bonita de marca e uma calça chocante pra você!

- Que legal! Valeu pai.

- Não foi nada meu filho, você merece.

- Obrigado pai, dei valor se der em mim, eu já vou pra escola com essa calça hoje mesmo, e a camisa eu visto amanhã; olha pai eu já paguei a conta da água, do telefone e da luz que você me pediu e também concertei a instalação do farol do carro, e já troquei o óleo que o senhor também pediu.

- Certo Juca, você é jóia filho! Se adiante agora se não você vai chegar atrasado na escola, eu tou torcendo pra ver você já formado, eu quero ver você um engenheiro eletro-mecânico de primeira, e eu me sinto orgulhoso, esse é um sonho de todo o pai que gosta do filho, o    sonho de vê-lo feliz, de vê-lo realizado, e a minha Tina daqui um dia já é uma doutora, uma médica clínica, e eu fico muito feliz disso quem me dera! Um dia desses eu vi vocês bebês, eu carreguei-os no colo e dei de mamar aos dois.

- Pai!? O que é isso pai? O senhor nos deu de mamar? Que conversa estranha é essa?

(Gozação)

- Juca meu filho, pare com essa gozação, o que eu dei de mamar era mingau de mamadeira!

(Juca sorrir)

- Eu ainda me lembro quando vocês estavam aprendendo a andar, eu e a sua mãe ficávamos caducando com vocês agente dizia – dandar Juquinha! Denguinho de papai e denguinho de mamãe! Dandar Tininha! Denguinho de papai e denguinho de mamãe! Vocês ficavam tão empolgados levantavam e caiam até que aprenderam a andar cresceram e hoje estão aí, sendo os orgulhos da mamãe    orgulhos do papai, isso é motivo de felicidade, e por isso eu sou um pai feliz e a sua mãe também é muito feliz.

-Seu Érico abre o coração se expressando com euforia a sua grande alegria, prestigiando os filhos que tem...mas logo uma indiferença tira o brilho e o colorido desse ambiente festivo, é que dona Helena se lembra da visão que teve com Juca, lá no morro do águia, e até meio e sem jeito pra concordar com o que Érico fala. Juca também se embalança perturbando-se, Tina fica sem sal, assim meia sem jeito, e Érico percebe algo de estranho entre os semblantes de todos, mas dúvida e pensa que é só uma impressão e conclui falando assim:

- Gente, como o tempo passa rápido, passou tão rápido como um vôo de foguete como um estrondo de um trovão, e como, um raio lá do céu... num instante vocês cresceram.

Dona Helena olha para    Juca muito séria, demonstrando a sua preocupação e insatisfação, e ele sente o impacto e fica meio ressentido num ressentimento de quem deve alguma coisa, mas ele se desfaça meio sem jeito, e desconfiado de que estar acontecendo algo errado, mas

- O que será que estar acontecendo!?...

-E a sua cabeça martela introspectativamente, numa natural preocupação, mas ele não fala nada por enquanto, preferindo ficar calado e se reserva nesse silencio bastante curioso e apreensivo e logo em seguida, ele toma um banho, se arruma, janta e vai pra escola, e no outro dia de manhã quinta-feira, dois de setembro, a sua mãe e Tina chamam ele no eixo, aproveitando que seu Érico já estar no trabalho.




CAPITULO II



- Juca meu filho!? Eu estou precisando ter uma conversa muito séria com você.

- Sobre o que é mãe?

- Filho!..., eu e Tina estamos muitíssimas preocupadas com você e estamos muito insatisfeitas! Eu tive uma revelação lá na igreja mesmo assim com você!...

- Dona Helena conta a revelação e Juca fica espantado porque tudo como dona Helena contou, foi do mesmo jeito que lhe aconteceu e ele viu que não tinha pra onde correr e contou-lhe toda a verdade, bastante atemorizado:

- Mãe!? É verdade mãe, eu estou envolvido com drogas sim.

-Juca contou isso chorando angustiado e envergonhado por saber os pais que tem e que não merecem essa horrível e decepcionante noticia.

Também choram dona Helena e Tina angustiadas, surpresas e abatidas com o impacto da noticia confirmada, e em seguida dona Madalena se desabafa em prantos falando e exortando a Juca:

- Meu filho!..., eu sempre procurei o melhor pra você! Eu tanto sofri por você e seu pai também meu filho! E agora recebo essa noticia bomba? Essa noticia de desgosto! Você quer matar a sua mãe meu filho?

- Eu sei mãe um pouco do quanto a senhora já sofreu por mim mãe, e só esse pouco que eu sei, foi muito sofrimento e seu estou sofrendo muito com toda essa situação porquê eu gosto muito de vocês, o meu coração estar rasgado! Eu estou me sentindo um lixo! Lá em baixo, no fundo do pouço e estou muito envergonhado com tudo isso, mas foram muitos problemas    que me afligiram e que me levaram á essa alternativa, e eu até relutei comigo mesmo pra não entrar nessa vida marginal das drogas, e quando eu parava pra meditar, e via o grande amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
de vocês para comigo, eu ficava ressentido e em crise de consciência, sentido que vocês não mereciam isso de mim mas infelizmente o meu sofrimento pesava fortemente sufocando uma opressão como quem estar mergulhando a morte, sem ter ninguém pra socorrer...que sofrimento terrível me deixando muito abatido, e deprimido...muito...e eu só pensava em suicídio, tudo isso por causa desses conflitos estranhos dentro de mim e por causa também de uma grande timidez, talvez proveniente desses mesmos conflitos, timidez essa que me atrapalhava e ainda me atrapalha muito de eu namorar com alguém mãe!

Tina!?...eu já me apaixonei por tantas garotas, mas quase nunca tive a coragem de chegar à elas pra paquerar e assumir um namoro firme, e se bem que eu até tentei algumas vezes, depois de muito ensaios algumas palavras de galanteios, mas na hora “H” em que eu chegava no lance?, aí me batia um branco na mente e me dava aquela tremedeira que só Deus sabe! Faltando-me as palavras pra falar... e muitas meninas até já me demonstraram gostar de mim, e me acenaram com os seus flertes nos olhares, sorridentes pra mim, numa cobiça de quem estar mesmo afim e eu correspondi com o meu sorriso, e o meu coração pulou bem forte, a emoção explodiu no peito, soltou a adrenalina, mas me faltou a palavra pra me relacionar num bom assunto. Eu até quis fazer teatro pra tentar me libertar dessa timidez, mas a timidez foi demais que não deu nem pra eu tentar fazer teatro!, então pensei em me matar e aí pensei comigo mesmo: já que estou nesse terror a ponto de eu querer me matar! então antes que eu tire a minha própria vida, aliás eu até cheguei a comprar um revolver! E como eu ia dizendo; antes que eu tire a minha própria vida ainda vou apelar pela sorte, ou arriscando tudo? Ou nada! Aí eu disse: eu agora vou me alombrar com as drogas, já que eu estou mesmo no fundo do poço atolado nessa lama sem ter como sair, eu vou me alombrar, pra ver se nessa lombra, eu possa quem sabe, me transformar numa outra pessoa    e ficar cheio de álibe, ou seja, cheio de diálogo, com desembaraço e com desinibição pra eu conversar pra valer e ficar cheio de mulheres, nem que seja prostitutas. Isto porque eu estava revoltado comigo, e com muito ódio de ter sofrido muitas discriminações grupais das turmas ao qual eu me infiltrava, tentando ser um pouco social. Mas a maldita timidez não deixava e eu ainda relutei comigo mesmo, entre a cruz e o punhal, entre o meu sofrimento e certamente o de vocês de vim a saber que tem um filho e ou irmão drogado mas eu estava nas últimas, então como das últimas alternativas, entre a morte ou as drogas resolvi apelar pelas drogas como a única tentativa paliativa numa válvula de escape, ou mecanismo de defesa, pra amenizar meus    problemas, ou quem sabe, até me livrar deles.

Juca expressa as suas dores em seguida chora sem parar dizendo:

- Mãe! Me ajude mãe! Tudo o que eu quero é ser feliz! Tina! Ma ajude irmã.

Mãe e filho se abraçam chorando e se desabafando das dores.

Enquanto dona Helena chora abraçada com Juca, Tina também chora sentindo desejos de abraçá-lo. É o amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
, a solidariedade, e a compreensão que envolve-os mutuamente, num amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
ágape de Cristo, num amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
fraternal e num amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
maternal. Em seguida, Tina bastante comovida dar um conselho a Juca.

- Juca! Eu conheço pessoas que se envolveram com drogas e depois foram libertas em centro de recuperações evangélicos. E se você quiser, eu arrumo uma vaga pra você meu irmão, você ta precisando!... você quer?

- Tina eu vou pensar nesse assunto, eu tenho tantas coisas pra fazer e também tenho os estudos e não quero me atrasar.

- Mas Juca! Pra quem tava pensando em se matar, essas desculpas são esfarrapadas...com essas também de estudos? São puras hipocrisias, isso são desculpas esfarrapadas!

- Estar bem minha irmã! Me perdôe! Você tem razão, é que eu acho difícil pra mim estar longe de vocês por muito tempo e também distante dos meus amigos que eu gosto.

(Dona Helena) – Mas meu filho? Nós vamos lá sempre te visitar.

(Tina) – Olha Juca, lá você pode receber visitas da família sempre. Lá tem o tempo certo pra isso, e você pode nos telefonar, agente vai ficar com muitas saudades de você, mas a sua felicidade é muito importante, e quando você tiver feliz...nós todos também ficaremos felizes e eu tenho certeza que você vai ser liberto, e conseqüentemente feliz.. - Juca meu filho!?... Tina tem razão, você precisa dar uma chance pra si próprio, e quando você voltar, nós todos estaremos de braços abertos pra você, e também ajudaremos em que pudermos. Eu quero ver você feliz! Com estrutura emocional e com mais maturidade pra enfrentar a vida como ela é, e arrumar uma bela esposa que possa te completar que nem feijão e arroz, e que venha ser a sua costela esquerda pra te ajudar e pra te amar, num amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
puro e verdadeiro. E quanto a seu pai!?...por enquanto ficaremos em segredo, e quando você for, isto é se você quiser ir, é claro, aí contaremos pra ele, e pode ficar tranqüilo que vai dar tudo certo.

- Mãe, hoje é sexta feira, e daqui pra segunda eu te dou a resposta.

- Ta certo meu filho, eu vou esperar e se você quiser vamos a igreja domingo?

- Não mãe!... eu não tou com vontade não, e tenho vergonha, e ainda mais do jeito que tou oprimido, eu fico me sentindo todo estranho! E a depressão fica mais forte, não sei porque, mas quando estou no meio de muita gente, com a depressão a me perturbar, eu fico com um sentimento estranho, e cheio de desconfiança , achando que todo mundo ta me observando, mas acho que isso é decorrente dos problemas que sofro, misturado com a timidez.

(Tina) – Você vai ficar bom Juca!

(Dona Helena)    - Pense direito meu filho! Eu agora vou preparar o almoço, daqui a pouco é meio dia. Vocês querem talharim ou macarrão?

(Juca) – Eu quero macarrão.

- Eu também mãe.

- Enquanto dona Helena prepara o almoço, Tina, toma banho e Juca assiste TV, mas ele não consegue se concentrar direito no programa, preocupado com a idéia de ir pro centro de recuperação.

A sua mãe logo chama da cozinha.

- Juca!?..., Tina!?... o almoço estar pronto! Venham!...,

Após a refeição, Juca descansa e em seguida ele pega a bola e a rede de vôlei e vai para a rua tentar reanimar com uma higiene mental, pra ver se desabafa dos problemas e dos conflitos que lhe oprimem.




CAPITULO III



Juca faz uma caminhada de meia hora, até uma quadra de esporte na fazenda grande, que fica próximo ao bairro que mora, e quando a turma ver ele chegando faz a maior festa, por ver a bola e a rede na sua mão.

(Tuca) – Oi Juca!

- Diga aí rapaziada!, vamos bater um vôlei?

(Cesa) – Legal!

(Juca) – Zé e Carlinhos, armem a rede, tome ...que eu e o restante vamos marcar o chão.

(Zé) – Ta certo meu irmão, você não pede não, você manda!

(Juca) – Que é isso !? (lisonjeado).

Juca e sua turma já estão na quadra disputando entre si,    num agito de jovem desportista correndo pra lá e pra cá,

dando saques...mergulhando, batendo e rebatendo em bates e rebates, com armadas diagonais, tem até jornadas na estrelas e saques intergalácticos – via lácteas...cometa Halley... saque lunático...    entre animo e emoções, sangue quente nas veias com muito    suor    nos corpos...sob o bronze do sol.

Após a partida, Dico e Cesa chama Juca pra fumar uma coisa, ou seja, um cigarro de maconha:

(Dico) – Juca! Vamos botar unzinho? É cabeça de nego brodther, sinta só o drama dos camarões, olha essas berlotas são umas berlotinhas daquelas...dar pra ficar doidão, agente dar umas bolas na boa e depois vamos paquerar as meninas, daquela escola da Ribeira, lá tem cada brotinho massa, de alegrar o coração, cada broto o ouro! Nós botamos colírio nos olhos pra tirar de tempo, e depois tomamos um refri e em seguida mascamos uns chicletes ou então chupamos uns Hallis de cereja, de menta ou de limão, pra tirar o bafo da maconha, vamos lá Juca?..., a área deve ta a maior limpeza!...

(Cesa) – É Juca!.., Dico ta em cima com a boa, vamos lá! Possa crê maninho!, vamos nessa!?..

- Olha Cesa!?..., olha Dico!? Eu estou muito confuso, e tou querendo dar um tempo pra refletir melhor, estou cheio de problemas, e além do mais já sujou forte lá em casa...a minha mãe e minha irmã já estão sabendo de tudo, elas já sabem que eu estou envolvido com drogas e estão sofrendo muito com isso, mas ainda bem que meu pai não sabe, e se ele souber eu estou arrasado. Estou até pensando em ir pra um centro de recuperação, pra me libertar das drogas e mudar de vida.

(Dico) – Qual é a sua Juca? Que papo careta é esse? Pôxa!?..., eu estava pensando que você fosse mais

cabeça, qual é? Ta marcando bandeira meu irmão? Você com essa estória lá na galera do mau, já tinha tomado uns bolos, e ainda virado a maior comédia. Se plante Juca! Qual é?...

- Dico, eu sou livre pra fazer o que quero, se eu quiser fumar, eu fumo...se eu não quiser, eu não fumo, a decisão é minha, eu tenho o meu livre arbítrio contra lei!? É claro!

- Ta certo também!...É Dico!? Juca tem razão, o homem é livre pra escolher o seu próprio destino, até mesmo de ir pro inferno e ninguém pode impedir... nem a lei!...porque os escuros de muitos caminhos cega ela disso, e porque também a lei dos homens não é nenhum Deus.

- Você tem razão Cesa!, me perdôe Juca! Eu fui um pouco exaltado e extrapolei os limites, é que eu me deixei levar pelo costume da malandragem da pesada, mas a nossa cultura é outra, é!, as vezes eu me deixo levar pelas influências negativas dos malucos...por orgulho “dente por dente”, e “olho por olho”. Tipo estar manso e maneiro, mas realmente sendo selvagem. São os efeitos da maconha que já vem mudando nosso comportamento gradativamente à cada dia, mas já por quatro anos consecutivos    no uso, em meio a uma influência paralela entre os estudantes e entre os marginais, eu atrair os reflexos, absorvendo seus fluidos negativos quase e sem querer, imperceptivelmente, e as vezes me embalança um ar de impiedade em mim, numa maliciosa maldade, bem nas manhas, ou na maré mansa, como se tudo fosse natural!, a minha cabeça agora diverge entre a nossa estrutura familiar e de uma cultura escolar, com as regras impostas na sociedade marginal...de um certo modo, isso pra mim ta legal, porque eu sei como entrar nas bocadas em qualquer boca pesada...qualquer boca quente por aí, e me sair numa boa, sendo considerado por quase todos como um malandro que se planta, e também sei como me relacionar com os meu colegas da escola e de outras áreas, apesar das minhas falhas algumas vezes, mas eu só não consigo ficar de cara, que eu fico todo terapêutico, num vazio tremendo, como um verdadeiro João ninguém, eu tenho sempre que fumar pra fazer a cabeça e ficar legal. Sem    maconha eu sou careta e quase que nem consigo sorrir pra ninguém, as vezes fico até enfezado, até um pouco bruto, agressivo mesmo, sem estorinha de CAÔ, nem conversa pra boi dormir, o negocio é sério, mas sério mesmo!, isso é porque eu sou muito viciado. Vocês já viram um gorila faminto olhando para um cacho de bananas sem poder pegá-lo?, ele fica irritado assim sou eu quando fico uns dias de cara, e por isso, eu também, digo de passagem, eu sou muito mais que um viciado...eu sou totalmente dependente da erva, e aí já viu como é que é...Juca... se você quiser tudo bem! Se não!?...Nossa amizade continua sendo a mesma, eu e Cesa vamos dar umas bolas, se você quiser umbora, se não! É nenhuma! Amanhã agente se bate na quadra.

- Ta certo Dico mais Cesa...eu não tou querendo não... amanhã agente se ver: eu quero refletir melhor sobre a minha vida.

Juca se despede de Dico e    Cesa, e vai pra casa. Enquanto isso Tina e sua turma da escola se concentram no laboratório da Faculdade de medicina pra fazer uma pesquisa sobre células. Célia...professora de Tina, organiza todos ao redor do microscópio e faz    comentário do estudo:

- Gente prestem bem atenção, que eu vou explicar tudinho nos mínimos detalhes. Observem o microscópio de um...em...um...ou seja, um após o outro, e assim sucessivamente, sem saírem da fila. E vejam as células de um pedacinho de cebola. Vejam como elas Se movimentam? Analisem bem e me digam só o que foi que vocês viram.

Pronto...agora eu pergunto para vocês, o que foi que vocês viram?

Fábio!?... O que foi que você viu?

- Célia, eu vi um bocado de bolinhas miudinhas de diversas formas e vários tipos diferentes com os seus movimentos diversificados circulando pra todo lado sem parar num tal de corre-corre pra lá e pra cá sem ter fim. Um negócio incrível!...(risadas)

- E você Tina?, o que foi que viu?

- A mesma coisa que Fábio, Célia.

- E você Sônia?

- Ah!, eu vi uma coisa muito louca, há, há, há esquisita e engraçada! Há, há, há, parecendo umas formiguinhas malucas num corre-corre sem parar da televisão, quando ela estar fora do ar, e com interferência e descontrole na vertical, na horizontal, diagonal, e tudo que é forma de posições etc. há, há, há, engraçado e eu vi tudo azulado, puxa! Legal!    (risadas)

Todo mundo sorriu com o senso de humor da Sônia, ela é muito engraçada, enlouquente e extrovertida, e Célia ainda em risos, pergunta pra Márcia o que foi que ela viu:

- E você Márcia?... o que foi que viu?

Olha Célia, há, há! espere aí, deixe-me parar de rir que eu falo.

Aí eles não agüentaram e começaram a rir sem parar, mas logo, todos se controlaram e Márcia ainda sorrindo fala:

- Célia! Eu vi um bocado das bolinhas que o Fábio viu e também um bocado das formiguinhas que a Sônia viu, essa mistura azulada!...

(Risadas)

- Olhem gente, essa experiência magnífica, são as células de um pedaço de cebola se movimentando desta forma aí que vocês viram. E essa substancia azulada, é corante chamado azul de metileno.

E o conceito de célula é: célula é a unidade morfológica e fisiológica do ser vivo. As células se dividem em três partes: membrana, citoplasma e    núcleo.

Logo após os estudos, Célia, tina, Sônia, Márcia e Fábio, saem das suas pesquisas alegres e satisfeitos, e trocando idéias sobre o futuro. De repente, Tina se lembra de Juca e logo se entristece. Célia percebe a sua tristeza estampada na face, e pergunta o que é que foi:

- Tina!?, o que foi?, o que é que você tem?

- É meu irmão Célia!, depois agente conversa sobre isso.

- Ta certo...amanhã eu vou pra praia!, quem quer ir comigo?..., ta parecendo que o sol vai ser de rasgar pelo que foi na tarde de hoje, e eu aproveitei pra pegar um bronze pra ficar bem moreninha.

- Você vai pra que praia Célia?

- Pra Piatã, praia doa artistas, Jaguaribe, ou Stella – Mares Sônia.

- Eu vou pegar a sua carona.

(Tina) – Eu também vou!

(Márcia) – Eu também!

(Célia) – Que Jóia!, Maravilha que todo mundo vai!, até Fábio.

- É Célia!, eu vou sim, e vou levar a minha gatinha comigo, ela é o amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
da minha vida, vocês vão gostar dela.

- Ta certo, então fica assim, amanhã agente se bate as oito horas da manhã na porta da escola, e de lá vamos pra praia, vamos todos no meu carro. Tchau gente! Até amanhã.

-São neste momento precisamente cinco e trinta da tarde.

Chegando Tina em sua casa, ela encontra Juca grilado, encucado numa revista, sentado no sofá enquanto isso dona Helena estar no quarto orando, e seu Érico estar no trabalho.

- Juca!?...

- Oi Tina! Como foi a pesquisa?...

- Foi sobre células, e foi bastante divertida. Nós demos muitas risadas com Sônia e com Márcia, elas são bastantes engraçadas, um dia quem sabe te apresento à elas, você vai gostar! Agora vou tomar um banho, que eu estou suada e cansada foi um agito de lá pra cá, que coisa!?, só você vendo! O ônibus estava super lotado, com um tal de empurra-empurra pra as pessoas conseguirem passar pra frente, que só a misericórdia de Deus!....às vezes até, um pisa no pé do outro. Mas ainda eu vou me ver livre desse sofrimento, eu vou lutar pra que logo em breve eu possa comprar um carrinho...eu quero um FIAT ou um Vectra bem bonito, zerado do ano, Deus será comigo, Deus proverá!

- Eu tinha vontade de ter uma moto Tenerê, aquela bujuda da Yamaha, ou uma CBX aro (7.50) da Honda, uma Suzuki, ou Kawazaki, ou Amazonas ou então um Bugre zangado daqueles largão, com os pneus gigantescos e talargas de avião pra eu sair tirando minha ondinha de gatinho por aí, com o meu brotinho do lado, más? Um?..., os conflitos? Os conflitos que me perseguem!?, me abatem, me sufocam! Me deprimem e lá vai os meus sonhos e as minhas vontades!...

- Juca meu irmão!? Você vai ficar bom e tudo vai dar certo pra você, tenha certeza disso. O choro pode durar

uma noite! Mas a alegria vem pelo amanhã! Creia nisso Juca! Agora eu vou aqui tomar o meu banho!

Juca volta à leitura preocupado, com as sua cabeça dividida em dois trópicos. Entre as matérias da revistas e a idéias de ir pro centro de recuperação. E ao olhar um certo texto?, ele ver algo sobre comportamentos, complexidade dos sentimentos, e família...num assunto de psicologia, com alguns testemunhos de pessoas que fizeram psicoterapias e ficaram fortes pra vencerem alguns casos um pouco semelhante ao seu. Ele fica um pouco motivado e esperançoso, como quem achou o ouro que estava enterrado nas pepitas do garimpo da Serra Pelada, ou outros garimpos.

E aí?... TRIN! DON! Toca a Campânia, alguém estar na porta:

- Oi Juca!

- É você Vera!?, tou até surpreso com isso!, você não é de vim aqui!?

- É verdade!, sabe o que é Juca!?, é que eu estou precisando de um livro de português que contenha técnicas de redações pra eu fazer um trabalho, você tem aí?

- Aqui em casa tem vários. Entre e sente-se, fique á vontade, que eu vou lá na estante pegar uns pra você. Sinta-se em sua própria casa!

-Enquanto Juca estar na estante do seu quarto e Vera na sala esperando, Tina sai do banheiro e quando ver Vera fica também surpresa com a sua visita inesperada, achando muito estranho este fato de morar perto da sua casa e tantos anos, mas sempre indiferente e nunca teve essa aproximação. Tina cumprimenta-a:

- Oi Vera!?, tudo bem !? que novidade é essa? Você por aqui?

- Tudo bem Tina!..., é realmente uma novidade! Sabe o que é, é que eu estou precisando de um livro. Eu já pedi pra Juca emprestado e ele foi pegar e você como é que ta? Tudo bem com você Tina? Você ta bonita em?

- Que é isso Vera!? (lisonjeada). Bem e como ta a sua mãe?

- Ela também vai bem!    A minha mãe te admira muito sabia? Ela acha você uma pessoa muito educada!...

- Obrigada! Eu fico contente em saber...Vera!...olha vera!...me der uma licencinha aí rapidinho...eu não demoro não...eu volto logo...não me leve a mau não! É que eu vou me arrumar!...eu tou um pouco atrazada...Fique a vontade! Deixe-me ligar a TV pra você!...com Licença Vera.

- Pois não Tina!

Quando Tina sai pra se arrumar, Vera toma a ousadia de ir ao quarto onde Juca estar, e pergunta pra ele.

- Juca? Você achou o livro? Você quer que eu te ajude a procurar?

- Já achei alguns, mas tem outros entocados por aqui, eu tou querendo pegar um monte pra selecionar alguns mais informativos pra te emprestar você pode me ajudar? Estão por aqui!

- Licença Juca, você tem um bocado de livros! E essas revistas de quadrinhos e também essas evangélicas são suas? E você gosta mais de qual?

- Aí tem livros e revistas que me pertencem, e também tem de minha mãe e de tina. E eu gosto mais de ler esses de romances de Drumont, de Jorge Amado, essas poesias de Castro Alves, essas crônicas de Fernando Sabino, e esses romances aí da série Vaga-lume, Spharion mesmo é um bom livro e O menino de asas também... Jorge amado...eu já li O mar morto e também

Jubiabá, também já li um pouco de Gregório de Matos, Capinam e outros como Cecília Meireles, Freud. Desses que eu li, eu gosto também da revista Veja, globo Ciência, e algumas outras...mas a Bíblia, apesar de eu não ser cristão, é o livro que eu mais gosto de ler. Nela contém sessenta e seis livros diferentes e muitos inspirados... e quando eu leio, eu fico muito inspirado, e me edifico bastante...sinto vida...sinto liberdade...

A Bíblia tem muitas palavras vivas, que nem se compara ao outros livros!

- Você ler bastante né Juca!? Eu não sou muito chegada à leitura não! Sei lá?... eu acho que estudar demais pode pirar a cabeça!

- Que nada!... isso é você que ta dizendo! Os grandes homens, os grandes sábios e filósofos como Aristóteles, e cientistas como Louis Armstrong, Eisten... Robert Hook, Thomas Edson, etc e matemáticos como Oswaldo de Souza por exemplo, foram pessoas que estudaram bastante e no entanto não piraram, eles ficaram foi mais inteligentes... você já reparou os artistas de novelas e de cinema? Eles estudam bastante os seus script´s, e no entanto estão aí, inteligentes e criativos! E sem essa de piração!

Enquanto Juca fala, Vera se disfarça e pega um pó de “pemba” do bolso...pemba é um pozinho branco    de

ossos de defuntos que se usa na macumba    em bruxarias, em feitiçarias. Ela põe a pemba dentro de alguns romances e revistas prediletas de Juca pra enfeitiçá-lo, enlouquecendo-o, e ele não percebe nada, concentrado nos livros. Após essa armadilha malvada, ela diz pra ele:

- Juca!, aí já estar bom depois...depois eu pego o restante.

Vera pega os livros, agradece e vai embora. Chegando em sua casa, ela diz pra sua mãe dona Madalena, macumbeira das brabas:

- Mãe eu fiz o que a senhora mandou, eu pus a pemba nos livros e nas revistas que ele mais gosta de ler.

- Isso!... minha filha, agora aquela crente vai ver com quantos paus se faz uma canoa. A pemba já foi posta, e hoje mesmo a meia noite, agente vai botar um despacho na encruzilhada para o exu-caveira, xangô e para Oxossi. Eu já preparei o ebó. Tem um galo preto, farofa de azeite, sete velas brancas, uma garrafa de cachaça, sete charutos, caruru, vatapá, mungunzá e pipocas. E as outras oferendas pra oxum e pra iemanjá!?... nós compraremos amanhã na feira de São Joaquim...Vera, prepare as folhas de alfazema, que nós vamos tomar um banho de folha ainda hoje pra descarregar os troços ruins pra que não venha ter nenhum empecilho na macumba. Eu vou invocar os caboclos, os de orixás e todos os guias!, já tem muitas cervejas aí pro Marujo. Eu hoje vou rodar a baiana!... e até Preto Velho vai baixar hoje no terreiro...Eu só quero ver a destruição e a falência daquela família. Vera vamos mostrar que somos melhores de que aqueles metidos a besta!

- A senhora ta certa mãe! Nós podemos ter uma casa melhor do que a deles. Brevemente eles vão ficar que nem doido pra vender tudo, pra pagar tratamento pra Juca, aquele miserável. E vão perder tudo, eles vão cair na pobreza, e vão ficar nas sarjetas mendigando migalhas, raspas e restos numa vida de penúria! E o dinheiro de toda a venda não vai adiantar nada porque nenhum médico vai poder curar o desgraçado do Juca. Quem é    que pode com os nossos caboclos? Afinal quem é que pode? A senhora se lembra mãe!? A senhora se lembra que agente fez aquela bruxaria pra ele adoecer com os conflitos espirituais e com isso ter que se envolver com drogas, pra ser difamado, e ser descriminado pela sociedade na intenção de afetar aquela crente com toda a sua família!? E hoje ele estar aí, oi!, tão arrasado que não consegue namorar com ninguém , a não ser quando se droga!

- É verdade filha! Ogum de sete espadas e a pomba gira, tranca rua, omolum, baixaram ontem no terreiro e me falaram tudo. Eu vou cuspir no chão. Eu quero só ver se antes do meu cuspe secar se aquele desgraçado não vai estar na sarjeta sofrendo cheio de dores! E o meu ódio todo dele? É mais por causa da sua mãe, porque na verdade eu tenho muito ódio dela e eu quero mais é que ela morra!, mas antes disso, eu ainda quero ver ela sofrendo muito com o seu filho Juca, é assim que eu piso em pessoas do tipo dela, eu massacro mesmo! Ah! Como eu massacro!, ah! Eu sou muito vingativa, brinquem comigo? Hum! Assunta só minha filha! Vera aquela mulher vai sofrer tanto com o seu filho Juca, que você não queira nem saber e    quando ela não agüentar de tanto sofrimento, aí ela se mata, ela mesmo vai se matar, eu vou invocar um espírito de suicídio lá no terreiro pra ela, e não vai ter pra onde ela correr. Quem é que pode com uma boa ialorixa?, e quem é que pode com os nossos caboclos, ela não diz que é crente? Cadê o seu Deus que não livrou Juca das minhas macumbas?

- Mãe, vamos preparar logo tudo e depois do despacho para enfeitiçar ainda mais Juca? A gente acende as velas lá na igreja do Bonfim. A pemba já estar lá nos livros e nas revistas que ele mais gosta de ler, e depois do ebó?, não vai ter pra onde ele correr.

- Vera e dona Madalena, após essa conversa, se preparam para o ritual lá no terreiro, numa fusão de umbanda, quimbanda e candomblé. São esses    três sincretismo religiosos, lá no terreiro que elas congregam.

Após a sessão maldita, elas largam os seus despachos na encruzilhada da rua que Juca e elas moram...pois, elas são da mesma rua.

Passando sexta-feira...essas macumbeiras já tendo realizado os seus intentos malignos...Ficaram descansando.

Enquanto isso, abre um forte sol numa manhã de sábado, com os seus raios a irradiar a terra num resplendor de primavera.

Tina mas suas colegas, Fábio com a sua namorada já se preparam para irem a praia.

Tina telefona pra confirmar com Célia:

- Alô!? Célia? Tudo bem! Você dormiu bem? E a praia?

- Ô Tina!, é você!? Menina eu tou maravilhosamente bem e eu dormir bem! Eu tive um sono de pedra que chegar acordei sorrindo, e eu já tomei café e já me arrumei, eu

estou pronta, telefone pra turma, que eu vou por gasolina no carro, aqui no posto, perto da ladeira dos Galés, e vou ficar esperando vocês na porta da escola. Daqui pra federação, eu faço em dez minutos no máximo. Você de São Caetano?..., eu não sei!...Sônia mora no Canela é rapidinho!, Márcia mora lá na Liberdade, e de ônibus deve ser uns vinte a trinta minutos, a depender do trânsito. E Fábio mais a sua namorada mora na Graça, deve ser uns dez minutos. Eu vou ficar esperando vocês na porta da escola, não demorem! Olha! Eu vou trancar o carro e vou ficar de fora um pouco distante, você sabe que aqui nessa Bahia, aliás em todo o País, pra não dizer no mundo inteiro estão cheio de marginais e assaltantes estão aí por todo lado. Você ouviu e viu o caso de Leonardo Fareja, e outros casos nas noticias. Sei lá?...

pode ser que algum louco possa querer me seqüestrar; os seqüestros estão por aí também...ou algum assaltante possa querer furtar o meu carro, possa ser até que ele ainda me mate com um tiro na testa, ou com um tiro no ouvido, ou no coração, sei lá?, nunca se sabe!, você também viu aquele caso daquela mulher do Escort vermelho    lá na BR 101, ali depois de Feira de Santana, em que quatro elementos    a assaltaram e depois mataram a queima roupas!?

- Que mundo nós estamos não, é Célia!?

- É!, e eu não tou querendo ser mais uma vítima à morrer deixando tudo aí, sem saber pra onde eu vou, por causa de um simples carro, à cobiça de um frustrado, revoltado, inconseqüente, delinqüente, malvado. Eu amo a minha vida, e ainda quero viver muitos anos. Por isso eu vou ficar fora do carro, num lugar movimentado. Vocês já conhecem o meu carro, aquele Kadet azul piscina metálico. Vocês confirmam se é realmente o    meu carro por aquele adesivo ecológico e protestante do Ibama à favor da natureza. Esse adesivo tem dois micos leões dourados empendurados numa galha de arvores. Venha logo! Não demorem! Tchau!...

- Tchau Célia!

- Tina minha filha!... você acordou cedo hoje!

- É que eu vou à praia pai. Minha mãe já acordou?...

- Já?, você viu a noticia ontem, minha filha? Esse Brasil ta demais!...

- eu não vi não meu pai, mas ainda agora eu estava conversando com Célia sobre violência! E ta mesmo demais meu pai!

- E como ta Tina!, é avião que desabou!, é guerra não sei aonde, é fome em tal lugar, um assassinato aqui! Um crime acolá! A pobreza cresce cada vez mais! É pai estuprando    filha, filho estuprando    mãe! São homens pedófilos abusando sexualmente das crianças, estuprando-as, induzindo-as estupidamente, cruelmente, e barbaramente, numa terrível violência...induzindo-as ao homossexualismo, forçando os pobres coitados indefesos, sem terem como eles revidarem pra se livrarem das guerras malditas desses monstros maníacos, transviados em seus sentimentos morais desprovido de vergonha, não passando de sem vergonhas imorais, pervertidos em suas aberrações cheia de vandalidades...isso é um cúmulo! É um cúmulo da subversão humana, como em Sodoma e em gomorra.

E a estória do maníaco do Parque? Francisco o moto-boy? Que fez aquelas desgraças, estuprando mulheres, depois matando barbaramente, e comendo monstruosamente mastigando alguns dos órgãos ninguém sabe mais quem é o gato!... quem é rato!?.., quem é Tom e quem é Jerry?, quem é Gargamel, ou quem é Cruel!? Isso sem falar nas donas de prostíbulos que exploram as crianças desde cedo induzindo-as    a se prostituírem com tudo o que é tipo de homem que pagam qualquer dinheiro...qualquer mixaria! Sei lá quanto! Pra poder fazerem sexos obscenos, como porcos nos chiqueiros, sem amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
, sem afeto, e sem compaixão, mas só por um prazer animal...aliás diabólico!!!...nem animal é...diabólico!!!...de simples momento, e depois dão os seus desprezos as crianças... que apenas ficam com um dinheiro, que malmente vai dar pra pagar um tratamento pra suprir as necessidades das suas saúdes, nas suas doenças venéreas, isto é, se tiver cura!?... A AIDS mesmo não tem cura! A AIDS mata.

- Isso é fim de mundo pai!

- É mesmo minha filha! E nos hospitais    estão cheio de pessoas doentes, com poucos recursos pra se tratarem, e tem muitos médicos bons por aí! Mas também na medicina estão cheio de médicos materialistas, sem ter amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
com os seus pacientes e se o paciente tiver dinheiro, eles tratam bem!, se não! Eles dão o desprezo. É minha filha! É a tal da estória do capitalismo selvagem, e de homens primatas, como dizia os Titãs. Esse país...

Esse mundo estar um verdadeiro hospício, um sanatório ambulante!, sem as maças pra socorro, e haja psiquiátras! E como dizia Silvio Brito: - espelho! Espelho meu!?, existe alguém mais louco do que eu?.

- Ai... Se eles olhassem direito pro Brasil!? Que loucura minha filha! Parece o fim do mundo!?. Os homens estão vendendo os seus órgãos pra traficarem cracks, cocaínas e outras drogas. Eles vão aos médicos clandestinos fazem cirurgia pra abrirem os seus próprios órgãos, e põe drogas nos seus estômagos, ou intestinos, ou sei lá aonde! Pra conseguir traficar , e depois torna a abrir os seus órgãos novamente, pra retirar a droga.

- Isso é um absurdo pai!

- O que é que estar acontecendo com essa gente? A ganância estar de mais, o amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
ao dinheiro ta falando mais forte, do que mesmo o amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
pelo próximo no coração de muitos homens. Aonde é que nós vamos parar?

- Eu tenho certeza que vou parar no céu!

- Sei lá!? Eu acho que o diabo existe mesmo minha filha!..

- Pai!? O diabo existe mesmo meu pai e essas coisas ruins acontecendo não só aqui no Brasil, mas em toda a face do planeta? São anjos demoníacos pra tragar muita gente pro inferno. O mau estar aí com suas maldades, anunciado a existência do diabo, só não ver quem não quer, ou quem se faz de cego, ou quem estar com a mente cauterizada, porque a Bíblia diz que o diabo, o nosso adversário, cegou o entendimento dos incrédulos, para eu eles não enxerguem e lhes resplandeçam a luz do Evangelho da Glória de Cristo que é a imagem de Deus. E só Jesus Cristo é o único e verdadeiro caminho. Aceite a Jesus Cristo meu pai!

- Minha filha! Você tem toda razão, mas vou dar mais um tempinho!

- Mas o tempo não para pai, e amanhã pode ser tarde demais. Você viu Cazuza? Ele mesmo dizia: “O tempo não para” e esse tempo realmente não parou, e o devorou na sua estrada, e ele morreu todo arrasado, corroído pela AIDS. E se morreu sem Cristo!?...misicórdia!!!... Mas se ele aceitou no último instante de sua morte? Possa ser que ele esteja lá no paraíso, eu digo possa ser. É que as vezes espíritos das trevas se apoderam do corpo da pessoa, de maneira que não dar tempo pra ela receber libertação nos últimos instantes, mesmo ela aceitando a Jesus Cristo, porque necessitaria de que algum Cristão fizesse uma oração de libertação por ela, e tem casos que até só com oração e com jejum para que a pessoa seja liberta. A Bíblia diz que tem castas de demônios que só se expulsam por meio de oração e jejum. E sendo assim não daria tempo pra uma pessoa, nesse caso aí, ser liberta, pra ser salva, aceitando a Jesus no último instante da sua morte. E Cazuza? Só Deus sabe! Se foi pro céu!?...Deus sabe!!!... só Deus sabe!!!... pense nisso pai! As coisas ocultas pertence a Deus.

- Eu vou pensar nisso Tina.

- Ta certo pai. Agora eu vou aqui dar uns telefonemas. Eu já estou de saída, tou até um pouco atrasada e não posso demorar nem mais um só pouquinho que seja, se não Célia vai ficar uma arara, ela vai ficar jururu comigo, e Deus me livre disso!

- Tina telefona pra suas colegas e pra Fábio confirmando o compromisso e em seguida pega um táxi pra ganhar tempo. Enquanto isso, Célia já estar na porta da escola a sua espera, e também do resto da turma. E ela num instante acaba de chegar:

- Oi Célia, demorei?..

- Não Tina eu cheguei agora e estacionai o carro ali. Você ligou pra todos?

- Sim, e já estão vindo aí!

- Oi, Célia! Oi Tina! Essa é Lúcia! Minha namorada.

- Oi Lúcia!, tudo bem? Meu nome é Tina! Prazer em conhece-la!

- Oi Lúcia!, o meu é Célia, prazer!

- Prazer, o prazer é todo meu. Fábio me falou bem de vocês, e me convidou pra essa praia, e eu estava mesmo precisando de tomar um solzinho, sol faz bem pra saúde, é bom pros ossos, e também pro sangue, pros nervos, e pra pele, com exceções de casos especiais e de casos delicados como no caso de câncer de pele por exemplo, ou é até mesmo prejudicial em excesso.

(Tina) – É verdade Lúcia, eu já vi uma menina toda desidratada e com insolação por causa de excesso de sol no corpo sem tomar os devidos cuidados, os cuidados necessários. Ela tava lá no Pronto Socorro do “’HGE” quando eu há vi.

(Célia) – Eu também quase fiquei assim gente, mas tomei um soro caseiro e fiquei boa rapidinha.

(Fábio) – Soro caseiro é aquele que se prepara com açúcar e sal num copo de água não é?

(Célia) – É! Mas eu preparei foi um litro de vez, e fiquei tomando aos poucos, e, me re-hidratei, bem rápida. Foi vapt-vulpt. Olha só quem vem aí? Sônia e a Márcia!

(Sônia) – Oi! Pessoal!... demoramos!?

(Célia) – Não! Vocês estão em tempo.

(Márcia) – Pelo que eu to vendo, eu acho que você é a namorada de Fábio! O Romeu    e a Julieta!.., mas vivos!, e vivendo pra viver. A vida é muito Linda, e o amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
? Ele é de mais! Você! É a gatinha de Fábio!?

Como é o seu nome?

- Lúcia!...Gostei de você Márcia, você e simpática, aliás gostei de todos vocês! Vocês são simpáticos.

(Célia) – Vamos pro carro gente. Vocês preferem que praia? Vamos pra Stella - Máris?

(Fábio) – Vamos!

- Todos concordam unicamente.

(Tina) – Célia, eu trouxe uns discos CD`s Evangélicos comigo. No seu rádio pega CD?

- Pega! Disponha Tina! O rádio é todo seu, você manda e não pede.

- Eu trouxe comigo o disco de Aline Barros, Shirley Carvalhes, Catedral, Ofina G3, Renascer Rebanhão, Ellus de amor
Patrocine esta palavra.
Em breve...
...Cassiane...o reggae de christafari...Militantes... Vocês já ouviram?

(Fábio) – Eu já ouvi Catedral.

(Célia) – Eu já ouvi Shirley Carvalhes e Aline Barros... a minha tia é cristã e na casa dela tem!

(Márcia) – Eu não sei, se já ouvir!. Possa ser que eu já tenha ouvido na FM 96, ou na rádio Aleluia, na cidade, ou na manchete, mas não me lembro.

(Sônia) – Eu nunca ouvi. Eu curto mais Bossa Nova, como Caetano Veloso, Chico Buarque de Holanda, João

Gilberto, Toquinho, João Bosco, Francis Hime, Guilherme Arantes, Gilberto Gil, Alceu Valença, Geraldo Azevedo, Xangai, Elomar, Vital Farias, Belchior, Fagner, Zé Ramalho e outros.

(Fábio) – Puxa! É uma discoteca ambulante...Pensei que não ia acabar mais! Mas quem é que não gosta de música? Cada qual no seu estilo, mas todo mundo curtindo a sua música!?, quem é que não gosta de música?

Enquanto Célia dirige o veiculo, já passando pelas mediações do Hotel Hoton Palace em Ondina, num trânsito livre, a rádio toca o som de Aline Barros e todos gostam, eles ficam ouvindo e se deleitando com a voz suave e bonita da cantora. E a forte mensagem viva de vida que ela transmite...na trajetória pro mar, da Orla Marítima... eles se vislumbram com o imenso verde e azul, bem lá no infinito do horizonte, com as águas a se interligarem com as nuvens plácidas do azul celestial.

Eles viajam profundo no resplendor fulgurante do sol. Com o seu reflexo a refletir nas águas do mar, que na sua inconsciente e involuntária gratidão, espelham pro alto, um retorno da imagem do astro-rei impondo sem querer, vaidades de vaidades, para que o sol fique vendo a sua beleza lá do alo até morrer, quando o mesmo se põe, com o seu lindo reluzir de luminosa luz vermelha, dando adeus    a natureza, até a aurora do outro dia.

Tina ver barcos e outras navegações a flutuarem sobre o mar, e pensa consigo mesmo: - neste mar misterioso! Tem mistérios muito além que o mistério do dragão que estar nas profundezas, esperando pelo dia profético, em que ele vai sair de lá na grande profecia de Deus ao qual ele fala no apocalipse.

Em seguida Tina comenta se expressando para as suas companheiras e também para Fábio:

- Gente! Olha como Deus é poderoso! E como é linda a natureza! A gente olha pro mar, esse vasto, esse mar imenso e ver a maior paz, a maior tranqüilidade, isto até me transmite uma certa calma. Esse mar é cheio de mistérios, mas por detrás dessa paz, há um mundo tão selvagem de guerra no fundo desse mar! E que guerra! Este mar é cheio de peixes e outros animais ferozes, com as suas cadeias de predações!?, que é um devorando o outro! São tantos animais selvagens nessa selva marinha!... como tubarões, cações, peixes agulhas, baleias assassinas, águas-vivas, caramurus, nanquins,baiacus, pina-unas e tantas outras criações com    as suas hóstias selvagens!...

(Lúcia) – É verdade Tina! Deus é bastante criativo e poderoso,e dentre todas as criações e tantas belezas, quando eu olho para nós e pra todas as outras pessoas!? Eu fico bastante fascinada de ver que todos nós somos todos diferentes, com exceção dos gêmeos. Mas isto é, sendo que os gêmeos não deixam de terem as suas diferenças em alguma área, ainda que sejam discretas, e ou ocultas aos nossos olhos, mas não deixam de terem as suas diferenças são milhões, tri- trilhares de milhões de tri-tri-tri-lhardes de pessoas diferentes. São pessoas bonitas, são pessoas feias, brancos, louros, morenos, mulatos, pretos e diversas misturas em varias outras raças. Vocês podem ver que todo o povo é diferente um dos outros. Vocês já viram como os japoneses são tão diferentes dos brasileiros, e dos chineses? Eles têm os olhos meios fechadinhos e esticados entre as pontas, enfim, todo mundo é diferente com exceção dos gêmeos que aliás, talvez tenham as suas discretas diferenças em algum lugar do rosto e também do corpo.

(Fábio) – E os americanos? Vocês já viram que eles também são diferentes dos brasileiros, como também os espanhóis e os franceses? E por falar em gente, vocês já viram aquelas pessoas chamadas siameses?, aquelas que nascem agarradas uma com a outra, às vezes agarradas braços com braços ou peitos com braços, ou peitos com peitos, ou um tronco na horizontal da costela da outra pessoa, ou agarradas em suas próprias cabeças de diversas maneiras que se possa imaginar? Que terrível!.;..o que será esse mistério?

(Célia) – E os hermafroditos? Uma mulher ou um homem com dois sexos ou seja, uma mulher com um pênis acima da vagina, ou um homem com uma vagina abaixo do pênis. Porque será esse absurdo? Puxa! Eu não consigo entender! Eu acho que isso é uma berração, por um castigo de Deus! Vocês não acham?

(Márcia) – E os mongolóides? Aquelas pessoas arretardadas com a mentalidade infantil e que são chamadas cientificamente de autistas? Quase todos eles se parecem, e seus olhares são esquivados e meio distantes, com os seus rostos meio inchados, ou aparentemente inchados e arredondados. Qual será o mistério deles nascerem assim, além dos mistérios dos caracteres hereditários.

(Sônia) – São tantos acontecimentos sobrenaturais que acontecem na genética do ser humano, que ás vezes eu fico até espantada, tem muitas coisas que eu fico aterrorizada e me entristeço muito, e também fico tão perplexa e indignada, que vocês nem imaginam!, eu fico em luta querendo entender esses mistérios, com uma













curiosidade de uma cientista da área de biologia humana, quem sabe até de uma antropóloga! O que será o porque de tudo isso?

(Tina) – Olhem eu explico! Sabe o que é...

(Fábio) – Mas antes ouçam o que eu vou falar! Olha, diante de tantos fatos para-normais, mas não são normais! Vocês já pensaram se de repente aparecesse um lobisomem daqueles bem feio, com a cara de um lobo!... com os seus olhos bem arregalados, e com os seus dentões bem horrorosos, bem horrível mesmo, de assustar de assombrar e de apavorar uma multidão, daqueles que deixa mesmo todo mundo, em gritos, em pânicos e em sufoco um lobisomem daquele com as unhas!?... aquelas unhonas bem afiadonas vocês já pensaram se ele pulasse aqui agora, bem em cima do capus do carro, e atacasse bruscamente!? Violentamente a Célia? Muito mais feio do que aquele do filme um













lobisomem    em Londres!? E agarrasse, assim: TGHACT! AÚUUUL.

(Célia) - Uai! Que susto Fábio!?, você quer me matar?

(Tina) – Cuidado!?..., olha o carro!?

Célia toma um forte susto e quase bate o seu carro contra um Monza, próximo ao clube do SESC, defronte a praia de Piatã, e esse segundo susto foi pior do que o primeiro, e ela não agüenta de tanto nervosismo e de súbito para o carro... e todos também, unanimemente, ficam bastante assustados, tentando se acalmarem entre si. Enquanto isso, o motorista do Monza fica xingando Célia de tudo o que é tipo de palavrão, e no final de tantas palavras torpes e obscenas, ele encerra o seu prostituto repertorio numa bruta agressividade, dizendo assim: - Você não tem o que fazer não sua cachorra vadia? Se você batesse no meu carro eu te dava um tiro.

















Aliás um só não!... eu ia fazer você engolir todas as balas do meu revolver, uma por uma... até dizer chega. Qual é que é? A sua carteira foi comprada no balaio, sua barbeira? E é por causa disso também que o trânsito estar cheio de acidentes, vê se sai do trânsito com essa lata veia aí sua idiota! Louca! Vagabunda!, compre um carro de mão, talvez quem sabe? Com um carro de mão você não faça mais barbeiragem, pondo a vida dos outros em risco por aí. Sua débil mental inconseqüente, sua míope! Você é cega ou graucomática? Ou é louca mesmo sem nenhuma catarata? Vai catar lata sua vira lata!

-Em seguida ele arrasta o seu Monza, e sai cantando os pneus em alta velocidade sumindo em disparada. Tudo isso por causa de uma brincadeira de mau gosto de Fábio, que não esperava por um episódio assim. Não se















e não pode brincar dessa forma com quem pilota num trânsito. O trânsito é coisa séria, e assustar um

motorista no volante é brincar com a morte. Fábio fica bastante arrependido, e todo sem jeito, com muita vergonha de todos, e pede muitas desculpas quase chorando, ele pede pra Célia e pra todos:

- Me perdoem gente!, Perdoe-me Célia! Eu estou bastante sentido com isso. Eu estou com a minha cara de um jeito, que se eu pudesse, eu enfiava ela no chão, de tanta vergonha que tou e eu não    tenho nem palavras pra me humilhar diante de vocês pela grande estupidez da maldade que eu fiz! Seria possível um perdão gente? Vocês me perdoam por favor?...

(Célia) – Fábio, você não fez por mau! Você só queria animar o ambiente com uma forma simpática e carismática no seu alto astral de curtir. Você é muito legal















e eu gosto de você! todos    nós gostamos de você, você é gentil, não fique assim não! Se alegre, só foi um susto

e estamos intactos e invictos. Turma vamos aproveitar já que estamos aqui, e tomar logo um banho de mar, pra refrescar e acalmar os nervos, e em seguida agente segue pra Stella - Mares! O que é que voçês acham?

Todos gostam da idéia! E concordam unanimemente, e vão tomar banho de mar, defronte ao clube do SESC. Enquanto isso, Juca já estar pescando lá no Humaitá, ali depois da Boa Viagem e do Forte do Monte Serrat, aonde tem um quartel do Exército: O parque Regional de Manutenção (6ª R.M.). Ele estar pescando com Dico e com Cesa:

- Juca! Jogue o anzol mais pro fundo, se não você só vai pegar Pititinga e xangô, e esses peixes são bem

















miudinhos e quase que não enche a barriga é preciso comer vários deles pra no mínimo enganar o estômago.

- Cesa, qual foi o maior peixe que você já pegou aqui?

- Eu já peguei Pampo, Bagre, Miroró, até Vermelho eu já peguei aqui.

- E você Dico?

- A mesma coisa que Cesa. Nós sempre pescamos juntos aqui, já faz um bom tempo, uns, dois anos mais ou menos. Aqui também tem Ninquim, Caramuru e Baiacu.

- E esses peixes dar pra encher a barriga, Dico?

- Fala pra ele Cesa!

- Ninquim é um peixe venenoso Juca... e se a pessoa comer morre, não tem habeas-corpus, ele é muito perigoso e tem até ferrão. Ele fica ás vezes entre as pedras sobre a areia, em baixo dágua, e quando alguém pisa nele, pega uma febre terrível, e rapidinho, alguns















momentos após, é um revertério invocado!, bate logo um calafrio, e uma dor de cabeça lascada. E o Baiacu e o Caramuru também são venenosos, mas a versão deles

não sei direito qual é    mesmo não! Eu sei que o Baiacu ele se incha todo. Uma vez eu peguei um e botei aqui em cima da alvenaria, e o sol tava demais bicho, que parecia o deserto do Saara. O sol tava de um jeito pra camelo nenhum botar defeito e o Baiacu foi se inchando! Se inchando! Se inchando parecendo até que ia se estourar, chamando a atenção de muita gente e ele tinha dois chifres horríveis, parecendo um morcego!

Parecia mais um demônio, e o Ninquim também parece, vocês saca aqueles demônios bem cavernosos? Com uma cara bem carrancuda daqueles filmes monstruosos?

(Juca) – Eu já vi!... em Scooby Du, sempre passa cada um terrível. Nas tartarugas Ninger também tem o













vingador e em He-mam, tem o Esqueleto, eles são de assustar! E geléia dos caças fantasmas! (Risadas).

(Cesa) – Ponha monstros nisso aí! Vocês assistiram Geison? E Alien? E a mosca, o predador?, vocês já viram a cara de ghioday?

(Dico) – Quê nada, ponha monstros nisso tudo aí. Vocês viram aquela endemoniada possuída pelo diabo, que até levitava da cama. Vocês viram como ficaram a cara dela?

O maior terror! De assombrar qualquer um, principalmente quando ela dava aqueles gruindo estranhos. Foi no final do exorcista, e aqueles monstros...a volta dos Mortos Vivos?

(Juca) – Mas perai? Agente ta aqui falando de um Baiacu e de um Ninquim! Afinal de conta que peixes são esses?, é o diabo é? (risadas).

(Dico) – É verdade!, agente viajou nessa, que onda braba? Agente fez uma tempestade num copo d´água, ou











um terremoto num grão de areia! O Baiacu e o Ninquim quem diria que por causa deles agente foi chegar a

esses monstros todos! Que doidera!?... E olha que eu ainda tou de cara em!

(Cesa) – É, agente ta de cara, mas foi a lombra da maconha de ontem que nos deu essa viagem toda.

(Dico) – Possa crê!..., mas vamos voltar ao assunto! Tanto o Ninquim como o Baiacu e o Caramuru são peixes venenosos, mas eu já ouvi falar que tem pessoas que comem esses peixes...o segredo é saber tratá-los tirando todo o veneno deles. Se não souber tratar? É caixão e vela!

(Juca) – Opa! Acho que peguei um peixe!...o meu nylon ta puxando e pitombando, e a vara ta mais pesada, parece que o peixe estar fisgando o anzol, oi! Que beleza, legal!.

(Dico) – Puxe logo Juca! Se não pode escapulir...ta parecendo que é um peixe grande!















(Cesa) – É um vermelho enorme!...olha Dico! Ual, Juca ta com sorte, esse dar pro rango, merece uma boa

comemoração. Vamos acender um baseado pra fumar agora...agora é que agente vai ficar legal!

(Dico) – Vamos botar logo um morrão... Cesa, enrole uma estaca daquelas!..

(Cesa) – Cadê a seda Dico?

(Dico) – Por aí você acha uma carteira de cigarro vazia ver se acha uma de Carlton que a seda é mais fina.

(Cesa) – Juca, vá ali comprar um careta pra gente acender a maconha. Aproveite e traga um pilão... olha se ligue nos movimentos, que aqui as vezes pinta os canas disfarçados e aqui tem muito caguete também, conspiradores e corujões, mas nós somos cabeças qualquer coisa agente tira de tempo dos otários e deixa eles abatidos.













Juca) – Dico mais Cesa!?...e o quartel do Exército ali? Bem de cara pra cá!...vai sujar legal pessoal!

(Cesa) – Que nada! Esse Quartel aí é maior limpeza. Nós já fumamos aqui no Humaitá há um bom tempo, e eles nunca tiraram nenhuma braba com a gente. É só não bagunçar e não escancarar na cara do juiz...e ficar numa boa, viajando na maior paz, agente só não pode vacilar, porque o carro do Ibama!... A popó? De vez em quando dar um rolè na área afim de dar uns baculejos e capear os bichos.

Nós fumamos depois...vocês sabem que nós somos cabeças! Nós somos das antigas, e os canas tem mais é que passar abatidos com agente, e se eles perguntarem alguma coisa querendo tirar alguma idéia!!!...a minha é Federal!!... No maior queixo duro!!!...

(Juca) – Só!?... queixão mesmo.















(Dico) – Queixo de concreto! (Risadas), mas vocês estão conversando demais, vá logo lá fazer o avião do careta...

ACESSE O LIVRO JUCA VIDA BANDIDA NO GOOGLE...E DESFRUTE DAS MARAVILHAS!

 
13/10/2009 19:05:23 :: ELMIRA NUNES
Taças.
Delicadas,
requintadas,
românticas,
embriagadoras.
Para champanha, como ela gosta.
Para    conhaque, como ele gosta.
Aquelas eram    um especial presente de Natal
que certamente lembrariam sempre    bons momentos.
Um gostoso riso ao recebê-las.
Isto estava previsto.
Não muito surpreso.
Divertido.
Boa sugestão nas entrelinhas!
Caso, acabado talvez.
Sensualidade e    ternura muito presentes.
Ele não ia perder a oportunidade    talvez    única, de tê-la mais uma vez.
Ela queria se embriagar, saciando sua própria sede    de carinho
e sentir o prazer    que lhe dava sua presença.
Chegaram.
Elegância, suavidade e atenção em todos os gestos dele.
Nela, receio, talvez mesmo, medo.
Encolhe-se no sofá.
Nem parece que já esteve tão à vontade naquele lugar.
Há um bloqueio    feito de saudade, de mágoa, de paixão e de    ressentimentos.
Vinho branco.
Sua bebida favorita.
Além de champanha, claro.
Ela vê tudo como espectadora, com os olhos ariscos de uma gata.
Muito quieta.
Ele parece não perceber nada.
Está entontecido de si.
Não precisa se preocupar.
Acha que ela sabe o que quer.
É calma , segura,
vai se deixar levar,
porque quer,
embalada por suas palavras,
pelo vinho,
pelo prazer do toque,
do seu perfume,
do seu cheiro.
Mas, vai num crescendo, em igual    intensidade, desejo e agressividade.
Ela sente que precisa conter a avalanche que quase passa dos limites de sua consciência.
Precisa acordar.
É como se estivesse em transe.
Vê na sua mão a taça.
Cristal!
Atira-o com toda força contra a parede.
Ele riu.
Ela acordou.
Mais mágoa.
Mais dor.

“Estala coração de vidro pintado”.

 
13/10/2009 15:55:42 :: LUCIENE LIMA PRADO


PAUSA

Vá e descansa,
Que a dor é tanta,
Devido ao trabalho que te tranca
E à razão a qual se lança,
Porque a vida é uma corda bamba.

Caia nesse sono
Que te deixa tonto,
Na melodia do ronco,
Mas é o suor que te faz sonso
Para te firmares feito tronco.

(Luciene Lima Prado)
 
13/10/2009 15:54:01 :: LUCIENE LIMA PRADO


TREVO COM QUATRO FOLHAS

Procuro um trevo pelo mundo afora,
Para te dar quando fores embora;
No meu peito não sentirei desgosto
Se a sorte eu vir estampada em teu rosto.

Nas tuas caminhadas à luz noturna,
Um trevo te trará uma boa fortuna;
E este hei de procurar sem repouso,
Para sentires do viver o gozo.

O meu beijo de boa sorte não basta,
Leve-o como uma simbólica carta;
Dar-te-ei a sorte em miúdas folhinhas.

Terei certeza de que viajarás em paz,
Nisso meu espírito se satisfaz;
Vá e conserva sempre lembranças minhas.

(Luciene Lima Prado)
 
13/10/2009 15:52:41 :: LUCIENE LIMA PRADO


SONETO DOS RIOS

Teu trajeto é o encontro de dois rios,
Correndo em direções contraditórias;
No meio de alguns sinais, perdas e glórias,
A sentir: prazer, tédio e... calafrios.

Transitas entre escolhas: sim e não;
Não sabes em que mar tudo termina,
Nem se espera passar a chuva fina,
Tampouco qual é a exata direção.

Quando à sombra chegar, pare e descanse,
Sinta o olor das ilusões a longo alcance;
Que o fascínio nos torna bem mais vivos.

Tu divides os rios, siga teu curso
Com razão mais um pouco de teu impulso,
Pois no fim, desaguar é teu objetivo.

(Luciene Lima Prado)
 
13/10/2009 13:36:33 :: GLÓRIA SALLES


“É tua a decisão...”.

Se não pretende fazer-me de tuas ânsias refém
Não esbanje comigo teus melhores instantes...
Se não tenciona beber o néctar da minha boca
Não tatue meu corpo, com caricias delirantes.

Se não quer abandonar-se nas noites de lascívia.
Nem perder-se na atmosfera do cadenciado desejo,
Então, este olhar extasiado lance em outra direção.
E disfarce o latejar vibrante contado pelo teu beijo

Se planeja romper o sentir que trava as artérias
E guardar teu coração da magia do meu sorriso
Não cace então, teu cais nos vincos do meu corpo.
Ou vai se perder, garanto, na vastidão do paraíso.

E se teu medo apaga de nossa paixão as labaredas...
Vá... E deixa no ventre sereno, repousar as borboletas...

Glória Salles
04 outubro 2009
20h21min
 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.