Espaço Literário

O Melhor da Web

 


Sua contribuição é muito importante!
Peço que as poesias tenham a autorização e/ou respeite o crédito do autor.

Se algum texto violar essa regra ou se o autor pedir para retirar, este será deletado de nosso banco de dados.
Qualquer abuso favor entrar em contato e comunicar o fato.
Desde já agradeço!
Cláudio Joaquim


Principal >> Mural INCLUIR TEXTO NO MURAL
24/10/2019 12:05:56 :: VANDERLEY MARTINS DE MOURA
O Amor e a Flor

O Amo e a Flor
se beijaram, se casaram
se foram...depois da festa
se foram por aí...a caminhar
trocaram palavras
trocaram perfumes
trocaram de lado
trocaram de cores
trocaram sabores
choraram e sorriram
amaram se o tempo todo
era primavera depois verão
eram parceiros da solidão
caminhavam felizes depois de se beijarem
de se amarem eternamente
 
15/10/2019 19:14:50 :: LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA
NA ESTAÇÃO

Um dia te encontro
Bem nesta paragem,
Onde te encontrei
Numa outra viagem:

Chegaste de trem
Faceira e bonita
Tendo nos cabelos
Um laço de fita,

Só equiparável
À Rosa em botão
Que estava florindo
Aqui, na estação.


Teus olhos brilhavam,
Tua boca sorria,
Quando alguém falou:
"Bom te ver, Maria!".

Após longo beijo,
Seguiram felizes.
O tempo passou,
Não as cicatrizes

Fincadas no peito,
Daquele momento,
Pois nunca saíste
Do meu pensamento.

O sonho perdura
No tempo que passa
Para realizar-se
Com muito mais graça...

A vida é bela
Porque traz mudança:
Sem esta não vinga
Qualquer esperança.

Um dia te encontro
Bem nesta paragem,
Onde te encontrei
Numa outra viagem.



  
 
11/10/2019 13:37:13 :: VANDERLEY MARTINS DE MOURA
DOMINANTE

E VEIO SORRATEIRAMENTE
COMO QUEM TEM DOMÍNIO
ROUBASTE MEU SORRISO
LEVASTE MEU SOL
E EU FIQUEI...AO SOM DO PIANO
AO CAIR DO DIA
AO SE DESPEDIR DE TUDO QUE MAIS QUERIA
AO SOM DA MELODIA... SENTINDO ME SÓ
MAS ...A MÚSICA É SUAVE...
MESMO SEM MEU SORRISO QUE ROUBASTE
DEIXO QUE AO SOM DO PIANO
ACOMPANHADO DOS VIOLINOS ...O SILÊNCIO
SIGA MEU DESTINO
AINDA QUE ALGUÉM ME AME
AINDA QUE ALGUÉM ME CHAME
VOU ME DEIXANDO IR..
ESQUECIDO DE TI...
PARA QUEM DARÁS MEU SORRISO !?
ME DIGA AMIGO PRA ONDE LEVASTE MEU SOL !?
ME DEIXASTE AO SOM DOS VIOLONCELOS...
AO SOM DOS VIOLINOS...
PARECE QUE RASGAM MINHA ALMA
CORTAM MEU CORAÇÃO...
NUNCA VOU TE ESQUECER...
CAMINHAS COM MEU SORRISO
LEVAS CONTIGO MEU SOL
FIQUEI EU E SOM DA MELODIA
NA SALA DE ONDE ME MORRO
MEU DOMÍNIO SE FOI
EU PERDI MEU SOL
PERDI MEU SORRISO...MAS A MELODIA ...
VAI ME MORRENDO
 
11/10/2019 13:36:31 :: VANDERLEY MARTINS DE MOURA
 
11/10/2019 13:35:13 :: VANDERLEY MARTINS DE MOURA
DOMINANTE

E VEIO SORRATEIRAMENTE
COMO QUEM TEM DOMÍNIO
ROUBASTE MEU SORRISO
LEVASTE MEU SOL
E EU FIQUEI...AO SOM DO PIANO
AO CAIR DO DIA
AO SE DESPEDIR DE TUDO QUE MAIS QUERIA
AO SOM DA MELODIA... SENTINDO ME SÓ
MAS ...A MÚSICA É SUAVE...
MESMO SEM MEU SORRISO QUE ROUBASTE
DEIXO QUE AO SOM DO PIANO
ACOMPANHADO DOS VIOLINOS ...O SILÊNCIO
SIGA MEU DESTINO
AINDA QUE ALGUÉM ME AME
AINDA QUE ALGUÉM ME CHAME
VOU ME DEIXANDO IR..
ESQUECIDO DE TI...
PARA QUEM DARÁS MEU SORRISO !?
ME DIGA AMIGO PRA ONDE LEVASTE MEU SOL !?
ME DEIXASTE AO SOM DOS VIOLONCELOS...
AO SOM DOS VIOLINOS...
PARECE QUE RASGAM MINHA ALMA
CORTAM MEU CORAÇÃO...
NUNCA VOU TE ESQUECER...
CAMINHAS COM MEU SORRISO
LEVAS CONTIGO MEU SOL
FIQUEI EU E SOM DA MELODIA
NA SALA DE ONDE ME MORRO
MEU DOMÍNIO SE FOI
EU PERDI MEU SOL
PERDI MEU SORRISO...MAS A MELODIA ...
VAI ME MORRENDO
 
19/09/2019 14:32:46 :: GORETTI ALBUQUERQUE
Tempos de trevas

Vivendo por sob regras
Testando limitações
Nossas vidas por entregas,
Um viver entre prisões.

Desperto e é madrugada
Estou sempre a imaginar.
Adiantando essa estrada
Por não poder me atrasar.

Cortaram a vida na praça,
A prosa com meus vizinhos.
Generais de carapaça,
Destruindo meu caminho.

Ah, que saudades eu sinto
Da minha infância liberta.
Correção vinho de um cinto,
Gado de porteira aberta.

Hoje sinto a ferradura,
A dor da destruição.
A pobre flor imatura,
Cai no solo sem razão.

Parece que o mundo inteiro
Carece de compaixão.
Barro sem mãos do oleiro,
O mal espalhando estão.

      Goretti Albuquerque.
 
18/09/2019 10:28:53 :: GORETTI ALBUQUERQUE
                  Por você

Dormi sob o orvalho
Sem temor eu domei uma fera.
Da árvore eu fui o menor galho
Me fiz garoa pra molhar a terra.

Criei meu mundo, flori os canteiros,
Para banhar-te-em pétalas perfumadas.
Meu coração sente um olhar fagueiro,
Em sonho eu amo-te pelas madrugadas.

E por te amar eu fiz outro caminho,
Fui lá no alto implorei pra lua
Brilho aos teus pés evitando o espinho,
Fiz um altar pra ti em minha rua.

Nesse querer eu sabotei a noite
E trouxe o sol pra te banhar de dia,
Tua lembrança veio como açoite
Te amei sozinha,    te fiz poesia.

         Goretti Albuquerque.
 
15/09/2019 17:48:34 :: GORETTI ALBUQUERQUE
Mãe natureza.

Ó, montes vindos antes nós,
tinham em verdes pastos arvoredos,
desnudando a neblina e a cerração.
ventos bravios vindos do hemisfério,
expandiram em cor ou perto e o Sul suderio,
Iluminando o céu em uma bela visão.

Em um traço rústico bem fora da rota,
Onde a flor se achega abrindo em pétalas,
Em tantas árvores nem ao longe se mexia.
Mas se de perto a terra em som e cores,
E bem de perto as aves revoando em bandos,
Mãe Natureza chora em desalinho.

Imaginando estou em formas originárias,
Igual ao antes sem devastação sentida,
Lampejos de esperança afaga minha alma.
Voltar a ver na linha do Horizonte,
montes Colinas o verde campo e o Rio.
Meus sonhos me entristecem de de dor e a brisa me acalma.
  
            Goretti Albuquerque.
 
15/09/2019 17:06:59 :: GORETTI ALBUQUERQUE
Rio vermelho

Na voz sentida do poeta eu vi.
Passar um rio lento e consciente.
Era vermelha sua dor senti,
Tinha uma lágrima e plantava a semente.

Meu trovador sua voz também é minha,
E o mar vermelho vai abrir caminho,
Na primavera a flor vem sem espinho.

Vamos sonhar e ver Lua sorrir,
Na contramão eu não caminharei.
Nuvens de cumbo do Céu vão sumir,
E a cor vermelha da face eu serei.
Nuvens de chumbo do Céu vão sumir,
E a côr vermelha da face eu serei.

            Goretti Albuquerque.
 
15/09/2019 15:46:47 :: GORETTI ALBUQUERQUE
A lavadeira

Cantando vai a lavadeira,
Sonhando ser feliz talvez.
Alegremente a roupa clareando,
Sorri somente em sua incensatez.

Embala o filho por breves instantes,
No sol suas roupas estão a secar,
Nas mãos um pão e olhos reluzentes
Volta para lida com sol escaldante.

Alguém passando ouve e se entristece.
Da tal cantiga só há lida e o Rio,
E aquela moça como se tivesse,
Mil e um motivos para dizer da vida.

E a lavadeira entoa uma canção,
Ao que parece em si está sentindo, Jogando o pranto em forma de oração,
E pelas curvas o som vai ondulando.

Ah, Alegre canta sabes qual    razão?
Ser tão festiva na inconsciência,
Em tua singeleza o céu te escuta,
Que o homem grave tua sapiência.

Por que tão breve a vida passa
Vai viajando em ti o infinito.
Trazes na alma um cantar mais leve,
Leva aos corações o teu cantar.

Goretti Albuquerque.

 

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.